Dicas para acabar com o mofo no guarda-roupa

Existem jeitos simples de se evitar o mofo e remover as manchas das roupas mofadas.

Com a umidade nos deparamos com o mofo no guarda-roupas e nas peças guardadas. Resolver essa questão é simples, veja as dicas abaixo e escolha a que se aplicar melhor ao seu caso.

– Sempre que possível, deixe as portas do guarda-roupa abertas para que entre ventilação.

– Coloque as roupas de frio no sol durante o verão ou lave-as.

– Pelo menos uma vez ao mês, tire as roupas e limpe o armário com água e vinagre para evitar fungos e retirar possíveis manchas de mofo.

– Coloque um pote com bicarbonato de sódio, cal ou gesso dentro do guarda-roupa. Troque-o a cada seis meses.

– Coloque pedaços de algodão embebidos em essência de terebintina nos cantos e gavetas.

– Use produtos antimofo durante a faxina.

– Para eliminar a umidade, deixe um pedaço de giz em cada prateleira.

– Faça sachês com cravo-da-índia: basta colocar os cravos em um tecido fino e fechar o saquinho utilizando uma fita. Renove o sachê a cada três meses.

– Uma receita simples e bem conhecida é misturar água com água sanitária ou vinagre branco, na proporção de um para um. Basta passar a composição com um pano nos armários, gavetas, paredes e cômodas.

Roupas já manchadas?
Há inúmeras dicas caseiras para evitar o problema, mas caso a sua roupa já esteja manchada veja duas formas de resolver, de acordo com a cor do tecido:

– Roupas coloridas: Mergulhe tecidos coloridos em leite fervente até a mancha desaparecer.

– Roupas brancas: Deixe o tecido de molho em água quente com sal.

………………………………………………………………

*Fonte: ciclovivo

Pesquisadores criam jaqueta que gera energia solar

Modelo inclui painéis solares ultrafinos e embutidos que não comprometem o estilo da peça.

Em um futuro próximo, poderemos carregar o smartphone com nossa própria roupa. Pesquisadores de design e física da Universidade finlandesa Aalto já conseguiram o feito – ao menos de modo experimental. O grupo criou uma jaqueta exclusiva com painéis solares embutidos.

Diferentemente de outras roupas capazes de gerar energia solar já desenvolvidas, o novo trabalho em nada comprometeu a aparência da peça.

“A maneira tradicional de integrar fotovoltaicos com têxteis é anexar células solares na superfície frontal de um têxtil para garantir o máximo aproveitamento de energia”, explica a equipe da Universidade Aalto. O objetivo era fazer justamente o oposto: criar uma peça elegante com painéis solares ocultos.

Este detalhe pode parecer bobagem para alguns enquanto para outros é essencial. Quem é dos “primórdios” da internet e das discussões ambientais que ocorrem neste meio deve se lembrar do famoso tumblr: “é sustentável, mas é horrível”. Enfim, aqui não há este problema, pois a tecnologia é invisível a olho nu. A solução é inspirada nas fachadas de edifícios que possuem painéis fotovoltaicos integrados.

Para otimizar a captação de energia, foi escolhido um tecido que permite a passagem de luz. Os painéis solares ultrafinos podem ser incorporados a praticamente qualquer tecido – o que inclui algodão, linho, viscose e poliéster – bastam que sejam costurados entre duas camadas de tecido. E detalhe importante: o têxtil produzido é lavável à máquina.

No experimento do produto, a energia das células solares foi transferida para dispositivos vestíveis (wearables) por meio de fibras condutivas incorporadas à roupa. O painel solar foi projetado para ser muito fino e flexível. À Fast Company, Elina Ilén, principal líder deste projeto, afirma que com quatro a seis horas ao sol o material é capaz de carregar totalmente um smartphone.

Outro ponto importante é que a tecnologia é, por escolha, separada do tecido para que, ao fim da vida útil, ambos possam ser encaminhados à reciclagem.

Além do estiloso casaco, os pesquisadores veem um futuro promissor para a aplicação da tecnologia em uniformes de trabalho, roupas esportivas e ainda na indústria de cortinas.

Intitulado Sun-Powered Textiles, o projeto com peças que usam a tecnologia foi exibido na exposição online Designs for a Cooler Planet como parte da Helsinki Design Week.

*Por Marcia Sousa
……………………………………………………………………
*Fonte: ciclovivo

Dicas para acabar com o mofo no guarda-roupa

Com a umidade nos deparamos com o mofo no guarda-roupas e nas peças guardadas. Resolver essa questão é simples, veja as dicas abaixo e escolha a que se aplicar melhor ao seu caso.

– Sempre que possível, deixe as portas do guarda-roupa abertas para que entre ventilação.

– Coloque as roupas de frio no sol durante o verão ou lave-as.

– Pelo menos uma vez ao mês, tire as roupas e limpe o armário com água e vinagre para evitar fungos e retirar possíveis manchas de mofo.

– Coloque um pote com bicarbonato de sódio, cal ou gesso dentro do guarda-roupa. Troque-o a cada seis meses.

