Katia Suman e Os Diários Secretos da Rádio Ipanema FM – “TROUBLE MAKERS”

Uma sensação incrível é descobrir que no livro que você resolve começar a ler, e lá pelas tantas consta o nome da sua banda! Sim, foi isso mesmo que aconteceu hoje comigo. Já faz algum tempo que tenho o livro da Katia Suman – “Os Diários Secretos da Rádio Ipanema FM” (BesouroBox – 2018), sou desses que quando vai numa livraria  e comprar algum livro, não necessariamente eu vou lê-lo logo em seguida. Tem vezes que um bom livro precisa antes de tudo, de um período de maturação na estante, tipo um namoro de canto de olho com a sua lombada, ali parada ao lado de outros tantos, quase que como um chamado no estilo:
– Agora eu!

Terminei de ler ontem uma bio do The Doors e fui revirar a procura de algum outro livro que me chamasse a atenção para começar a ler. Achei esse da Katia Suman e dando uma folheada antes mesmo de começar a ler para valer me deparo com algumas listas e tabelas no livro. E na parte em que diz respeito aos anos de 1994 e 95, para minha grata surpresa e claro – satisfação e orgulho também, consta o nome da minha ex-banda, a Trouble Makers (Porto Alegre / 1991-98).

Trouble Makers

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Caraca! Que coisa boa isso, logo num livro da Katia que foi quem na realidade descobriu a nossa banda, quando 1994 na época da Ipanema FM, lhe enviamos uma demo em fita k7 par aos eu programa Elétrika Live. Ela curtiu logo de cara o nosso trabalho (rock autoral), ligou para nós e em pouco tempo já estávamos tocando em diversos eventos da Ipanema ou em outros picos da noite rock da cidade.
Me sinto muito grato por isso e as tantas aventuras, empreitadas boas e algumas malucas que vieram depois disso. Foi bom agora lembrar desse período e de tantas coisas relacionadas a banda e meus parceiros de rock’n roll.

 

Muito agradecido Katia por essa menção!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sabadão de verão, desde cedo na estrada

O rolê de moto de hoje teve um motivo diferenciado, acompanhei o Pretto até a IESA, em Porto Alegre, que é a revenda oficial da Harley Davidson aqui no Rio Grande do Sul, onde ele foi comprar uma peça para a sua moto. E diga-se foi tipo uma peregrinação! Eu não tinha ido até lá ainda apesar de ter uma HD (a minha foi comprada usada), portanto não tive nenhum contado com a IESA até então.

Sim, sei que existe toda uma mística nesse lance do poder da marca Harley Davidson e algumas pessoas até exageram nessa “veneração”, no meu ponto de vista. Mas daí é problema ou solução (como queiram) de cada um, eu respeito o gosto dos meus amigos, que aliás, vários deles possuem motos de outras marcas e modelos. Eu tenho o meu gosto e fiz a minha escolha e sou muito bem ciente das qualidades e defeitos do produto que estava adquirindo em termos de moto. Eu gosto da cultura e do universo das motos custom. Nada muito sofisticado. É isso. Simples assim! Sem mais explicações.

A trip começou cedo, o Pretto queria estar em POA logo na manhã e pegar a revenda ainda aberta. Saímos por volta das 7h30, tentando assim curtir mais a viagem de ida e assim fugir do calor que viria logo mais, perto do meio dia. Foi uam boa opção! Fizemos uma parada no caminho para um café, esticar as pernas, trocar uma ideia numa boa conversa e em seguida seguimos novamente rumo a estrada do Parque, que por consequência nos leva até em frente ao santuário da Arena Tricolor (dá-lhe Grêmio!!!), que era parte do trajeto até o nosso ponte de destino em POA.

Chegando lá, demos de cara com aquela vibe de café da manhã / encontro para os clientes e amigos da revenda, com direito a música ao vivo e várias belas motos no pátio. Muito bom!
Ah! Preciso aquio mencionar que os dois caras que estavam tocando lá eram MUITO BONS. Ótimas vozes, bons músicos e um belo repertório, que aliás, tinha tudo a ver com o clima estradeiro rock-country-southern da Harley Davidson, mas sem ser aquela coisa chata ou clichê, como habitualmente tende a ser nos encontros de motociclistas. E isso foi um dos pontos forte dessa manhã.

