Arquivo da tag: saúde

Três ingredientes que não deveríamos colocar no café

Os brasileiros adoram café e isso não é nenhum segredo. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 8 em cada 10 brasileiros consomem a bebida, sendo que a média nacional de consumo é de 3 a 4 xícaras por dia, segundo a Associação Brasileira da Indústria do Café (ABIC). Este hábito, longe de ser prejudicial, se enquadra nos limites recomendados (2 ou 3 xícaras no máximo, segundo o The New England Journal of Medicine), e pode ser benéfico para a saúde.
Três ingredientes que não deveríamos colocar no café

A mesma publicação científica vincula a ingestão prudente de café a uma redução de 10% no risco de morte por doenças cardíacas, respiratórias, derrames e diabetes e infecções. Há exceções, é claro, como no caso dos hipertensos. Em geral, ainda que as orientações clínicas não sejam contundentes a respeito, recomenda-se moderar o consumo de café nas pessoas muito tensas. Apesar de alguns estudos não terem revelado que o consumo moderado aumente a tensão em longo prazo, realmente parece que altas concentrações podem elevá-la, assim como provocar um aumento momentâneo depois de sua ingestão. Por isso os médicos aconselham uma redução do consumo nestes casos.

“A presença de cafeína e antioxidantes pode melhorar o funcionamento cognitivo, o sentido da sensibilidade, assim como o processo de digestão”, afirma Alícia Aguilar, professora de Estudos da Ciência da Saúde e diretora do Mestrado em Nutrição e Saúde da UOC, que acrescenta que “até pode ser eficaz contra alguns problemas coronários, diabetes mellitus, Mal de Parkinson e Alzheimer e alguns tipos de câncer”. Os dados ainda não são conclusivos, pois se baseiam na observação e os estudos controlados apenas começaram.

Muito bem, realmente há efeitos positivos atribuídos ao consumo de café puro, sem ter sido adulterado por outros alimentos como leite e açúcar. Mas não é a mesma coisa tomar uma xícara de café puro do que fazê-lo com um pouquinho de leite e duas colheres de açúcar, e repetir esse gesto três, seis ou dez vezes ao dia. Nesse sentido, Aguilar afirma que “o ideal não tem de ser necessariamente tomá-lo puro, mas tudo depende do tipo de alimentação que temos no restante do dia”.

 

Açúcar: pouco pode ser muito

O critério a seguir em relação ao que se adiciona ao café tem de ser a moderação. Então, se você é dos que tenta encobrir o amargor do café com um saquinho de açúcar, lembre-se de que, ao fazê-lo, “você está aumentando o valor energético que o café sozinho não tem”, adverte Aguilar, que afirma que “ao acrescentar apenas açúcares simples, os benefícios mencionados e associados ao café ficarão subordinados à quantidade de açúcar que consumamos no restante do dia”.

Com esta premissa, e para não excedermos os 25 gramas diários de açúcar (5% da energia total necessária por dia) que a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda atualmente, a especialista aconselha ter em mente que “os açúcares simples fazem parte de muitos dos alimentos que consumimos habitualmente, especialmente os processados, e portanto é fácil reduzir essa quantidade, ainda que só se tome uma colher por dia”. Conclusão: aprenda a saboreá-lo sem açúcar. “Tanto o mascavo quanto o refinado ou o mel são nutricionalmente equiparáveis”, afirma Aguilar.

 

Leite integral: quanto mais branco, mais gorduroso

De novo, para desfrutar dos benefícios do café, a prudência deve imperar. Neste caso, se você tem o costume de batizar o café com um pinguinho de leite, é melhor que não passe disso. O líquido branco não traz problemas de saúde, “mas é preciso considerar a quantidade de lácteos que vamos consumir ao longo de um dia e quantos cafés com leite e macchiato tomaremos”, acrescenta a especialista. O café, fonte benéfica de polifenóis que agem como antioxidantes, adquire, ao acrescentar-se leite integral, outro significado nutricional, pois entram em jogo as gorduras saturadas, para as quais realmente existe uma recomendação de consumo diária (10% da energia da dieta, segundo a OMS).

Os nutricionistas não desaconselham o leite integral em pessoas sadias, mas suas versões desnatada e semidesnatada têm menos calorias “e são aptas para pessoas com obesidade, patologias cardiovasculares e fatores de risco associados”, como relembra o nutricionista Giuseppe Russolillo, presidente da Fundação Espanhola de Dietistas-Nutricionistas (FEDN).

Aguilar concorda e aconselha o semidesnatado para pingar no café, “exceto para pessoas com intolerância a lactose, que deveriam preferir bebidas vegetais”.

