40 anos depois, Rush lança clipe em animação para o clássico “YYZ”

Como parte das comemorações dos 40 anos do lendário disco Moving Pictures, o Rush lançou um vídeo de animação para sua icônica faixa instrumental “YYZ”.

O oitavo álbum de estúdio do trio ganhará uma reedição deluxe no dia 15 de Abril para celebrar este marco tão importante. O material será disponibilizado em sua versão para o streaming e também em diversos formatos físicos, com diferentes configurações que incluem até mesmo o novo clipe

Os membros remanescentes do Rush, Geddy Lee e Alex Lifeson, dublam dois policiais que aparecem ao final do novo vídeo, produzido pela Fantoons Animations Studios.

Rush celebra 40 anos de “Moving Pictures”
A edição Super Deluxe de 40 anos de Moving Pictures incluirá três CDs, um disco Blu-ray Audio e cinco LPs de vinil preto de alta qualidade de 180 gramas (via Rádio Rock).

O conjunto também apresenta a edição remasterizada do álbum Abbey Road Mastering Studios 2015 pela primeira vez em CD e um registro inédito de um show em Toronto, realizado no Maple Leaf Gardens em 25 de Março de 1981.

Além disso, a nova edição do trabalho do Rush conta com dois discos de conteúdo ao vivo bônus inédito e recém-restaurado, mixados pelo produtor original da banda, Terry Brown, a partir da gravação original analógica ao vivo multi-faixas do show de Ontário.

Rush não voltará a tocar
Apesar de muitos fãs torcerem pelo retorno da banda, Alex Lifeson, guitarrista e membro fundador do grupo, deixou bem claro no ano passado que “não há como o Rush voltar a existir” sem a presença do saudoso baterista Neil Peart, que faleceu em Janeiro de 2020.

Por Lara Teixeira
…………………………………………………………………….
*Fonte: tenhomaisdiscosqueamigos

Rush: Geddy Lee e Alex Lifeson se reúnem para lançamento hilário de cerveja da banda

Alex Lifeson e Geddy Lee, integrantes do lendário Rush, se juntaram para divulgar o lançamento da próxima parceria da banda com a cerveja Henderson Brewing, de Toronto.

A novidade sobre a bebida batizada de Rush Canadian Golden Ale foi anunciada através de um engraçado teaser estrelado pelos músicos. Lifeson aparece como um “Cientista da Cerveja”, enquanto Lee é o “Consumidor de Cerveja”.

No vídeo, o guitarrista aponta que eles experimentaram “20 cervejas diferentes” antes de escolherem três sabores. No site da banda, Alex descreveu alguns detalhes sobre a bebida final:

A Rush Canadian Golden Ale tem uma cor dourada e uma densa ponta de marfim. Apresenta um aroma terroso com notas de casca de laranja, pinho e centeio picante. Embora a ênfase seja no refresco, há elementos de pinho, centeio e um sabor de lúpulo cítrico que aumentam a complexidade sutil da cerveja.

Além da cerveja, a banda lançará uma blusa com a arte do rótulo da nova bebida. Em sua descrição, o grupo diz:

Os livros são para turistas. Cerveja é para gênios. As camisetas da cerveja Rush são para pessoas ainda mais inteligentes. […] Esta camiseta não vai deixar você bêbado, mas você pode ficar bêbado com ela.

A nova Golden Ale da banda está prevista para ser lançada em todo o Canadá em 30 de Agosto e você pode conferir abaixo o ótimo e engraçado teaser sobre a cerveja.

……………………………………………………………………………………
*Por Lara Teixeira / Fonte: tenhomaisamigosquediscos

Neil Peart (Rush) – R.I.P.

A nota triste de hoje foi a do falecimento de Neil Peart (Rush), aos 67 anos, vítima de um câncer no cérebro. Segundo a nota, o músico foi diagnosticado com a doença há 3 anos.
Peart era considerado um dos baterista mais técnicos da história do rock.
Também era um verdadeiro aficionado por motocicletas e bicicletas, tanto que escreveu 7 livros sobre o assunto e suas várias viagens em duas rodas pelo mundo.

Descanse em paz mestre!

 

 

 

 

 

 

O Grande Livro de Baixo de Geddy Lee

O baixista do Rush, Geddy Lee, está explorando a história de seu instrumento em um livro que está por vir.

O Grande Livro de Baixo de Geddy Lee será publicado em 4 de dezembro, e conta as histórias por trás de 250 baixos famosos e raros, bem como entrevistas com alguns dos mais famosos músicos do instrumento.

Lee passou sete anos trabalhando em Big Beautiful Book of Bass, de Geddy Lee. Ele convocou Richard Sibbald especialmente para fotografar uma grande variedade de baixos, desde aqueles que passaram por anos de uso em palcos ao redor do mundo até instrumentos únicos que mal foram tocados, completos com os pensamentos de Lee sobre eles. Sua própria coleção de baixo, que inclui instrumentos feitos nos anos 50, também é mostrada, mostrando aqueles usados ​​na turnê R40 do Rush e detalhando suas configurações de palco e estúdio de toda a sua carreira.

“Nos últimos sete anos, Geddy se dedicou a estudar a história do instrumento que foi tão essencial para sua carreira, colecionando centenas de baixos de todo o mundo, dos quais 250 são apresentados aqui em detalhes de tirar o fôlego com ótimas fotografias. Completo com comentários pessoais de Geddy que mostra seu conhecimento tanto como músico e aficionado, este volume produzido de forma luxuosa é um olhar revelador sobre os pesos pesados no mundo do baixo-Fender, Gibson / Epiphone, Rickenbacker, Höfner, Ampeg – e luthiers globais menos conhecidos, mas influentes, como Antonio Wandr Pioli, Dan Armstrong e Tony Zemaitis. “

O seu colega de banda, Alex Lifeson, escreveu um dos prefácios do livro; Há também comentários de outros músicos.

Essa não é a única coisa que os fãs do Rush devem esperar. A banda também terá seu próprio Funko Pop! Figuras que caracterizam os três membros em seus trajes de palco dos anos 70, com Lee vestindo um quimono adornado por um dragão e o baterista Neil Peart com um bigode.

……………………………………………………………
Fonte: ultimateclassicrock

Um pouco mais de RUSH por aqui

Um pouco de RUSH da época das músicas mega-thunder-loooongas-elaboradas-técnico-masturbativas e dos hobbys de seda de gosto duvidoso. E por incresça que parível, é justamente nessa fase que tem lá o Geddy Lee rosnando aquele maravilhoso Rickenbacker 4003 preto, que virou uma espécia de marca registrada de seu som e da banda. Báh! que baixo, que sonzeira.

*Em tempo! Gosto do RUSH, é uma banda com músicos virtuoses (não que isso seja muito importante prá mim), são uma das GRANDES bandas da história do rock, com trabalhos e características singulares e os admiro prá caramaba não somente como músicos mas também como pessoas inteligentes e bem focadas, superando inúmeras adversidades ao longo de sua prolífica carreira. Mas o que eu não curto mesmo são duas fases distintas, primeiro na época onde começaram a ficar viajandões “demais”, com muitos preâmbulos, farfalhonices e malabarismos musicais – (vide Farewell to Kings / Hemispheres) e depois nos 80’s quando os teclados e sintetizadores passaram a dominar na banda. Fora isso, tudo maravilha.

E por isso mesmo resolvi colocar aqui vídeos de uma fase que justamente eu não curto, até para descargo de conciência.