Claro que enquanto o meu chapa estava lá na lida de encontrar a sua tal peça de moto, eu por outro lado, estava de bobeira, então fiquei “zanzando” pelo loja, primeiro vendo as motos zero KM em exposição, babando e sonhando de um dia ter esse ou aquele modelo, dessa ou daquela cor…rsrsrssr. E depois vendo na lojinha as camisas, jaquetas, bonés, casacos e o escambau. Não comprei nada! Só olhei. Já disse, não tenho esse “fetiche” harleyano de ostentação da marca e tal.

Conversamos com o pessoal, peça encontrada, feito o brique, resolvemos voltar. O Vladi, nosso amigo de POA não estava na capital, ele teria sido o nosso guia pela cidade para outras prováveis aventuras, mas isso fica para uma próxima vez. Resolvemos tomar o rumo de casa então, mas antes iríamos parar junto ao monumento do “Laçador”, um dos símbolos da cidade de Porto Alegre e também do Rio Grande do Sul. Ficava no caminho e o Pretto queria conhecer de perto, mas  confesso que também jamais havia parado ali, desde que mudaram a sua localização para mais perto do aeroporto Salgado Filho. Feito o momento turistão, com direito até a fotos de avião chegando sobre nossas cabeças, seguimos pelo caminho antigo que se fazia de POA para V. Aires, ou seja, por Canos e não pela Rodovia do Parque, como agora costumeiramente se procura fazer. Aliás, há muitos anos eu não fazia esse percurso via Canos (RS). Vamu-lá!

Mas agora o destino era outro. Combinamos de paramos no caminho para comermos um churrasco em algum restaurante de posto de gasolina!
Encontramos um que parecia ser sensato, um pit-stop para almoço, mix, gasolina e  seguimos novamente em frente para casa. Opa! Não foi bem assim.
De última hora optamos fazer uma mudança de planos. Em vez de virmos direto para V. Aires, resolvemos seguir pela 386 por Lajeado-RS. A esperança de encontramos a cervejaria Salva “aberta” era forte, mas não foi o suficiente.
passamos por lá mas ainda era cedo para estarem abertos na tarde (já deixo aqui o aviso – isso acontece depois das 15h), mas passamos por lá, bem antes disso.

Uma tradicional passada pela CNG, aproveitamos para esticar as pernas junto à sombra de algumas árvores, calor pegando no começo da tarde, quando então de surpresa cruzam por nós alguns amigos do clube do Fusca de Venâncio Aires. Estavam indo para um encontro de Fuscas que acontecia à duas quadras de distância do local onde estávamos parados. Pimba! Lá vamos nós conferir o tal encontro de Fuscas de Lajeado.

Entrada grátis, aquele bate papo com a galera dos Fuscas e claro, um rolê pelo ginásio onde estavam os carros em exposição, com diversas peças e traquitanas para colecionadores desses veículos. Enfim, uma festinha/evento supimpa. Pelo calor e também por se tratar de um período de férias/verão/praia, a coisa não estava lá muito movimentada, é verdade, mas era legal, posso garantir. Feita a função, novamente era hora de voltarmos para casa e dessa vez, sem rodeios.

Mas antes ainda uma última parada! Enfim o momento tão aguardado, depois dessa jornada toda de muito asfalto, sol e calor… era hora de tomarmos aquela gelada! Báh!

Um belo sábado, vou te dizer.
Grato Pretto pela trip e a parceria.
Valeu!

*Abaixo algumas imagens dessa tal trip de hoje.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Zakk Wylde e Kenny Wayne Shepherd – anunciam show gratuito no Samsung Best of Blues (Porto Alegre)

O guitarrista Zakk Wylde (Black Label Society, Ozzy Osbourne) e o premiado “blueseiro” Kenny Wayne Shepherd se apresentam no Samsung Best of Blues.

Os shows gratuitos acontecem em Porto Alegre, dia 26 de outubro, e São Paulo, dia 27 de outubro. Os locais das apresentações devem acontecer no Anfiteatro Por do Sol e Auditório Ibiraquera, respectivamente.

