Arquivo da tag: pensamentos

Muito baixo


Relevar


Então… tá esperando o que?


Bem nessa


Tem gente que enxerga sim!


3 ou até mais vezes


E como dá…


Mísseis


Frida talks


O vazio existencial do homem contemporâneo

Que sentido, que valor imprimimos a nossa ação? Somos seres incapazes de contemplar ou tomar conhecimento do que cotidianamente fazemos de nossas vidas. Por que fazemos o que fazemos? Por que levamos a vida que levamos? Ora queremos um novo emprego; ora queremos um novo amor; ora queremos um novo carro; ora queremos uma nova casa. Os homens sempre estão em busca de dinheiro, poder, notoriedade ou divertimentos. Logo que realizam um desejo, surge outro desejo. Nunca estão satisfeitos. Passam a vida buscando bens materiais ou bens simbólicos. São eternamente inquietos. São governados por um querer cego e irracional.

Numa primeira análise, somos levados a crer que o único objetivo da vida humana é destruir a própria solidão. Eles não conseguem ficar sozinhos, precisam sempre de agitação. Estão sempre em busca de algo. Envolvem-se em tarefas arriscadas e difíceis; envolvem-se em projetos, conflitos ou conquista que, muitas vezes, lhes trazem infelicidade. Não suportam o silêncio ou estar consigo mesmos. Precisam do barulho, do ruído e da agitação. São incapazes de desligar a televisão ou o rádio quando estão sozinhos em casa. Fogem da solidão como o Diabo foge da cruz. Pascal no século XVII já havia pensado sobre esse problema. Para ele, as pessoas são agitadas, pois não conseguem ficar consigo mesmas, são incapazes de refletirem sobre sua condição miserável e mortal. Não querem refletir sobre sua condição humana, permeada pela dor, dissolução e morte, nada os pode consolar.

Como sugeriu Platão, o nosso espírito é uma caverna, o que falta ao homem é eternidade. Os indivíduos são seres vazios. Vivem na busca de preencher seu mundo interior com algum entretenimento ou com algum objeto. Todo seu sentido interno se expressa pelo sensível e pelo concreto. Buscam preencher sua interioridade com todo tipo de banalidades. O sistema capitalista serviu muito bem a esse propósito. Esse sistema ofereceu ao homem um mundo de entretenimentos, prazeres e objetos para que ele possa preencher seu vazio interior. É por isso que o capitalismo sobreviveu, é por isso que ele se perpetuou. Ele impediu que o homem encarasse o vazio descomunal de sua interioridade.

Mas, por que o homem temeria tanto olhar para o seu vazio interior? Por que ele foge de si mesmo? O ser humano não é um átomo, um ser fixo, acabado, pronto e estável. Não existe uma natureza humana fixa, dado a priori. Ele vem ao mundo como uma tabula rasa, como uma folha em branco. Ele só se torna algo a partir daquilo que ele faz de si mesmo. Ele é um ser determinado pelas circunstâncias, pelas contingências da vida, condicionado no interior das práticas sociais por sua cultura. Significa dizer que ele não é nada. É um ser inacabado. É um ser vazio. O objetivo da vida, portanto, é exatamente preencher esse vazio, esse nada, que é a pura essência humana. Não há uma finalidade para vida, a não ser a morte, o Nada.

As pessoas não querem se dar conta que o Nada está inscrito em nossa própria carne e em nossa própria alma. O Nada surge diante do homem aniquilando todas as coisas que os rodeiam, aniquilando o próprio EU. É o Nada que retira todo o sentido da vida. Somos seres para a morte. A descoberta do “Nada” da vida humana levaria o homem a reconhecer que a existência é um acidente, é algo casual e efêmero, e que o amanhã não poderá mais existir. O homem recusa a encarar a verdade. Já dizia Sócrates, conheça-te a ti mesmo. O conhecimento de si mesmo implica em reconhecermos a nossa própria finitude. É o Nada, que está em nosso interior e que não somos capazes de encarar, que nos aniquilará. O que falta ao homem é consciência de sua facticidade. Estamos lançados no mundo como um barco sem rumo. A imanência nas coisas nos tira a consciência de nossa condição finita e nos condena a banalidade da vida cotidiana. É somente a consciência de nossa condição finita, é somente a consciência do Nada, que nos permite transcender e reavaliarmos nossa própria vida e comportamento, dando sentido e significados ela.