 

Álcool: passaporte para a doença

A combinação mais hard core do café, o carajillo (mistura de café com brandy ou outra bebida destilada, como rum ou aguardente), popular em países como a Espanha, tem uma certa dificuldades para ser aceita no clube das bebidas saudáveis. “É preciso pensar que as bebidas alcoólicas dão energia (7 kcal/g), mas sem qualquer outro nutriente adicional que nos beneficie”, adverte Aguilar. A OMS arremata com as seguintes considerações sobre seu consumo:“A ingestão de álcool é fator causal de mais de 200 doenças e transtornos. Está associada ao risco do desenvolvimento de problemas de saúde tais como transtornos mentais e comportamentais, incluindo o alcoolismo, doenças importantes não transmissíveis tais como a cirrose hepática, alguns tipos de câncer e doenças cardiovasculares, assim como traumatismos causados pela violência e os acidentes de trânsito”. Não parece o mais indicado para um plácido café da manhã…

 

……………………………………………………..
*Fonte: elpais


A História da Água Engarrafada – A grande mentira da Indústria


Terapia Intensiva do Limão – TIL

Conceição Trucom *

Desintoxicação é para mim um “estilo de vida”. Nada mais displicente para com a nossa vida como se permitir ser um acúmulo de toxinas, um Ser ácido… ambulante, à deriva. A intoxicação – leia Ser acidificado e desmineralizado -, além de ser o primeiro estágio das doenças, é a condição nefasta dos desequilíbrios emocionais, mentais e espirituais.

E, para estarmos intoxicados, não precisamos fazer muito já que água, céu e solo (leia alimentos do reino vegetal)1 andam bastante poluídos e vazios de nutrientes. As pessoas e ambientes que nos cercam mais nos roubam que doam sustentação (vitalização). Nossa alimentação tem estado mais para nos adoecer, nos desmineralizar, nos intoxicar, que nos vitalizar…

Portanto, nada de esperar a doença chegar (seja ela qual for) para ver o que vai dar. Nada de passar a vida passeando nas farmácias, médicos e hospitais. Nada de gastar dinheiro com remédios. É chegada a hora de prevenir tudo isso, fortalecendo o sistema imunológico, mineralizando-se (alcalinizando-se) de todo mundo.

Para tanto a dica do Doce Limão é DESINTOXICAR-SE – MINERALIZAR-SE – ALCALINIZAR-SE. E a Terapia Intensiva do Limão é uma forma de COMEÇAR.  Medicina preventiva é a melhor de todas: ECOMEDICINA…

Importante lembrar: esta poderosa terapia precisa ser integrada com BONS HÁBITOS ALIMENTARES, com uma Alimentação mais – não precisa ser 100% ok? – CRUA E VIVA.

 

 

Como? 

Com a prática da Terapia do Limão, ou Citroterapia, que pode ser Intensiva: de 19 dias, ou Leve: de 5, 7, 9 ou 11 dias.

A melhor medicina é a preventiva, baseada numa alimentação saudável, com os sucos desintoxicantes diários, os leites de sementes nos lanches e a Citroterapia, que sugiro ser ideal para evitar quadros de doenças respiratórias e contagiosas.

 

As formas responsáveis de praticar a Terapia do Limão

O limão é incomparável. Segundo os hindus (Medicina Ayurvédica), é o fruto mais fantástico da humanidade. Seu potencial de alcalinizar o sangue, e demais líquidos corporais, acontece imediatamente após sua ingestão, quando seus citratos agem como um ativo neutralizante da acidez interna, tão comum quando a alimentação e os hábitos diários de vida não são saudáveis.

O consumo diário e regular do limão é profilático e um verdadeiro elixir da vida. Hoje em dia, fala-se e consome-se muitos complementos contendo sais minerais e vitaminas, para suprir as deficiências alimentares. São fórmulas industrializadas, obtidas por misturas sintéticas de vários componentes, em proporções sugeridas por cientistas e profissionais da saúde.

Entretanto, existe enorme diferença de absorção e resultados entre o consumo do alimento fresco, natural e integral versus esses suplementos artificiais. É fato que um comprimido efervescente de 500 mg de vitamina C não substitui jamais o consumo de 2 limões diários, pois junto à vitamina C totalmente ativa (viva) do limão, existem os seus demais constituintes, que funcionam de forma integrada, alquímica no seu aproveitamento e benefícios ao organismo.

Uma alimentação repetidamente inadequada desenvolve um sangue continuamente ácido, condição ideal para o desenvolvimento de muitas enfermidades e suas manifestações, entre elas as doenças cardiovasculares, artríticas, diabetes e as derivadas de um sistema imunológico fragilizado.