SERVIÇO:
Samsung Best of Blues 2019
Zakk Wylde e Kenny Wayne Shepherd
26/10 – Porto Alegre
27/10 – São Paulo
Horário: a definir

……………………………………………………………………….
*Fonte: ligadoamusica

Blackbarry Smoke – Porto Alegre (10/05/2019)

Ontem foi dia de conferir de perto e ao vivo no Opinião (Porto Alegre – RS), a banda americana Blackberry Smoke. O show começou cedo para o padrão local de horário (20h), o local estava cheio mas não lotado, melhor assim, dava para dar um rolê de boas pela copa e o espaço todo do público. E cara, o som deles é realmente espetacular, um southern rock de primeira, aliás, nada que me tenha pego de surpresa, claro que já tinha assistido vários shows deles no Youtube e tinha a ideia feita de que a banda era boa, mas lá na hora o bicho pegou! Daí sim fiquei surpreso e ainda mais entusiasmado com a vibe da banda, a manha de tocarem com um feeling legal e aquela timbreira macanuda especial que os caras do sul dos EUA sabem muito bem “fazer acontecer”. Um puta show!

O vocalista e guitarrista Charlie Starr pilota muito bem sua caixa de riffs expertos de guitarra, sua voz, bem como o seu bando, um time prá lá de competente no tempero do rock sulista de verdade. Foi phoda, fazia tempo que não curtia tanto assim um show de rock!

Desde já no aguardo para que esses caras voltem para mais shows por aqui no futuro.
Voltem logo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tom Morello, John 5 e mais confirmam shows gratuitos em Porto Alegre

Segurem essa, meus amigos: vai ter Tom Morello, John 5 e mais de graça em São Paulo e Porto Alegre em Setembro!

Os guitarristas vêm ao Brasil como parte do projeto Samsung Best of Blues, que vai fazer um festival ao ar livre com muita música boa. Na capital gaúcha, no dia 15, o evento rola no Anfiteatro Por do Sol, já na capital paulista, no dia 16, a festa acontece no Auditório Ibirapuera.

Ao lado destes dois ícones da guitarra estão também os brasileiros do Camarones Orquestra Guitarrística. A banda formada por Ana Morena (baixo), Anderson Foca (guitarra), Yves Fernandes (bateria) e Alexandre Capilé (guitarra) é conhecida por seu rock dançante instrumental e já tem seis álbuns na bagagem.

Fechando este baita line-up está Isa Nielsen, guitarrista brasileira que já tocou com o Detonator e agora faz parte do Metalmania, banda de Robertinho do Recife.

Tom Morello, que fez história com o Rage Against The Machine e agora com o Prophets Of Rage, vem ao país divulgar seu novo álbum solo, The Atlas Underground. O trabalho chega no dia 12 de Outubro e já falamos dele por aqui.

Já John 5, também conhecido como John Lowery, fez parte do grupo de Marilyn Manson e tem uma extensa carreira solo. O cara já colaborou com nomes como Slipknot, Steve Vai e Rob Zombie.

 

Tom Morello no Brasil

15/09 (sábado) – Porto Alegre – Anfiteatro Por do Sol
16/09 (domingo) – São Paulo – Auditório Ibiraquera
Horários: a definir
Entrada: os shows serão gratuitos e ao ar livre

 

 

 

 

 

 

 

 

………………………………………………………………..
*Fonte: tenhomaisdiscosqueamigos

Um rolê prá lá de rock’n roll

Hoje foi dia de acordar cedo e encarar de frente a friaca que fez pela manhã, pegar a moto e ir até Porto Alegre para visitar o amigo Vladimir. Um rolê bacana e mesmo com esse clima frio da manhã, valeu a pena. Aliás, quem curte andar de moto não 0pode ter medo de frio e calor, nem nada disso.

O bom foi que dessa vez não havia cerração no caminho. Eu e o Pretto saímos cedo e mesmo que ambos estivéssemos bem equipados para o frio, as luvas não deram conta do recado no começo. Nada que uma costumeira parada no caminho para um tradicional café, não ajudasse a superar a situação. Com isso o sol também já tomou fôlego e foi ficando mais forte. Seguimos em frente, passamos pelo templo sagrado – a Arena do Grêmio e fomos até o encontro do Vladi. Demos alguma voltas pela cidade e fomos almoçar na cidade baixa num local muito maneiro que o Vladi nos levou.

Após um farto almoço era chegada então a hora de finalmente conferirmos de perto no Barra Shopping Sul a Exposição “Beatlemania Experience”. Um evento muito bacanudo, que mostrava todas as fases da história dos Beatles. Realmente uma bela experiência pela história dessa incrível banda. Havia muitas fotos, posters, revistas e cartazes de shows da época, capas de LPs, réplicas dos instrumentos e de várias de suas roupas originais. Havia até uma sala com interação em 3D (para a pessoa se sentir como se estivesse em um show da banda), também é claro, como o esperado, diversos produtos antigos com a marca dos Beatles. Sensacional. Uma verdadeira viagem no tempo.