Vivemos numa época de incerteza, de insegurança e de superficialidade. Temos dificuldade em entender nossa própria experiência social e não conseguimos nos dar conta da relação que há entre nossas vidas e as forças que nos subjulgam. Não percebemos que nossos dramas, conflitos, medos, frustrações são em grande parte causados pelos valores de nossa sociedade ou pelas estruturas sociais que nos governam. Por causa disso, não temos uma experiência bem definida das nossas próprias necessidades, não sabemos o que sentimos ou o que verdadeiramente queremos.

Todos os dias os indivíduos acordam cedo, vão para o trabalho, almoçam com os mesmos colegas, compartilham as mesmas experiências. Quando voltam do trabalho para casa, conversam sobre os mesmos assuntos, fazem as mesmas atividades e assistem aos mesmos programas de televisão. Aos finais de semana, buscam as mesmas agitações e divertimentos. Eles são incapazes de perceber que possuem uma vida fragmentada, muitas vezes degradada pelo cotidiano da labuta, das transformações econômicas e do consumo. Estão sempre em movimento, em busca de um objetivo ou desejo insuflado pela sociedade. Apegam-se à verdades, valores ou regras externas que não escolheram conscientemente. Como se o mundo tivesse um sentido ou um significado dado a priori. São seres despersonalizados pela cultura. Seguem padrões. Vivem numa Matrix, incapazes de separar a consciência da realidade. São incapazes de contemplar seu mundo interior. São incapazes de reconhecer o Nada e darem sentido a suas próprias vidas. Como diz Montaigne, “meditar sobre a finitude é meditar sobre a liberdade”.

 

…………………………………………………………….
*Fonte: pensadorcontemporaneo


Jamais


Só na teoria


Mais uma grande verdade da vida


A tal razão


Como vai?


Ok!


7 coisas que devem ser mantidas em segredo

O estudioso das culturas orientais Vyacheslav Ruzov, em um de seus artigos se referiu à experiência dos sábios da Índia. Ele refletiu sobre o que é mistério e não se deve divulgar em público.

A redação de Incrível.club deu uma olhada nessa lista e concordou com várias coisas. Afinal, um pouquinho de segredo nestes tempos em que quase tudo vai parar nas redes sociais certamente não fará mal.

    1. O primeiro que não é necessário divulgar são seus planos para o futuro. Evite falar sobre eles até que se realizem. Nenhum de nossos projetos é perfeito, na verdade eles possuem vários pontos fracos por meio dos quais podem ser facilmente destruídos.

    2. Em segundo lugar, você não deve compartilhar o mistério da sua solidariedade. Um ato bondoso é algo extraordinário neste mundo, e justamente por isso você deve guardá-lo como seu tesouro mais valioso. Não se vanglorie por suas boas ações. Esse tipo de atitide pode levar rapidamente à arrogância, e esta não é a melhor característica que você pode ter. Concorda?

    3. Em terceiro lugar, não é preciso demonstrar a todo mundo sua austeridade. Não comente por aí sobre suas restrições alimentares, dificuldades no sono, nas relações sexuais, etc. A austeridade física traz benefícios apenas se está em harmonia com seu lado emocional.

    4. Em quarto lugar,  é necessário falar sobre sua coragem e heroísmo. Todos nós enfrentamos diferentes testes a cada dia. Alguns encaram testes externos, enquanto outros, testes internos. As provas externas são visíveis, e por isso as pessoas são recompensadas, mas ninguém se dá conta da superação das provas internas. Por isso ninguém recebe recompensas por elas.

    5. Em quinto lugar, não vale a pena divulgar seu conhecimento espiritual. Ele é somente seu e não há porque dividí-lo com ninguém. Revele-o a outros apenas se for realmente necessário, não somente para você, mas também para os outros.

    6. Em sexto lugar, e em especial, o que você não deve compartilhar com outras pessoas são seus conflitos domésticos e vida familiar. Lembre-se: quanto menos você falar dos problemas da sua família, mais forte e estável ela será. As discussões servem para que você se desfaça da energia negativa que acumulou no processo do diálogo. Quanto mais você falar de seus problemas, mais acreditará neles.