Assim, para prevenir que o organismo chegue à doença, ou mesmo tratar a doença, é necessário fazer uso diário de alimentos que alcalinizem o sangue, favorecendo o equilíbrio metabólico e a eliminação dos seus resíduos tóxicos.

Quando isso não acontece, tais resíduos permanecem por tempo demasiado no organismo, ocasionando agravos patológicos, funcionando ainda como verdadeiros escudos, ao dificultarem o sucesso dos tratamentos convencionais de cura e das terapias naturais complementares.

Dificuldades de saúde podem ser tratadas com o consumo integrado e regular do limão. No entanto, o uso intensivo é especialmente indicado no fortalecimento do sistema imunológico, respiratório e cardiovascular, oferecendo assim proteção contra diversas doenças.

 

A Terapia Intensiva do Limão (TIL)

O tratamento mais conhecido e divulgado na literatura sobre o limão é a TIL de 19 dias, que começa pela ingestão do suco fresco de um limão no primeiro dia e continua com o aumento da dose diária em 1 limão, ao longo de dez dias sucessivos, até perfazer o total de 10 limões no décimo dia. No décimo primeiro dia, decrescem as doses em igual proporção, reduzindo 1 limão a cada dia, até que no décimo nono dia a ingestão é o suco fresco de apenas 1 limão.

No total desses 19 dias de tratamento serão consumidos 100 limões. Por esse motivo, há que se ter absoluto cuidado com a perfeita higiene e a maturidade dos limões, além de garantir a forma segura de manuseio e toma. Conheça tais cuidados ao longo deste texto.

O mágico deste tratamento, que foi criado para tratar pessoas com ácido úrico e artrite, é a cumplicidade para fortalecer o organismo. Os antibióticos vão deprimindo o sistema imunológico, pois fazem pelo organismo o que ele mesmo deveria fazer. Já a TIL – que é preventiva – vai do primeiro ao décimo dia, limpando e alcalinizando o organismo. Ou seja, vai arrumando a casa. Colocando tudo nos seus lugares. Depois do dia 11 ao 19, esta terapia vai permitindo e lembrando ao organismo da sua função autônoma. Ou seja: é o organismo sano que irá lidar com todos os desafios da vida.
Dia
Limões ou ml
do suco fresco
Dia
Limões ou ml
do suco fresco
1 = 30 ml
11º
9 = 270 ml
2 = 60 ml
12º
8 = 240 ml
3 = 90 ml
13º
7 = 210 ml
4 = 120 ml
14º
6 = 180 ml
5 = 150 ml
15º
5 = 150 ml
6 = 180 ml
16º
4 = 120 ml
7 = 210 ml
17º
3 = 90 ml
8 = 240 ml
18º
2 = 60 ml
9 = 270 ml
19º
1 = 30 ml
10º
10 = 300 ml
20º
Fim

 

Naqueles dias quando são muitos os limões, e o volume de suco é elevado, o ideal continua sendo a ingestão em apenas uma toma em jejum, 30 minutos antes da refeição matinal. É possível optar por 2-3 tomas distribuídas ao longo do dia. Um exemplo: no décimo dia, será tomado o suco de 10 limões (300 ml). Assim, tomar o suco de 4 limões em jejum, 30 minutos antes da refeição matinal; 3 limões, 30 minutos antes do almoço; e os últimos 3 limões, igualmente antes do jantar.

………………………………………………………….
*Fonte: docelimao

 


Médicos anunciam novo transtorno alimentar: Pessoas obcecadas por alimentação saudável, os ortoréxicos

Quando falamos em transtorno alimentar, vem logo na cabeça algo como anorexia e bulimia, por exemplo. Mas agora, com essa onda de alimentação natural, baseada em produtos unicamente nutritivos e saudáveis desencadeou um tipo de transtorno alimentar bastante curioso: a Ortorexia.

A ortorexia é um transtorno alimentar diagnosticado há pouco tempo e parece acometer pessoas obsessivas quanto aos padrões daquilo que come. Ao contrário da anorexia ou bulimia, a pessoa permite-se comer, mas fica tão obcecada com o que come que todos os seus pensamentos ficam ocupados com a dieta e o valor nutritivo e calórico de cada alimento. O ortoréxico somente se permite alimentos saudáveis e controlam obsessivamente o conteúdo nutricional de cada elemento que ingerem.

Calorias, vitaminas e nutrientes tornam-se o foto da comida e qualquer coisa que contenha o mínimo vestígio do que está na lista do “não é permitido” não é consumido. A pessoa se torna um “mártire” levando a obsessão com o conteúdo dos seus alimentos ao extremo, e não se permitem, em circunstância alguma, um desvio do seu programa de tipos de alimentos autorizados.