– Coloque pedaços de algodão embebidos em essência de terebintina nos cantos e gavetas.

– Use produtos antimofo durante a faxina.

– Para eliminar a umidade, deixe um pedaço de giz em cada prateleira.

– Faça sachês com cravo-da-índia: basta colocar os cravos em um tecido fino e fechar o saquinho utilizando uma fita. Renove o sachê a cada três meses.

– Uma receita simples e bem conhecida é misturar água com água sanitária ou vinagre branco, na proporção de um para um. Basta passar a composição com um pano nos armários, gavetas, paredes e cômodas.

Roupas já manchadas?

Há inúmeras dicas caseiras para evitar o problema, mas caso a sua roupa já esteja manchada veja duas formas de resolver, de acordo com a cor do tecido:

– Roupas coloridas: Mergulhe tecidos coloridos em leite fervente até a mancha desaparecer.

– Roupas brancas: Deixe o tecido de molho em água quente com sal.

 

…………………………………………………………….
*Fonte: ciclovivo

Série Blusão de Natal #07

blusanatal_x81

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x61

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x65

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x89

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x84

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x85

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x86

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x63

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x69

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x64

Série Blusão de Natal #02

blusanatal_x05

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x07

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x19

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x25

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x04

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x08

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x48

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x53

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x14

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x12

Série Blusão de Natal #01

Se as lojas já estão (como de costume – precoces), com suas decorações de natal, então por aqui também já tem também clima de natal. Em breve post de Páscoa e São João também.

blusanatal_x01

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x02

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x03

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x16

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x28

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x24

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x11

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x47

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x22

 

 

 

 

 

 

 

 

 

blusanatal_x31

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Adolescentes rebeldes ameaçam gigantes de roupas nos EUA

Nova York – Há dois anos, o CEO da Aéropostale, Julian Geiger, compartilhou sua visão sobre o cliente adolescente.

“Hoje o adolescente quer se encaixar”, disse ele aos analistas. “Eles querem se encaixar usando roupas que fazem com que eles se sintam seguros. Se a marca Aéropostale promete algo, é que o adolescente pode usar nossas roupas, ir à escola e não ser alvo de provocações por sua aparência.”

No fim das contas, ele estava errado. Após décadas de batalhas com as rivais Abercrombie & Fitch e American Eagle, marcas que perceberam que a normalidade já não vendia mais e tentaram se reposicionar, a Aéropostale redobrou sua aposta e acabou sendo a principal derrotada na guerra da moda adolescente.

De modo mais amplo, a queda desse gigante americano serve de advertência para outras lojas, como Gap e sua unidade Banana Republic: hoje em dia, não só os adolescentes do país gostam de se destacar — os pais também.

Em 2011, a Aéropostale era um sucesso. As vendas anuais atingiram o pico de US$ 2,4 bilhões e a companhia era rentável. De repente, tudo desmoronou.

Adolescentes inconstantes não queriam ser propagandas ambulantes dos logotipos das marcas. Eles convergiram para lojas mais modernas, como Forever 21 e H&M, para comprar roupas com mais personalidade.

Ninguém quer ser alvo de gozação, obviamente. Mas isso não venderá roupas se os adolescentes acharem que é pior ser ignorado.

A Aéropostale ficou presa em uma armadilha. Os adolescentes não queriam mais usar logotipos, mas a Aéropostale perdeu sua identidade sem seu logotipo.

Justina Sharp, blogueira de moda de 19 anos, disse que quando os logotipos saíram da moda, não havia nada de único na Aéropostale que atraísse os adolescentes.

“A Aéropostale parece o lugar onde sua mãe te leva para fazer compras antes de voltar às aulas”, disse Sharp. Um porta-voz da Aéropostale não fez comentários imediatamente.

‘Nós mudamos’

Em 2014, Geiger, ex-presidente da loja de cupcakes Crumbs, foi nomeado para salvar a Aéropostale.

Ele tentou encontrar um ponto intermediário positivo, com a venda de roupas da moda e também de moletons e camisetas básicas que caracterizaram a Aéropostale nos dez anos anteriores.

Ele mudou o nome da loja para Aéro, com propagandas que prometiam aos adolescentes que “nós mudamos”. Os executivos disseram que estavam tentando atrair a “menina moleque paqueradora”, uma garota de 14 a 17 anos.

Em uma teleconferência de divulgação de resultados no começo do ano passado, Geiger estava cheio de otimismo.

“A volta às aulas será um período fundamental em que todos nós veremos quão longe chegamos no ressurgimento de uma das grandes marcas dos EUA para os jovens”, disse ele.

A volta às aulas foi um desastre. A Aéropostale pediu recuperação judicial antes das férias de verão do Hemisfério Norte.

Jamie Salter, CEO da Authentic Brands Group, empresa de administração de marcas responsável por ressuscitar a Aéropostale, disse que buscará “expandir a marca Aéropostale em uma escala global”.

Como isso acontecerá é a grande pergunta, e não apenas para a Aéropostale. As maiores marcas de roupas dos EUA também estão tentando descobrir como fazer isso.