    7. Em sétimo lugar, não vale a pena falar das palavras ruins que você ouviu de alguém durante sua jornada. A pessoa que, ao chegar em casa, conta tudo o que ouviu nas ruas não é diferente de quem chega em casa e não tira os sapatos, trazendo com eles a sujeira das ruas.

 

………………………………………………..
*Fonte: incrivelclub

 


Só 3 palavras


Mais um poema


Qual é a hora certa?


Ganho de conhecimento


Por aí


45 lições de vida, escritas por um senhor de 90 anos

1. A vida não é justa, mas ainda é boa.

2. Em caso de dúvida, simplesmente dê o próximo passo.

3. A vida é curta demais pra não se aproveitar dela.

4. Seu trabalho não vai cuidar de você quando estiver doente. Sua família e amigos irão.

5. Não compre coisas que não precisa.

6. Você não precisa vencer todas as discussões. Apenas se mantenha honesto consigo mesmo.

7. Chore acompanhado. É mais edificante que chorar sozinho.

8. Tudo bem ter raiva de Deus. Ele aguenta.

9. Economize para coisas que importam.

10. Quando o assunto é chocolate, resistir é inútil.

11. Faça as pazes com o passado para não cagar o presente.

12. Tudo bem se seus filhos te verem chorar.

13. Não compare sua vida com a dos outros. O caminho deles é diferente do seu.

14. Se um relacionamento precisa ser secreto, você não deveria estar nele.

15. Tudo pode mudar num piscar de olhos, mas não se preocupe, Deus não pisca.

16. Respire fundo. Fazer isso acalma a mente.

17. Se livre de tudo que não for útil. Peso extra te atrasa de muitas maneiras.

18. O que não te mata te fortalece, de verdade.

19. Nunca é tarde demais pra ser feliz, mas isso é responsabilidade sua e de mais ninguém.

20. Quando o assunto é perseguir os amores da sua vida, não aceite não como resposta.

21. Queime  os incensos, use seus melhores lençóis, use roupas íntimas extravagantes. Não guarde essas coisas pra uma ocasião especial. Hoje é

especial.

22. Se prepare bastante, mas quando começar, vá com a onda.

23. Faça loucuras agora mesmo. Não espere ficar velho para vestir púrpura.

24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.

25. Ninguém está na chefia da sua felicidade além de você mesmo.

26. Etiquete cada coisa que chamarem de desastre com o rótulo “Isso vai importar daqui a cinco anos?”

27. Sempre escolha viver.

28. Perdôe, mas não esqueça.

29. O que as outras pessoas pensam não te interessa.

30. O tempo cura quase tudo. Dê tempo ao tempo.

31. Não importa se uma situação é boa ou ruim, ela vai mudar.

32. Não se leve tão a sério. Ninguém leva.

33. Acredite em milagres.

34. Deus te ama porque é Deus, não por causa daquilo que você fez ou não fez.

35. Faça o que der pra ser feito agora, agora e não depois, e o que sobrar faça depois.

36. Seus filhos terão apenas uma infância.

37. Ficar velho é melhor que a outra alternativa – morrer jovem.

38. O que mais importa no final é que você amou.

39. Saia de casa todos os dias. Milagres esperam em todos os lugares.

40. Se todos nós jogássemos nossos problemas numa pilha, veríamos os problemas dos outros e pegaríamos os nossos de volta.

41. Inveja é perda de tempo. Aceite o que você já tem, não aquilo que você acha que precisa.

42. O melhor ainda vai aparecer…

43. Não importa como você está se sentindo, se levante, se arrume e compareça.

44. Produza.

45. A vida não vem enrolada com um laço de fita, mas ainda é um presente.

 

……………………………………………..
*Fonte: osegredo


\m/


Um provérbio italiano


Tarantino e a Vida


Não precisamos de mais tempo. Precisamos de um tempo que seja nosso. – Mia Couto

Mia Couto, escritor moçambicano notável por sua prosa poética, cuja força das palavras faz ressurgir em nós o ímpeto de sonhar, nasceu e foi escolarizado na Beira, cidade capital da província de Sofala, em Moçambique – África.

Autor de uma obra literária extensa e diversificada, incluindo poesia, contos, romance e crônicas, Mia tem sido bastante festejado nos últimos anos, tanto no Brasil quanto mundo, tendo sido o ganhador, em 2013, do prêmio Camões, o mais importante da literatura em língua portuguesa.