A princípio você pode estar imaginando que alguém que controla o conteúdo nutricional, calórico, vitamínico da sua alimentação pode estar fazendo uma coisa boa para si. No entanto, psiquiatras e psicólogos são unanimes em dizer que o ortoréxico pode ter sua mente seriamente afetada, criando um mundo à parte baseado unicamente com seu modelo obsessivo de dieta. É uma doença grave, tratada com terapia e medicamentos.

Como descobrir se uma pessoa é ortoréxica

Examina cada ingrediente usado na refeição, por exemplo a marca, o valor nutricional, o valor calórico, a vantagem do fio de azeite extra virgem usado para temperar a salada.

Só se permite alimentos saudáveis. Jamais, em hipótese alguma, essa pessoa se permitirá ingerir um biscoitinho industrializado.

Não consegue comer nenhuma refeição preparada por outra pessoa, ou pelo menos sob sua intensa e rigorosa supervisão.

Observa e comenta a maneira como outras pessoas preparam a comida, ao mesmo tempo que tenta mudar os hábitos alimentares de todo mundo, até mesmo dos animais de estimação.

Passa o tempo todo pensando nos nutrientes e calculando as calorias que consumiu durante o dia. Pode ficar o dia inteiro no supermercado fazendo compras, pois precisa ler atentamente todas as etiquetas de valores nutricionais, vitamínicos, calóricos e etc. de absolutamente tudo.

Perdeu muito peso recentemente sem seguir conscientemente uma dieta.

 

……………………………………………………………
*Fonte: diariodebiologia

 


Campanha de saúde


Onde está sua bicicleta?

A bicicleta está bem distante de ser o principal meio de transporte no Brasil. No entanto, estudo feito em 2016 em algumas capitais brasileiras revela, entre outras coisas, que mais de 60% das pessoas gostariam de usar esse modal para ir ao trabalho. No entanto, ainda sentem falta de segurança, de respeito dos motoristas e de ausência de estrutura nas empresas. Esse é um dado importante que nos incentiva a discutir cada vez mais a mobilidade urbana, em especial em metrópoles como São Paulo.

Cidades orientadas somente ao veículo automotor não fazem mais sentido. A bicicleta deve se tornar mais uma alternativa diante do caos instaurado no trânsito diário. Para distâncias de até cinco quilômetros nas áreas urbanas mais densas das cidades, há pesquisas que constatam que a bicicleta é o modal mais rápido, podendo chegar a uma velocidade entre 12 e 15 km/h.

Incentivar o seu uso, portanto, é pensar em cidades mais inclusivas e com qualidade de vida. Para a ONU, a bicicleta é o transporte mais sustentável do mundo. Além disso, essa prática faz bem para o meio ambiente. São múltiplos benefícios, imediatos e em longo prazo: redução dos congestionamentos e do barulho, melhoria na segurança viária e diminuição significativa da poluição do ar e nas emissões de gases de efeito estufa.

O uso da bicicleta é uma tendência mundial e alguns locais já estão bem desenvolvidos em relação às ciclovias. Em Tóquio e na Holanda, por exemplo, 25% dos trajetos diários são feitos de bike. No Brasil ainda estamos engatinhando nesse assunto, mas iniciativas e pesquisas mostram que há uma demanda ainda mal explorada.

Engana-se quem acha que a introdução da ‘cultura da bicicleta’ deve ser construída prioritariamente pelos órgãos públicos. O incentivo ao uso do modal é responsabilidade de todos. As empresas que adotam o transporte em duas rodas demonstram maior comprometimento com toda a sociedade e podem se tornar referência para outras.

Pedalar faz bem para o planeta, para o bolso e para a saúde, além de aproximar as pessoas. Duvida?

Experimente tirar a sua bike da garagem. Experimente pedalar pelo seu bairro, pela cidade. Incentive o uso do modal na sua casa, nas empresas e nas escolas. É com pequenos gestos que iremos desenvolver mais fortemente essa cultura em nossas comunidades. É um grande desafio que vale a pena. Você pode começar hoje!

 

………………………………………………………………………………….
*Fonte: pensamentoverde/Leonardo Lorentz

 


Bicicleta: a escolha do bem

Mais e mais pessoas vêm aderindo à bicicleta como forma de deslocamento nas grandes cidades. Elas vão ao trabalho, escola, passeiam, se divertem e se exercitam. Se quanto mais carros e motos circulando, mais acidentes fatais ocorrem, por analogia, conclui-se que quanto mais bicicletas nas ruas mais acidentes fatais também, certo? Felizmente, conclusão errada!