E tudo isso ainda num clima muito bem elaborado, com uma decoração pertinente a cada período da banda, como uma recriação do clima do The Cavern Club, bem como do Submarino Amarelo e outras tantas “referências” de locais e temas clássicos da banda andou. Sempre com muitos dados de turnês, shows e uma enorme montueira de quinquilharias dos Fab Four.

Muito bom mesmo. Essa exposição em Porto Alegre (RS), vai até o dia 12 de junho – fica a dica!

Depois disso era hora de voltarmos para casa. Nos despedimos de nosso anfitrião, marcamos novas empreitadas e assim a vida segue o seu curso. Sempre curtindo bons e divertidos momentos com os amigos, traçando novos planos e empreitadas de moto. A viagem  tanto de ida como a da volta foi tranquila. Enfim, mais um daqueles dias especiais muito bem aproveitados e que com certeza ficarão na memória, junto ao arquivo do bons momentos. Valeu!

*Abaixo algumas imgs do rolê thunde-mega-blaster-bacanudo de hoje.
Não é preciso ir longe para ser feliz.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Zakk Sabbath – Porto Alegre (Opinião – 15/11)

Em plena noite de feriado de 15 de Novembro, dia da Proclamação da República no Brasil, me junto ao amigo Montini em uma peregrinação rock’n roll ao show do Zakk Wylde no opinião, em Porto Alegre (RS). Dessa vez a empreitada tem uma jogada diferente, o Zacarias Selvagem criou num projeto chamado ZAKK SABBATH, que como o próprio nome já sugere, o “bardo” toca somente covers ou versões (como queiram), de músicas da banda Black Sabbath – mas especificamente, músicas dos primeiros álbuns da banda, da fase do Ozzy Osborne.

Em tempo, os álbuns “Pride & Glory” e “The Book of Shadows” estão provavelmente entre o meu top 10 dos álbuns que mais escutei em minha vida, daí a importância de sempre que possível assistir ao vivo ao mestre Zakk quando em Porto Alegre. Essa já foi a terceira vez (perdi uma delas).

A banda conta com o guitarrista e vocalista Zakk Wylde (Ozzy Osbourne, Black Label Society), o baixista Blasko (Ozzy Osbourne, ex-Rob Zombie) e o baterista Joey Castillo (ex- Danzig e Queens Of The Stone Age).

O show começou no horário previsto, para dizer bem a verdade, a alguns poucos minutos após a hora marcada. Bingo! Gosto disso. Isso se costumar chamar de profissionalismo. Não é normal por aqui.

Sem muita conversa o trio chega ao palco e já sai detonando, indo direto ao ponto. A banda mandou-bala em uma série de hits certeiros, não tem como errar tocar Black Sabbath para uma galera ensandecida por música pesada, como a de ontem. Tudo numa boa, banda afiada, gosto muito do Blasko no baixo, acho ele bem melhor do que o DeServio (atual baixista da banda do Zakk Wylde, o Black Label Society) e o mesmo vale para o baterista Joey Castillo, esse é muito phoda!

Não teve trégua, o show uma foi paulada após a outra, galera empolgada, noite agradável, clima bacana no Opinião (nada de treta), sem dúvida uma grande apresentação. Curti que o Zakk não tantos solos “fritados” como ele costuma fazer no B.L.S. – Tá, fez sim, mas em momentos específicos, tipo quando desceu do palco e foi para a galera e não tanto nos solos das próprias músicas by Tony Iommi).

Grande noite, grande show.
Valeu cada níquel.