Além de escritor, Mia é biólogo e ativista político, tendo participado da luta pela independência do seu país na década de setenta.

No vídeo abaixo Mia pondera sobre a velocidade característica do mundo contemporâneo, “uma espécie de corrida infrutífera para não ficarmos desatualizados”, que torna tudo efêmero, vazio. “Como é que isso aconteceu?”, se questiona para em seguida responder: “eu acho que foi uma coisa que se chama Mercado”. Confira na íntegra:

…………………………………………………………………
*Fonte: pensarcomtemporaneo


Uma boa dica


Pensamento do Albertão


Yep!


Quando você se permite o que merece, atrai o que precisa

Vamos começar com um pouco de reflexão … O que você acha que merece hoje?

Você pode ter pensado em um descanso. Ou talvez que o tempo passasse um pouco mais lento para, assim, apreciar tudo ao seu redor. Aproveitar o “aqui e agora”, sem estresse, sem ansiedade.

Você também pode ter pensado “mereço alguém que me ame”, ou que me reconheça um pouco mais. Você tende a trabalhar duro pelo outro e nem sempre se sente recompensado.

Todos, em nosso interior, sabemos o que merecemos. No entanto, reconhecer isso é algo custoso, pois pensamos se tratar de uma atitude egoísta.

Como dizer em voz alta coisas como “Eu preciso que me amem”, “Eu mereço ser respeitado”, “Eu mereço ser livre e ter o controle da minha vida”? Na verdade, basta dizer a si mesmo.

Não se engane, priorizar-se um pouco mais não é uma atitude egoísta. É uma necessidade vital, é crescimento interno para sermos felizes.

Te convido a refletir.

 

Atitudes limitantes

Muitos de nós tendemos a desenvolver ao longo de nossas vidas, muitas atitudes limitantes. Eles são crenças arraigadas às vezes durante nossa infância, ou desenvolvidas com base em experiências específicas.

Elas são os pensamentos expressos em frases como “Não tenho utilidade para nada”, “Não sou capaz de fazer isso, vou falhar”, “Para que tentar se as coisas sempre dão errado?” …

Uma infância difícil com pais que nunca nos deram segurança, ou mesmo relações afetivas com base na manipulação emocional, muitas vezes nos limitam quase de forma decisiva. Tornamos-nos frágeis no interior, e vamos poupo a pouco diminuindo nossa autoestima.

Reestruture suas crenças. Você é mais do que suas experiências, você não é quem te causou dano ou quem levantou paredes para privá-lo de sua liberdade. Você merece o progresso, merece olhar dentro de si mesmo e reconhecer o seu valor, sua capacidade de ser “encaixar” na vida e, acima de tudo, de ser feliz …

 

O que você merece, o que você precisa

O que merecemos e o que precisamos não estão tão unidos assim. Um exemplo: “Preciso de alguém que me ame.” É um desejo comum. No entanto, vamos começar mudando a palavra “PRECISO” por “MEREÇO”.

Você merece alguém que pode ler suas tristezas, que atenda às suas palavras, que possa decifrar seus medos e seja o eco da sua risada. Por que não? Mudando a palavra “preciso” por “mereço”, removemos esse vínculo tóxico de dependência que, por vezes, se desenvolvem em nossos relacionamentos.

“Se precisamos de algo para sermos felizes, tornamo-nos prisioneiros de nossas próprias emoções.”

Comece consigo mesmo. Seja a pessoa que gostaria de ter ao seu lado … aquela que merece te acompanhar nos passos de sua vida. No final, alguém vai se encaixar com você. Mas comece com essas dimensões importantes:

◾Liberte-se de seus medos.
◾Tire vantagem de sua solidão, aprenda a ler seu interior, mostre mais empatia consigo mesmo e com os outros.
◾Cultive seu crescimento pessoal, desfrute de seu presente, de quem você é e como é.
◾Aprenda a ser feliz com a humildade, ego desativado, amadurecimento emocional.

“Quando você se der tudo o que merece, ao se tornar a melhor versão de si mesmo, chegará o que precisa.” Priorizar-se não é egoísmo

Muitas vezes, no início, ficamos presos a esses pensamentos limitantes. Há quem encontre sua felicidade fazendo de tudo para os outros: cuidando, servindo, abrindo mão de certas coisas pelos outros.