Em várias cidades do mundo que abraçaram esse meio de transporte tão eficiente chamado bicicleta, as estatísticas mostram um paradoxo: mais ciclistas, menos acidentes. Locais como Amsterdã, Nova Iorque, Londres e São Paulo reduziram não só o percentual de mortes em relação ao número de ciclistas, como o número absoluto de mortes.

As explicações são diversas: os ciclistas ficam mais visíveis; as cidades melhoram a sinalização e destinam vias exclusivas para esse modal; os motoristas entendem que os ciclistas são mais frágeis do que eles e dirigem com mais cuidado; a presença intensa de ciclistas junto aos motoristas força a conscientização e a criação de regras de convivência. Ainda não li a explicação definitiva, se é que ela existe. De qualquer forma, a maior segurança aliada à menor poluição já me deixa suficientemente contente.

Outro ponto importante é que, se as pessoas trocam uma moto por uma bicicleta, a chance de ela sobreviver a um acidente aumenta muito. Um motociclista, quando se acidenta numa avenida, está trafegando no meio de carros e cai a 50-70-90 km/h. Tanto o tombo nessa velocidade, quanto o potencial atropelamento, podem lhe causar sequelas irreversíveis. Já um ciclista, quando cai, está numa via própria ou no canto da via de carros, pedalando a 20-25-30 km/h. Ele vai se ralar, ficar roxo, vai arder na hora do banho, mas ele voltará a pedalar rapidamente.

Grande parte do caos e da violência no trânsito foi causada pelo fomento do uso do automóvel como senhor absoluto das ruas, por anos e anos. Essa realidade equivocada precisa ser transformada. O planejamento viário urbano deve ser focado nas pessoas.

Investimentos em transporte de massa, como metrôs, são fundamentais, mas nós, brasileiros, sabemos da inépcia dos nossos governos nessas obras e da alta competência no desvio dos recursos desses projetos. No planejamento das cidades brasileiras, as ciclovias devem ser prioridades para que a bicicleta tenha um papel essencial no desenvolvimento urbano, social e econômico do país. É o modal do bem, em todos os sentidos.

 

………………………………………………………….
*Fonte: pensamentoverde / Leonardo Lorentz

 

 


Sempre cansado? Provavelmente é porque seu corpo é ácido demais!

Você constantemente se sente cansado e desgastado?

Você acha que precisa de estimulantes como o café para conseguir enfrentar a manhã ou o resto do dia? Sua primeira ação pode ser obter mais sono, mas e se você dormir 8 horas por noite e ainda se sentir cansado na hora de levantar?

A resposta pode ser uma condição que muitas pessoas sofrem, mas não sabem, a fadiga adrenal. Pode ser facilmente diagnosticada por médicos devido às diferentes maneiras em que se manifesta, geralmente como irritabilidade geral, sentimentos de infelicidade e depressão. Na verdade, estima-se que quase 80% das pessoas experimentam fadiga adrenal em sua vida, mas nunca a diagnosticam.

Fadiga adrenal é causada por uma série de coisas, incluindo o estresse prolongado que ativa as glândulas suprarrenais, que ficam sobrecarregadas e, consequentemente, afetam o equilíbrio químico natural dentro do corpo. No entanto, há uma grande causa que muitas vezes fica esquecido, os importantes níveis de pH dentro do nosso sangue.

 

Como os níveis de pH no sangue causam fadiga adrenal?

O nível de pH ideal para o sangue fica em torno de 7,35. Uma gota ou um aumento pode ter um efeito enorme sobre como agimos em nosso cotidiano, então nossos corpos buscam maneiras de manter o contrapeso do pH certo!

O problema principal vem quando os níveis ácidos aumentam demais – isto é chamado de acidose, e pode ser causado pelo que você come e bebe. As células vermelhas do sangue em seu corpo alegremente movem-se, transportando oxigênio para cada célula, e para fazer isso elas precisam ter uma carga negativa, a fim de repelir umas às outras.

Isso as ajuda a mover-se através de pequenos capilares de forma fácil e eficiente, mas quando há muito ácido presente, ele começa a interagir com esta importante carga negativa, resultando em sangue fluindo dificilmente e oxigênio não sendo entregue em um padrão consistente.

Isso também enfraquece os glóbulos vermelhos, o que significa que eles podem morrer, o que, por sua vez, produz mais ácido. O ponto de tudo isso é que seus níveis de energia diminuem mais e mais ao longo do tempo, resultando em uma fadiga crônica que o sono simplesmente não consegue resolver.

 

De que forma o que você come afeta seus níveis de pH do sangue?

Você ficará surpreso ao saber que não são os alimentos e bebidas óbvias que fazem com que seus níveis de pH se tornem ácidos. Há muitos alimentos despretensiosos que podem ter um efeito ruim sobre o nosso sangue, por isso não ache que o suco de laranja ácida que você bebe é uma causa direta. Aqui está o porquê.

