Dusty Hill (ZZ Top) R.I.P.

Hoje faleceu o baixista Dusty Hill (72 anos), da banda ZZ Top, uma das bandas preferidas de todos os tempos e que sempre foram uma grande referência musical para mim. Rock básico, direto e sempre com um feeling danado, calcado nas raízes do blues, o que sempre acaba por me fisgar. Triste isso, já que significa que num mundo pós pandemia – sendo que já haviam anunciado recentemente nos EUA uma tournê – de que não poderemos mais assistir ao ZZ Top ao vivo, em sua formação clássica – aliás, única!
Se a banda vai seguir em frente ou encerrar, não se sabe. Ainda é muito cedo para tais especulações. Billy Gibbons lançou não faz muito tempo um álbum solo, mas já haviam rumores de que a banda estaria selecionando alguns materiais para um novo álbum. Vamos aguardar e ver o que acontece.

Na lembrança fica o excelente show que assisti ao vivo da banda em Porto Alegre (RS) / 2010. Thanks God!

Descanse em paz Dusty Hill. Grato mestre!

 

The Black Crowes – de novo ao vivo

E o Black Crowes já está na estrada outra vez e já com shows ao vivo. Confere o vídeo abaixo!
Se estou contente? Sim! Ainda espero um dia ter a chance de assisti-los ao vivo (e que belo dia será isso!!!!).
Mas claro, isso agora ocorre em pleno 2021 e num país onde as pessoas já estão com a vacinação bem adiantadas e tal, não confundam as coisas. Ainda não é na vibe “tudo normal outra vez” – calma.
Mas a coisa já está acontecendo.

Música inédita de Cazuza chega às plataformas digitais

Uma canção inédita de Cazuza acaba de ser disponibilizada para as plataformas de streaming. “Mina” é apresentada aos fãs junto de um videoclipe animado por Humberto Barros.

A composição é uma parceria com George Israel e Nilo Romero e ficou de fora da seleção de repertório do álbum Só se for a 2, de 1987.

Para a letra de “Mina”, Cazuza teve como inspiração uma confusão criada em um bar de Araxá-MG, quando o artista defendeu uma garota de um “cara que achava que era seu dono”.

Nilo lembra dessa episódio: “Saímos para comer uma pizza e a determinada altura apareceu um cara querendo mandar numa das meninas que estava ali. ‘Esse aí me viu crescer e acha que é meu dono’, ela disse. Lá pelas tantas, o cara pegou uma faca, Cazuza defendeu todo mundo, jogou uma mesa nele, o segurança chegou… Um tempo depois, veio ‘Mina’”.

A canção, que Nilo destaca como contendo “a marca de originalidade que Cazuza de crônicas da noite ácidas, viscerais”, chegou a ser lançada por Leo Jaime, em 1990, em 2007 pelo próprio George Israel.

…………………………………………………………………………..
*Fonte: radiorock

Charlie Starr – Parabéns!

Hoje o rocker aniversariante do dia é Charlie Starr, da banda Blackbarry Smoke, que diga-se com toda satisfação possível, um dos melhores shows que eu já assisti ao vivo. Sabe aquele show que tu quer que nunca mais acabe.
Pois é, valeu Charlie & Cia. – Keep on rock!

Esse baixinho manja muito dos paranauês nas seis cordas, taí um cara que tem todo meu respeito e admiração. Esse sabe muito bem o que faz! Felicidades, man.

Scott Weiland: cinebiografia sobre vocalista está em produção

Um novo filme sobre a história do falecido vocalista do Stone Temple Pilots e Velvet Revolver Scott Weiland está em produção, segundo informações do Hollywood Reporter.

A produtora Dark Pictures está preparando um longa baseado na biografia Not Dead & Not for Sale de Weiland. De acordo com a matéria do Hollywood Reporter, o co-fundador da Dark Pictures, Jennifer Erwin, é um grande fã de Stone Temple Pilots e irá supervisionar a adaptação. Erwin escreveu o roteiro de Blink e está trabalhando em uma série de TV intitulada Bad Land.

“É uma honra poder contar a história de Scott e poder apresentar um lado desconhecido dele – o amoroso e carinhoso homem que ele era, o atleta e a alma melancólica que tinha”, disse Erwin em uma declaração à imprensa.

Informações sobre o longa devem ser divulgados em breve.

Scott Weiland
O vocalista entrou para o Stone Temple Pilots nos anos 1990, mas sua luta contra seu vício fez com que ele se afastasse da fama. Weiland acabou se separando do grupo e, mais tarde, se juntou ao Velvet Revolver em 2002. Junto com Slash, Duff McKagan e Matt Sorum, ele fez história com dois álbuns de estúdio.

Em 2008 ele voltou ao Stone Temple Pilots para sair em uma turnê com o grupo, que durou até 2013. Weiland saiu novamente da banda mas dessa vez ele focou em sua carreira solo até dezembro de 2015, quando faleceu durante uma turnê. Ele tinha 48 anos.

…………………………………………………………………………………..
*Fonte: wikimetal