Podemos ter sido educados assim. Mas há sempre um momento em que fazemos um balanço e algo falta. Aparece o vazio, a frustração, a dor emocional …

Como tudo na vida, existe a harmonia, a combinação do seu espaço e meu espaço, as suas necessidades e as nossas necessidades. A vida em família, com amigos ou em qualquer contexto social, deve ser construída por meio de um equilíbrio adequado onde todos ganham e ninguém perde.

No momento em que há perdas, deixamos de ter controle sobre nossas vidas, deixamos de ser protagonistas para nos tornarmos jogadores secundários.

Reflita por um momento sobre estes poucos pensamentos:

◾Eu mereço um dia de folga, só para mim. Isso vai me dar o que preciso: pensar livre de estresse e relativizar as coisas.
◾Eu mereço ser feliz. Talvez seja hora de “deixar ir” certas pessoas, ou aspectos da minha vida. Isto irá permitir-me conseguir o que preciso: uma nova oportunidade.

Nós todos merecemos deixarmos de ser prisioneiros do sofrimento, de nossas próprias atitudes limitantes. Abra seus olhos para o seu interior, decifre suas necessidades, ouça sua voz. No momento em que você permite-se o que merece, chegará o que precisa.

 

……………………………………………………………..
*Fonte: resilienciamag

 


7 coisas que você nunca deve fazer no Facebook, se quer gostar de sua vida

Esses dias, depois de olhar o Facebook no meu telefone, eu imediatamente mandei uma mensagem para minha amiga dizendo: “Por favor, apague esta foto, é o pior retrato de mim!” Ela pediu desculpas, me garantiu que não achou a foto feia, mas prometeu para apagá-la.

Sentei-me no meu carro e me senti horrível por mandar uma mensagem ofensiva para minha amiga por causa de uma foto no Facebook. Então eu recebi mais três mensagens dela pedindo desculpas, como se tivesse feito algo muito errado. Tudo isso sobre por causa de uma foto boba no Facebook.

Então, por que eu surtei? Eu estava sendo autocrítica, e sentindo que intenso nível extra de julgamento que vem com posts em mídias sociais. Sua vida está lá, as pessoas podem vê-lo e julgá-lo.

Como mulheres, nós já somos hiper-críticas. É como nossa cultura nos eleva, e é um problema. Mas agora, com várias plataformas sociais, e mais notavelmente o Facebook, podemos ativamente pintar quadros do que queremos que os outros vejam. Aí a situação fica perigosa e faz mais mal do que bem, se você deixar.

Você tem o controle sobre quanto o Facebook te afeta. Aqui estão as coisas que você nunca deve fazer no Facebook, se quiser se sentir bem consigo mesma.

 

1. Não jogar o jogo da comparação.

Por chutar a si mesma quando está pra baixo? Facebook é o lugar número 1 para se perder em horas de comparação com outros (e talvez até fotos antigas de si mesmo). Este hábito nos permitem continuar nossos padrões insidiosas de auto-dúvida.

Então, use o Facebook para motivá-lo apenas por tendo pessoas  positivas e inspiradoras em seu feed de notícias.

 

 

2. Não gastar horas do seu dia no Facebook.

Facebook é um espaço virtual para conexão, mas não está vivendo e experimentando a vida real. Ele não alimenta sua alma da mesma forma que toque humano e interação.

Ao invés de gastar horas no Facebook, saia, passe um tempo com sua família e amigos, faça algo que te ilumine.

 

3. Não jogar o jogo da culpa (em si mesmo).

Facebook é um espaço onde vemos fotos que foram editadas para serem de uma determinada maneira. Não permita se fazer de vítima baseado no que você vê, como ” Essa pessoa tem tal coisa e eu não. Minha vida é uma merda. ”

Você tem os recursos dentro de si mesmo para obter capacidades e comemorar. Medite sobre a beleza e a riqueza que você tem em sua própria vida.

 

4. Não ligar para drama.

Conversas infantis não ajudam ninguém, e especialmente quando são online. Se você está tendo um conflito com alguém, ligue ou encontre essa pessoa.

Só porque você viu algo que te abalou no Facebook, não significa que você precisa segurar a energia negativa. Use o drama para se elevar, não responda e desconte sua raiva ao ar livre ou praticando algum esporte.