*Set-list do show de ontem em Porto Alegre (Bar Opinião)

Black Sabbath
Supernaut
Snowblind
A National Acrobat
Embryo
Children of the Grave
Lord of This World
Orchid
Under the Sun/Every Day Comes and Goes
Wicked World
Fairies Wear Boots
Into the Void
Hand of Doom
(Black Sabbath cover) (with Zakk Wylde presenting band members)
Behind the Wall of Sleep
N.I.B.
War Pigs
Room of Nightmares – (Black Label Society )

*Fiz algumas fotos do show de ontem com meu celular (é do tempo em que um celular que também fazia fotos, agora as pessoas tem uma máquina fotográfica que também é um celular). Como evidentemente não ficarm muito boas, tive de pedir ajuda para meu chapa Montini, que me enviou umas imgs a mais de close.
Falow então, confira.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

The Who: show em POA está entre 5 melhores da era moderna da banda

Brian Kehew, técnico de instrumentos do The Who, escreveu no blog que mantém no site oficial da banda que o show realizado na terça-feira, 26 de setembro, “certamente está entre as cinco melhores da era moderna do The Who”. A informação foi divulgada pelo gauchazh.

“Desde o primeiro momento, a noite foi completamente elétrica – mágica”, escreve Brian. “Nada sutil sobre isso – esta foi uma das noites míticas que raramente conseguimos ver. Não apenas um show bom, ótimo – foi INCRÍVEL. Sempre há chances que algo dê errado, um aparelho quebre, uma voz falhe. Mas não em uma noite verdadeiramente mágica. A banda tinha facilmente 20 ou 30% a mais de energia do que o habitual, e tocou de maneira intensa e com uma qualidade excepcional. Roger (Daltrey, o vocalista) tem a capacidade de conquistar o público mais tímido, mas nesta noite ele teve a audiência em sua mão desde o início, e, nesta noite, eu o via sorrir tanto quanto nenhuma noite antes”.

Em outra parte da narrativa, ele conta: “Há poucos shows com tamanha força que eu vi desde que entrei para o grupo em 2002. Lembramos com carinho de um show privado no The Orpheum Theatre, em Los Angeles que pode ser um dos maiores que em qualquer década. Palacio de Deportes, em Madri, em 2006, também foi excepcional. E esta noite (Porto Alegre) foi neste nível, certamente está no top cinco dos melhores shows da era moderna do The Who”.

>> Leia o texto completo e CONFIRA VÁRIAS FOTOS (muito legais) do show de Porto Alegre, por Brian (em inglês) no link abaixo.
http://www.thewho.com/backstage-blog/anfiteatro-beira-rio-porto-alegre-brazil-september-26-2017/

12-5

…………………………………………………..
*Fonte: whiplash

 

E não é que “os caras” vieram à POA

Tem coisas boas na vida que acontecem de uma forma inesperada e assistir ao vivo a um show da banda The Who para mim, está entre elas. Na minha listinha de bandas que curto muito e que ainda “quero assistir”, nem de longe constava o nome The Who. Mas tem uma explicação lógica ou seja, como Roger Daltrey e Pete Thownshend que são os membros originais e já estão com uma idade avançada (mais de setenta anos) e nunca vieram antes ao Brasil, pensei que  essa escrita seria mantida e que jamais viriam, por imaginar que esse grupo icônico do rock já se encontrasse em vias de aposentadoria (diga-se, mais do que merecida – por tudo que fizeram). Mas não é que os caras resolvem aparecer no Brasil justo agora, depois de mais de 50 anos de banda!

Sou de alguma forma portanto muito grato ao Rock In Rio deste ano, que provavelmente tenha sido daí o estopim para essas lendas virem aportar aqui no país para uma tour. “Gracias”. E assim que era totalmente inesperado aconteceu, pude assistir a um show de uma de minhas bandas preferidas de todos os tempos.

E o The Who provavelmente não seja a banda mais conhecida por aqui, imagino que dos grandes nomes do rock inglês dos 70’s – prá mim a época de ouro do rock –  Led Zeppelin, Black Sabbath e Deep Purple (essas duas últimas já estiveram por aqui – E eu assisti!), sejam mais cultuadas. Mas eu sempre vi o the Who como a banda de rock mais íntegra de TODAS, até porque não se venderam aos modismos em meio à todas as ondas do rock como muitas bandas o fizeram (o punk e a disco music nos 70’s / hard rock nos 80’s / grunge nos 90’s…) e seguiram sempre em frente mesmo aos percalços com a morte dos importantíssimos membros da banda, Keith Moon (com certeza o rocker mais maluco do planeta) e John Entwistle (um dos melhores baixista do rock), sem lançarem nos álbuns nos últimos anos e meio que passarem incólumes pela época da MTV. Os caras mantiveram o rumo mesmo sem novos álbuns, mas simplesmente fazendo o que gostavam, shows e mais shows ao vivo ao longo dos anos sem um desgaste com turnês enormes mundo afora. Talvez aí resida na verdade o segredo da banda, de que mesmo com uma idade já generosamente avançada se comportem como uns garotos quando tocando no palco! Passam a nítida ideia de uma banda que mesmo depois de tantos anos, ainda se divertem ao tocarem ao vivo. E isso não é para qualquer um.