……………………….
*Fonte: exame

aeropostale

Por que os milionários usam a mesma roupa todos os dias?

Embora o avanço da moda seja algo inexorável, uma tendência minimalista, já batizada de guarda-roupa em capsula, vem ganhando cada vez mais espaço: trata-se, como o nome sugere, de manter em seu armário apenas 10 ou 15 roupas e acessórios básicos, mas muito usados. Muitas vezes as pessoas de sucesso optam por esse estilo. Um caso bem conhecido é o do fundador do Facebook, Mark Zuckerberg.

Mas por que, com tanto dinheiro, optar pelo básico?

Nós, do Incrível.club, vamos tentar explicar.

1. Menos decisões. Quanto mais decisões você tem de tomar, em geral, pior a qualidade dessas decisões. Essa é uma opinião de Zuckerberg. Para pessoas como ele e tantos executivos, que têm de tomar muitas decisões importantes no trabalho, eliminar questões pequenas, como que tipo de roupa vestir, representa mais tempo livre e mais espaço na cabeça para se ocupar com outros pensamentos. Mark é conhecido por usar camisetas, mas o raciocínio vale para executivos que possuem poucos, mas bons ternos.

2. Menos investimento em termos de tempo. Não somos capazes de notar quanto tempo dedicamos à escolha de nossas roupas até que deixemos de pensar nisso. Há cinco anos, foi realizado em Moscou um teste batizado de ’333′. Durante 3 meses, voluntários foram autorizados a usar somente 33 peças de roupa. Os participantes relataram que, com isso, passaram a economizar tempo e a se arrumar mais facilmente para ir ao trabalho.

3. Menos stress. Como destaca a diretora de arte Matilda Kahl, de Nova York, quem adota o guarda-roupas cápsula se preocupa menos com roupas ao longo do dia. Deixam de pensar em questões como «será que estou muito formal?» ou «este sapato é adequado para a ocasião?». Matilda afirma: «Quase sempre me arrependia do que estava usando já no momento em que entrava no metrô». Hoje, usando uma camisa branca de seda e uma calça preta, a diretora tem uma preocupação a menos todos os dias.

4. Você gasta menos energía. O diretor Christopher Nolan (de ’Batman Begins’), adepto da tendência, lembra que escolher a roupa toma energia, mas manter um guarda-roupa com muitas roupas também toma um tempo danado. É preciso lavar a roupa, secá-la, passar, etc. Ok, você pode ter quem faça isso, mas não se esqueça que, mesmo essas pessoas poderiam estar lhe ajudando com outras tarefas.

5. Menos roupas, mais qualidade. Muitas vezes um guarda-roupa grande não significa que você use tudo que está lá. «Antes, meu guarda-roupas era como um enorme restaurante por quilo: a variedade de itens era enorme e gerava uma enorme confusão», diz uma jovem mãe. «E não me sentia confortável com a maior parte das roupas. Hoje, ele é como um restaurante fino: cardápio enxuto e de qualidade. Tenho poucas roupas, mas sei que cada uma delas é perfeita. Me visto melhor, me sinto melhor.»

6. Você vai transmitir estabilidade. A escritora Alice Gregory, de Nova York, diz: «Usar o mesmo estilo diariamente é uma forma econômica e fácil de sentir-se famoso. Vestir-se bem e da mesma forma mostra amadurecimento, estabilidade e valores. É por isso que os personagens de livros infantis sempre vestem a mesma roupa; eles são um exemplo a seguir».

7. Menos gastos. Vamos falar sério: muitas vezes mantemos em nossos armários roupas que jamais vamos usar. Já pensou em quanto isso pesa no seu bolso?

………

*Fonte/Texto: incrivelclub

vestirseigualsempre

Levi’s anuncia calças feitas com restos de redes de pesca e carpetes

A Levi’s já ficou conhecida por suas ações em prol de melhorias ambientais. Além de reduzir o consumo de água no processo de fabricação das roupas e incentivar que os clientes também sejam mais conscientes, agora a marca norte-americana lançou um novo tipo de calça jeans. A linha, apelidada de que compõe a coleção 522, é fabricada com resíduos de carpete e redes de pesca reciclados.

De acordo com o informativo oficial da empresa, a novidade é fruto de uma parceria com a Aquafil, uma marca italiana especializada na fabricação de nylon sustentável. A nova coleção será fabricada com o nylon Econyl, feito inteiramente a partir de resíduos reaproveitados.

“Essa nova parceria é uma prova verdadeira de que materiais sustentáveis podem ser usados para melhorar a forma como os produtos são tradicionalmente feitos”, disse o CEO da Aquafil, Giuliu Bonazzi, em comunicado à imprensa.

A coleção 522 da Levi’s será feita com 61% de algodão, 38% Econyl e 1% elastano. As calças já estão disponíveis para venda on-line, mas a marca ainda não informou se pretende expandir a utilização deste material para outras peças.

*Fonte: CicloVivo

levis_jeans_nylon