 

5. Não comer enquanto estiver no Facebook.

Assim como comer enquanto assiste TV, lanchar e estar no Facebook ao mesmo tempo é um mau hábito para a maioria. Este comer estúpido não é bom. Fim da história.

 

6. Não utilizar o Facebook como uma desculpa para evitar “sair” e viver a vida.

Ser você mesmo realmente e verdadeiramente é se amar na vida real. Quanto mais você se esconde atrás de uma tela de computador, mais você prova que não se acha suficiente ou perfeito do jeito que é.

 

7. Não ser falso.

Seja verdadeiro no Facebook e cerque-se daqueles que fazem o mesmo. Poste fotos naturais de si mesmo. Quanto mais você for você, mais confortável você vai se sentir. Esse é o verdadeiro amor próprio e aceitação.

Quando tentamos repetidamente parecer diferentes, escondemos nossa verdadeira beleza. Mas quando somos nós mesmos, em nossa totalidade, com nossas imperfeições, mas perfeitamente fabulosos, somos  deslumbrantes. Ninguém pode nos deixar mal ou nos copiar.

 

………………………………………………………………
*Fonte: osegredo


Alguns pássaros


“Somos inundados de informação e famintos de sabedoria”

Zygmunt Bauman é dos grandes pensadores da Modernidade, conhecido mundialmente por seu célebre conceito de “”liquidez””.

Perspicaz analista dos fatos cotidianos, o sociólogo tem vasta obra sobre temas contemporâneos, com destaque para o best-seller Amor líquido, fundamental para a compreensão das relações afetivas no mundo atual.

Bauman nasceu na Polônia e mora na Inglaterra desde 1971. Professor emérito das Universidades de Varsóvia e Leeds, tem mais de trinta livros publicados no Brasil.

 

……………………………………………………………
*Fonte: pensadorcontemporaneo


Diferenças entre pessoas interessadas e pessoas interessantes

As pessoas interessantes são aquelas que você encontra buscando recordações em seu baú. São as que lhe oferecem conhecimentos, experiências e bons sentimentos. As pessoas interessantes, diferentemente das pessoas interessadas, não exigem, elas oferecem.

Oferecem momentos de qualidade, não exigem minutos do seu relógio nem dias do seu calendário. Não são impontuais na vida, pois elas permanecem. Elas não buscam sua máxima atenção, a captam. Não olham as suas relações com outras pessoas com maus olhos, mas se alegram por outras pessoas lhe oferecerem felicidade.

Por isso, a principal diferença é vista de longe. Porque não é quem diz gostar de você, é quem demonstra isso. É quem, nos seus maus momentos, simplesmente conjuga o verbo ESTAR. Quem, com um olhar, se faz cúmplice do seu bem-estar e do seu mal-estar.

As pessoas que não são interessadas são aquelas que não te deixam vazio e não julgam seus comportamentos, são aquelas que não são devoradas pelos ciúmes e levam suas falhas para o campo do esquecimento e do perdão.

 

Há muita gente interessante, mas também há quem tenha comportamentos interessados. Há muita gente que só fala, mas também há quem escute. Há muitos que criticam, mas também há os que compreendem…

 

 

As pessoas interessantes nos transformam em indivíduos melhores

O simples fato de que o vínculo com alguém o transforme em uma “pessoa melhor” é um indício claro de que essa pessoa deve estar na sua vida. Conectar-se intensamente e saber que somos amados é um bálsamo de vida poderoso.

Quando temos pessoas interessantes ao nosso redor, a carga é mais suportável e o caminho é mais divertido.

As pessoas interessadas cancelam quando o vento não sopra na direção que elas querem. Desconectam sentimentos e quebram a ligação com más ações, com um rápido desinteresse que deixa as nossas papilas gustativas focadas em um sabor amargo.

Sabores amargos que devem ser substituídos. Custe o que custar, trata-se de sobrepor sensações, de afogar as angústias, de viver o luto, de colocar de lado as expectativas da nossa mente para assumir a realidade.

 

Quem espera se decepciona

Há pessoas que falham conosco e pessoas com as quais falhamos. Isso é inevitável na evolução da vida. Temos que partir do pressuposto de que as relações e o que esperamos delas são, por definição, mutáveis.

Por isso, para superarmos uma decepção, a primeira coisa que devemos fazer é trabalhar nossas expectativas e permitir que as relações fluam em conformidade. Quando deixarmos de colocar esse tipo de obstáculos, iremos notar que tudo se torna muito mais simples, que podemos dizer adeus às necessidades e que teremos tirado pedras da nossa mochila.