Serei eternamente grato pela oportunidade de assistir a essa incrível banda que sem dúvida escreveu muitas das regras e histórias mais fantásticas do rock. Ao mesmo tempo também compreendo um certo descaso das novas gerações para com a banda, muito em função de sua longevidade em relação as constantes mudanças de mentalidade no transcorrer da vida no tempo.

Sobre o show o que posso dizer é que eu e os primos Kern saímos de V.Aires na tardinha, uma viagem tranquila e sem pressa de chegarmos no estádio Beira Rio até porque nem estávamos empolgados em assistir ao show de abertura da banda Def Leppard (que no final nem assistimos e diga-se, não fez a menor falta). Fomos sem ingresso algum no bolso, só na cara e na coragem. Depois conseguimos com cambistas os ingressos de pista por um bom preço.

Ainda rolou de encontrar com o jornalista Roger Lerina, de quem sempre me tiram onda dizendo que sou bem parecido. Não acho isso, mas enfim. Claro que não perdi então a oportunidade e assim comentei isso com ele, que gentilmente se dispôs a fazer foto junto comigo. Taí um cara gente fina prá caramba!

No palco a banda super afiada com os velhinhos detonando, Daltrey com os giros de microfone, Townshend com seu braço erguido na sua palhetada furiosa de guitarra, Zak Starkey (filho do Ringo), sem dúvida um grande baterista e tudo ainda com ótimo som de PA. Curti bastante também as imagens e as artes que apareciam nos telões, incrível.  Apresentaram um repertório parecido com o que trocaram no R.I.R. mas numa ordem diferente, que aliás me pareceu muito melhor. Claro que delirei com tudo isso e vai ficar para sempre na memória esse momento mágico do The Who, ainda mais quando tocaram “Who Are You”, “My Generation”, “Wizard Pinball”, “Babba O’Riley” e a mais phodástica de todos os tempos… “Won’t Get Fooled Again”.

PQP. Que show!

 

Set list do show do The Who em Porto Alegre:

I Can’t Explain
The Seeker
Who Are You
The Kids Are Alright
I Can See for Miles
My Generation
(With “Cry If You Want” Snippet)
Bargain
Behind Blue Eyes
Join Together
You Better You Bet
I’m One
The Rock
Love, Reign O’er Me
Eminence Front
Amazing Journey
Sparks
Pinball Wizard
See Me, Feel Me
Baba O’Riley
Won’t Get Fooled Again

Encore:
5:15
Substitute

*Abaixo algumas imagens do show do The Who em Porto Alegre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Bon Jovi e The Who em Porto Alegre (set/2017)

Após anunciar shows em São Paulo e no Rock In Rio, Jon Bon Jovi e sua ‘trupe’ estão a poucos dias de anunciar o seu primeiro show em Porto Alegre. A apresentação dos estadunidenses será no dia 19 ou 20 de setembro, no Estádio Beira Rio.

Já os britânicos do The Who tocarão no dia 26, no mesmo estádio (em formato anfiteatro). Está será a primeira vez das duas bandas em Porto Alegre. O Bon Jovi já esteve sete vezes no Brasil, uma delas passou por Curitiba. E o The Who, com mais de 50 anos de carreira, nunca esteve no país. O anúncio oficial deverá ser feito está semana, pela produtora local.

A tour do The Who pela América Latina está assim: São Paulo Trip (21/09), Rock in Rio (23/09), Porto Alegre (26/09), Buenos Aires e Santiago (também com Guns N’ Roses). Já Bon Jovi se apresenta em Santiago, Chile (14/09), em Buenos Aires, Argentina (16/09), em Porto Alegre (20/09) no Rock in Rio (22/09) e no festival São Paulo Trip (23/09).

BON JOVI
Bon Jovi é uma banda estadunidense de hard rock, formada em 1983 no estado de Nova Jérsei. Até hoje, já foram vendidas mais de 130 milhões de cópias de seus trabalhos. Em turnês, o grupo já passou pelos cinco continentes e. O grupo é o pioneiro na gravação de álbuns acústicos no estilo do MTV Unplugged.