O ácido de tudo o que comemos é secretado em nossos estômagos. Uma vez que a digestão é longa, é o ácido residual ou alcalino do alimento que é passado para o sangue. Alimentos e bebidas, como café, álcool e proteína animal, deixam um resíduo ácido que o corpo absorve.
Mesmo alguns frutos do mar, podem ser um dos alimentos mais ácidos que você pode comer – algo que você não atribui a seu cansaço!

 

De que maneiras posso aumentar meus níveis alcalinos de pH?

A maneira mais eficaz de combater níveis de pH ácido elevados é comer alimentos que são altamente alcalinos. É importante entender quais tipos de alimentos e bebidas fornecem o resíduo alcalino necessário para diminuir os níveis de ácido.

 

Isso não significa cortar completamente alimentos acidificados de sua dieta, mas gradualmente elimine um ou dois tipos de alimentos para ver o quanto afeta seu cansaço.

Aprender os diferentes níveis de pH dos alimentos é fundamental para ajustar a sua dieta.

 

.  Grupos de alimentos que aumentam a acidez: carne e aves (proteína animal), peixe, laticínios, ovos, grãos e álcool.

.  Alimentos que aumentam os níveis de alcalinidade: frutas, nozes, legumes e vegetais (proteínas vegetais).

.  Alimentos que têm níveis de pH neutros: gorduras naturais, amidos e açúcares.

Beber muita água é crucial para ajudar a combater a fadiga geral – funciona um pouco como regar uma flor murchando. A água não é ácida nem alcalina, mas há maneiras de torná-la mais alcalina: adicionando bicarbonato de sódio ou até mesmo suco de limão a ela.

Ao experimentar fadiga crônica, é importante visitar o seu médico para eliminar quaisquer condições graves que possam estar causando isso.

 

Dormir o suficiente e fazer exercícios regularmente é sempre uma parte importante de um estilo de vida saudável e pode ajudar a diminuir qualquer cansaço que você experimenta.

No entanto, se todos os outros meios de compreender a sua fadiga estão falhando, comece a eliminar os alimentos ácidos e introduzir variedades mais alcalinas para ver a diferença.

 

* Nota: As informações e sugestões contidas neste artigo têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

………………………………………………….
*Fonte: osegredo

 


A poluição chegou na região mais profunda da Terra

As fosas abissais dos oceanos estão entupidas de poluição 17.75 de latitude e 142.5 de longitude. Se você jogar isso no mapa vai ver: nada. Um ponto no meio d’água localizado praticamente na metade do caminho entre Japão e Nova Guiné. Mas se você olhar mais afundo vai perceber; ali é a localização exata das Fossas de Mariana, a região mais profunda da Terra, com um buraco de 11 mil metros. Só para ter uma ideia, se você jogasse o Everest inteiro nesse barranco, iriam faltar ainda dois quilômetros para a montanha mais alta da Terra tocar o chão. Agora, pesquisadores das Universidades de Newcastle e Aberdeen, ambas na Inglaterra, enviaram máquinas para o fundo dessa foça e encontraram o que ninguém queria achar. Não uma nova espécie de animal, ou uma descoberta arqueológica – era poluição.

As regiões mais profundas da Terra não são muito acolhedoras. O frio, a pressão e a escuridão são inabitáveis para a maior parte dos seres vivos do nosso planeta. Tanto que, para sobreviver nessas condições, os animais das profundezas dependem de restos mortais de outros peixes que eventualmente caem das águas mais rasas até eles. Acreditava-se que essas zonas ainda se mantinham protegidas das ações de humanos, de tão inacessíveis. A nova descoberta mostra que não. A ação humana chegou lá também.

Quem desconfiou disso primeiro foi o Alan Jamieson, biólogo marinho da universidade de Newcastle. Líder da pesquisa, ele enviou máquinas não tripuladas para 10 pontos espalhados pela Fossa de Mariana e pela Fossa de Kermadec (outra profunda região, próxima da Nova Zelândia). A expedição tinha diversos tipos de profundidade, a área mais rasa estava à 7,2 km de profundidade, e o mais fundo superava os 10,2km abaixo do nível do mar.

Lá no fundo, as máquinas começaram a caçar anfípodas, um bichinho muito parecido o camarão, que costuma viver nas profundezas. Foram 12 horas de pescaria. Depois desse período, as máquinas trouxeram os animais para que pudessem ser analisados. Dentro deles, os cientistas encontraram dois poluentes: éteres difenílicos polibromados, químico usado para retardar chamas, e bifenilos policlorados, substância utilizada como isolante em equipamentos elétricos – e proibida pela convenção de Estocolmo, pelos seus dados ao homem e ao meio ambiente. Os níveis de contaminação eram altíssimos, principalmente em relação aos bifenilos, que acabaram aparecendo em grau tão elevado que superava os números encontrados em animais habitantes de rios extremamente poluídos, como o Liao, na China.