O objetivo final é enquadrar nossas expectativas em nós mesmos, e não nos outros, pois além de muitas vezes sermos injustos, isso nos leva à decepção. Esta desilusão ou decepção costuma produzir certa desconfiança e, portanto, estados emocionais indesejáveis e atitudes pouco saudáveis.

Estamos tão doentes de certeza que não conseguimos tolerar a incerteza em nossas relações. Por esta razão, a única saída que pode evitar que nos sintamos abandonados ou decepcionados é trabalhar nossos medos e nossos aspectos emocionais mais íntimos, de forma a não dependermos dos outros para sermos felizes.

Ou seja, é muito angustiante pensar que a pessoa que você ama pode deixar de te amar, mas tome cuidado para que esse medo não se una a inseguranças e idealizações.

O fato de alguém não ficar atrás de você a cada segundo ou não agir com o nível de detalhe que você teria tido não significa que essa pessoa não o ama. Simplesmente significa que vocês são pessoas diferentes.

Mas se alguém não o atende nunca, já não se trata de uma questão de expectativas, mas de falta de respeito e de interesse. Feliz ou infelizmente, isto só se aprende através da experiência.
A melhor forma de nos protegermos e curarmos as más experiências é nos desfazendo das nossas expectativas e das imagens que formamos. Nem todo mundo é bom e ninguém é perfeito, por isso, a nossa reação irá depender do valor que iremos atribuir a cada fator de influência.

 

…………………………………………………….
*Fonte: amenteemaravilhosa / Raquel Brito

frasco_heart


Sobre a equação idade x velhice

frases_idade


Mais uma das boas

frases_idiotas23ases

 


A triste geração que precisa ter para ser

Estamos testemunhando a era da ‘ostentação’, onde para ser legal e aceito pela sociedade, é preciso usar roupas caras, produtos importados de última tecnologia, dirigir carrões, que custam uma fortuna, mas que muitas vezes, não condizem com os salários e posições de seus respectivos donos.

Algumas pessoas gastam o que não podem, para fingir uma realidade a qual não pertencem, para muitas vezes, impressionar desconhecidos.

Todo esse conceito de provar que ‘pode’ através de bens materiais ou de tudo aquilo que só o dinheiro pode comprar, está silenciosamente, nos condenando a uma eterna insatisfação, uma tristeza crônica, que muitos acreditam poder curar somente com aquisições financeiras.

Infelizmente, esse tipo de comportamento, é o resultado de uma sociedade fútil, capitalista e que a cada dia mais inverte valores, e nos transforma em zumbis perseguidores do dinheiro.
Quero deixar claro, que o inimigo não é o dinheiro, mas sim a ambição desmedida, e a falsa impressão de que ‘ele’ pode comprar tudo e resolver todos os problemas.

Também não é pecado algum, gastar um dinheiro que é seu, que é consequência do seu esforço e trabalho.

O problema é quando queremos viver um estilo de vida que não condiz com a nossa condição real. Não é feio usar roupas mais baratas ou frequentar lugares mais simples. Feio é gastar mais do que pode, comprar e não conseguir pagar.

Além do mais, saiba que o sentido da vida e a verdadeira Felicidade que você tanto procura, infelizmente não podem ser encontrados nessas banalidades e modismos ridículos.

Não seja produto dessa sociedade cruel, não se torne um ventrículo nesse espetáculo de manipulação.
Estar na moda e ser elegante tem mais a ver com a sua personalidade, sua educação e comportamento, do que com as roupas que você usa.

Luxo mesmo é levar uma vida decente, com dignidade, amor próprio, e uma consciência limpa que não te faz perder nenhuma noite de sono, pensando nas dívidas que fez, para poder finalmente ter a falsa impressão de ser alguém.

Lembre-se que, Ser humano, gentil, educado, humilde, ter paz e saúde, é a única riqueza que ninguém pode, e nunca vai tirar de você.