THE WHO
The Who é uma banda de rock britânica surgida em 1964. A formação original era composta por Pete Townshend (guitarra), Roger Daltrey (vocais), John Entwistle (baixo) e Keith Moon (bateria). O grupo alcançou fama internacional, se tornou conhecido pelo dinamismo de suas apresentações e passou a ser considerado uma das maiores bandas de rock and roll de todos os tempos. Eles também são julgados pioneiros do estilo, popularizando entre outras coisas a ópera rock (principalmente com Tommy).

 

*Obs: o blog está pouco se lixando para o show do Bon Jovi – queremos mesmo é saber do “The Who” e ainda até, quem sabe, da vinda do The Cult para Porto Alegre ainda este ano.

………………………………………………………
*Fonte: nopalco

Futebol americano no Beira Rio

A prova de que o Campeonato Gaúcho de Futebol Americano está crescendo, é a de que o jogo da final deste ano será realizada no Estádio Beira Rio, em Porto Alegre. Atualmente 10 times disputam o título gaúcho. Dê força ao esporte, incentive, torça, vá aos jogos e participe!

FutebolAmericano_RS2016pp

 

 

 

 

 

 

 

*Foto: ZH

Hoje é dia de Rolling Stones em Porto Alegre – RS

Um dia especial para o Rio Grande do Sul e mais ainda, para Porto alegre, uma das cidades mais roqueiras deste país (se fizermos uma média populacional). Dia de entrar para a história, assim como de tantas outras vezes anteriores com outros artistas de renome internacional, mas hoje é a vez dos dinossauros, dos criadores e disseminadores da cultura pop rock’n roll – The Rolling Stones!

Lamento não ter a oportunidade de hoje ir lá ($$$) assistir a este show, antes mesmo de acontecer já sei, nós já sabemos, de que vai ser uma enorme celebração. Um puta show para falar a verdade.

Desejo um ótimo show para todos, principalmente para meus parentes e amigos que estão por lá a essas alturas (o que já vi de fotos do Beira Rio hoje no Facebook e Instagram, isso antes mesmo de começar o show propriamente dito… báh!!!).

the-rolling-stones_poster

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

RollingStones_POA_2016pp

David Gilmour – Porto Alegre

Como não tive condição e portanto, não fui no show do David Gilmour (Pink Floyd), não tenho a mínima condição de comentar alguma coisa, então vou deixar aqui o link para o belo texto de Ariel Fagundes (fotos: Rafael Rocha), afinal uma lenda do rock dessa magnitude, se apresentando no Brasil e mais especialmente aqui no sul, em Porto Alegre, merece todo destaque.

*Em tempo! Acho muito afudê essa Telecaster “super-ultra-mega-thunder-vintage-até-us-óio” do David Gilmour. Que guitarra!

*Lei o referido texto publicado na NOIZE:
>> “David Gilmour, a humildade de um gigante”  –  http://noize.com.br/resenha-david-gilmour-porto-alegre/#1

gilmour_poa_2015-1

 

 

 

 

 

 

 

gilmour_poa_2015-2

Rolling Stones confirmadaços no Brasil em 2016

E então, eis que finalmente se fez a luz e o que era inicialmente apenas uma promessa, virou fato! Os Rolling Stones voltarão MESMO ao Brasil para realizarem 4 shows em 2016. Vambora. Confira abaixo as datas:

  • 20 de fevereiro – Rio de Janeiro (Estádio do Maracanã)
  • 24 e 27 de fevereiro – São Paulo (Estádio do Morumbi)
  • 2 de março – Porto Alegre (Estádio Beira-Rio)

RS_BR2016

 

 

David Gilmour em POA

David Gilmour, guitarrista do Pink Floyd, anuncia a primeira turnê pela América do Sul para apresentar o novo álbum Rattle That Lock. O show histórico do vocalista e guitarrista do Pink Floyd ocorre em Curitiba no dia 14 de dezembro, na Pedreira Paulo Leminski e em Porto Alegre no dia 16 de dezembro, na Arena do Grêmio.

Ingressos à venda a partir do dia 10 de setembro pelo site Blueticket.com.br ou nas lojas Multisom Bourbon Ipiranga, BarraShoppingSul e Andradas, 1001.

david_gilmour_PoA