Não se sabe exatamente como essa poluição chegou no fundo do oceano. Alan suspeita que ilhas de plástico, formadas pelo lixo jogado nos mares, possa ter soltado os poluentes mar a fora. Outra dúvida do biólogo é a respeito do impacto dessa poluição no meio ambiente – e em nós. Ainda não há nenhuma conclusão a respeito disso, mas com o bidenilo sendo tão prejudicial à vida, ninguém deve esperar boas notícias.

……………………………………………
*Fonte: superinteressante

 

 


19 Coisas para fazer antes de dormir (para elevar a sua vibração!)

Você sabia que a hora de dormir é uma oportunidade incrível para elevar a sua vibração e preparar-se para manifestações mais positivas? Enquanto dormimos, desconectamos nossa consciência do mundo físico, e em vez disso nos conectamos mais profundamente com o nosso eu superior. Esta ligação nos ajuda a criar com maior facilidade.

Além de nos ajudar a resolver os nossos problemas e criar deliberadamente, o sono faz-nos sentirmos bem, aumenta a nossa imunidade, e nos ajuda a curar-nos de ferimentos e doenças. Assim, sempre que possível, é uma boa ideia tirar proveito do sono.

Aqui estão 19 coisas que você pode fazer na hora de dormir para elevar sua vibração e tornar-se um criador melhor. Aprecie!

1.Dar abraços nas pessoas que você ama antes de dormir, se vive com elas.

2.Depois de um dia difícil, tomar um banho antes de dormir para lavar o estresse e elevar a sua vibração.

3.Colocar um pouco de água em sua mesa de cabeceira. Às vezes, à noite, ficamos com sede, sempre nos sentimos melhores quando estamos hidratados.

4.Aconchegar-se na cama e apreciar o quão confortável ela é.

5.Passar alguns momentos apreciando o que correu bem durante o dia.

6.Fazer uma pergunta ao universo antes de dormir. Ficamos com muita clareza no estado de sonho. Você poderia perguntar algo como “O que devo fazer sobre esse problema no trabalho?” Ou “Que tipo de presente dou a minha melhor amiga em seu aniversário?”

7.Definir a sua intenção de aproveitar o dia seguinte.

8.Criar uma atmosfera tranquila no seu quarto. Lugares pacíficos inspiram sentimentos pacíficos.

9.Se você gosta de assistir televisão antes de dormir, esteja consciente da programação que seleciona. Quando dormimos, muitas vezes lembramos dos nossos últimos pensamentos no dia, por isso não se esqueça de selecionar uma programação leve e que faz você se sentir bem.

10.Feche as cortinas. É difícil ignorar a luz do dia quando ela está brilhando em seu rosto!

11.Se você tiver condições, invista em uma cama de qualidade. É mais fácil desfrutar de seu sono quando você está confortável!

12.Selecione um alarme suave para a manhã.

13.Opte por perdoar e esquecer antes de ir para a cama. Por que manchar seu amanhã sobre algo que aconteceu hoje?

14.Invista em uma máscara de olhos e tampões, se você tem sono leve ou se o seu parceiro ronca.

15.Experimente uma meditação de sono, especialmente se tiver um impulso!

16.Evite mídia social antes de deitar. Há muitas coisas em seu feed de notícias, algumas podem ter o potencial de te perturbar quando você estiver tentando relaxar.

17.Opte por rever sua lista de afazeres na parte da manhã. Você não pode fazer o trabalho de amanhã, hoje.

18.Opte por ir dormir em um horário razoável (em sua opinião, é claro!).

19.Se você é um sonhador lúcido, defina a sua intenção de ter um sonho lúcido. O sonho lúcido é incrível, e pode colocá-lo nas nuvens!

………………………………………………………
*Fonte: osegredo


A pílula da inteligência vem aí. Você tomaria?

Imagine uma pílula que não causasse efeitos colaterais, barata, e que depois de tomar seu QI aumentasse vários pontos. Você usaria?

Um grupo de cientistas, verdadeiros pesos-pesados na área de neurociência, saúde pública, direito e ética, lançou esta semana um manifesto na prestigiosa revista Nature, pedindo para acelerar as pesquisas -e se possível a liberação para consumo- de drogas que aumentam a inteligência.

A idéia seria, caso as pesquisas não demonstrem nenhum efeito colateral, que adultos tivessem a liberdade de ingerir livremente essas substâncias, sem nenhum tipo de criminalização.