 

………………………………………………………
*Fonte: resilienciamag


Isso é uma palhaçada

palhacada


Você é livre quando pensa

Um dos maiores desejos dos seres humanos é ser livre. Trata-se de um bem precioso que às vezes é difícil de encontrar. Quantas vezes você se sentiu preso a uma pessoa ou a seu próprio trabalho? Em que ocasiões você percebeu que estava preso, sem poder ir para a frente? Nem sempre a liberdade é roubada de nós pelas circunstâncias ou pelos demais. Somos nós mesmos que muitas vezes a entregamos ou a vendemos por um preço muito baixo.

Ser livre tem mais a ver com a percepção do que com a realidade. Portanto, uma pessoa que vive na prisão pode se sentir muito mais livre do que aquela que está rodeada por seus entes queridos. Uma maneira de perceber isso de forma plena é o fato de viajar. Muitas pessoas são viciadas nisso porque pular de um país para o outro lhes dá a sensação de que é sua vontade, e não as convenções sociais, que orienta seus passos.

 

Deixe de se preocupar com o peso do material

A era em que vivemos agora e o pensamento predominante em torno de nós é muito materialista. Damos um poder extremo ao acúmulo de riquezas e a coisas que não são realmente úteis para nós. No entanto, o fato de tê-las nos torna felizes? Agora poderia ser um bom momento para se livrar de tudo aquilo que nos cerca, mas que não serve para nada.

Doar para várias organizações roupas, brinquedos, objetos úteis e outros decorativos pode ser uma experiência tremendamente libertadora. Não só porque você está fazendo a limpeza e colocando fora tudo aquilo que estava ocupando espaço, mas também porque está dando a possibilidade de que outras pessoas possam dar algum uso ao que você acumulou.

Talvez eles se sintam muito mais livres do que você. Porque não é preciso ter muito para se sentir livre, não é preciso ter muito dinheiro para se sentir leve. Acreditamos que todas aquelas roupas em nosso armário são necessárias, mas… na verdade você não sempre usa quase sempre as mesmas? De fato, tenho certeza de que existem roupas que você nunca mais vai usar.

Essas preocupações que passam pela sua mente, como “posso precisar disso amanhã”, “e se eu tiver vontade usá-lo em uma ocasião especial?”, são pensamentos que estão limitando sua liberdade. Você deve preencher sua vida com coisas de que realmente vai precisar, mas só aquilo que realmente faz falta, e limpe tudo aquilo que está apenas ocupando um espaço que deve ser livre.

 

Para ser livre, seja você mesmo

Não há pessoa mais escrava do que aquela que não conhece a si mesma.

Existem muitas cadeias em nossa mente das quais precisamos nos libertar. Mas não podemos fazer isso se não nos conhecemos, se nos recusamos a fazê-lo. Portanto, não tenha medo de começar a tomar pequenos passos em direção ao caminho da sua liberdade.

Seja coerente com seus valores: quando você vai contra eles, provavelmente vai se sentir desconfortável. Você está traindo a si mesmo e isso o transforma em alguém menos livre. Às vezes é complicado segui-los, sermos fiéis aos nossos valores. No entanto, você vai ver que é o seu medo que fala quando não os considera para direcionar o seu comportamento.

Deixe as expectativas de lado: as expectativas nos levam a uma terrível saída: a decepção. Por isso, é melhor ter objetivos realistas que permitam definir metas intermediárias e metas finais realizáveis. Não espere milagres, porque o sucesso é construído passo a passo. Focar no presente será um ponto a seu favor, porque desfrutar da viagem sempre o tornará mais livre.

Jamais deixe de se surpreender: se você ouve piadas porque se surpreende em circunstâncias que os outros acreditam que não deveriam ser extraordinárias porque você “já é adulto”, saiba que este é um erro, uma tentativa de aprisioná-lo.

Não esconda a sua capacidade de se fascinar, até mesmo com as menores coisas.

 

Continue sonhando acordado, viajando e conhecendo mais a si mesmo. As pessoas vivem rotuladas pelo que é “certo” e aceitável para os outros. No entanto, investir no que lhe faz feliz é o que vai permitir que você seja uma pessoa realmente livre.

Todos nós temos medo de sair do caminho que os outros marcaram pra nós. Nossas crenças, o que é certo ou errado, aquilo que ensinam como as boas maneiras de fazer as coisas, são aspectos que nos marcam. No entanto, ser livre é muito diferente para uns e para outros. Hoje você tem a oportunidade de começar a ser. Você tem coragem de dar o primeiro passo?

 

……………………………………………………………
*Fonte: amenteemaravilhosa

liberty3