Que um grupo de cientistas e juristas desse porte peça a liberação desse tipo de “doping” mental pode parecer uma loucura para muitos, mas a leitura atenta do artigo dá algumas pistas sobre os reais motivos.

O fato é que, como veremos, o problema já está colocado na sociedade, e ele exige respostas científicas -que só serão conseguidas mediante muita pesquisa-, e análise dos aspectos éticos por parte da sociedade.

QUESTÃO CIENTÍFICA
Não é de hoje que pesquisadores tentam descobrir medicamentos para tratar doenças cerebrais, como o mal de Alzheimer, a esquizofrenia, o transtorno de déficit de atenção – hiperatividade (TDAH), o mal de Parkinson, etc.

Muitas dessas doenças provocam danos cognitivos devastadores, e o paciente passa a ter parte de suas atividades mentais comprometidas, tanto na sua capacidade de aprendizado, memorização, compreensão, linguagem, distúrbios de sono, etc.

Nos últimos anos, o uso de algumas drogas como a Ritalina, Adderall, modafinil, donepzil, entre outras, provocaram melhoras importantes no quadro clínico desses pacientes, permitindo uma notável recuperação na qualidade de vida. Entretanto, algumas dessas drogas passaram a ser consumidas (ilegalmente ou sem prescrição) por indivíduos sadios, os quais também descreveram melhoras no desempenho intelectual.

Pesquisas mostram que aproximadamente 7% dos alunos universitários dos Estados Unidos já consomem essas substâncias, e em alguns campi, o consumo atinge 25% dos estudantes.

Entretanto, como esses medicamentos são recentes ainda não existem suficientes estudos que nos permitam saber quais os efeitos colaterais do se uso a longo prazo, principalmente quando ingeridos por indivíduos sadios. Não há estudos que avaliem ao certo quanto melhor o cérebro funciona, quanto aumenta nosso QI, nem os efeitos dessas drogas sobre o cérebro -em formação- de crianças e adolescentes.

Tampouco se sabe se o uso desses compostos provoca apenas uma melhora temporária na capacidade cognitiva, ou se as alterações aumentam de fato a capacidade de aprender, através de mudanças permanentes da organização cerebral. Mas como a droga já está sendo consumida, o pedido dos cientistas para aumentar as pesquisas (de preferência por instituições públicas) faz todo sentido.

QUESTÃO ÉTICA
O surgimento deste tipo de drogas coloca uma série de desafios éticos que, uma vez respondidas as questões científicas, devem ser analisados pela sociedade. Apenas para citar alguns dos problemas que já estão surgindo:

– O exercito dos Estados Unidos atualmente subministra aos soldados alguns desses medicamentos, sendo que o consumo não pode ser recusado pelos mesmos. +Sob efeito dessas substâncias, os soldados mostram um melhor desempenho, maior capacidade de discriminação, e reflexos mais apurados. As conseqüências são óbvias. Podem vir a se transformar em máquinas de matar extremamente eficientes.

-Seria ético que um empresário passasse a exigir que seus funcionários fizessem uso desses medicamentos para aumentar o desempenho e a produtividade? A exigência formal não seria nem necessária. A maior produtividade de um funcionário que faz uso da droga poderia obrigar seu colega a também ingeri-la para manter seu emprego.

-Seria correto que um colégio, para melhorar o desempenho escolar dos alunos, incentivasse o uso desses medicamentos? Insano? É bem provável que muitas escolas já estejam fazendo isso com a Ritalina, alegando que os alunos não aprendem por que são hiperativos.

-E num vestibular? Seria justo que apenas alguns estudantes utilizassem esse doping mental e outros não? Seria justo que apenas os que podem pagar por esses medicamentos possam fazer uso deles em detrimento dos outros?

-Caso não sejam observados efeitos colaterais importantes, quais seriam as conseqüências globais para a sociedade se todos os indivíduos tivéssemos acesso a drogas que nos tornem mais inteligentes?

É isso aí. Parece que o futuro chega cada vez mais rápido. O antídoto para não nos pegar desprevenidos é informação, informação, e mais informação. Ficar mais inteligente mediante o uso de drogas pode parecer antinatural.

Mas não mais antinatural que a roupa que usamos, a casa onde moramos, o carro que nos transporta, a medicação que tomamos ao longo da nossa vida para viver mais e melhor, os óculos que estou usando para escrever este artigo, e o papel sobre o qual ele estará escrito amanhã.
Você não acha?

…………………………………………………….
*Fonte: conecte / Roelf Cruz Rizzolo

 

pilula-da-inteligencia

 


As 12 qualidades sábias

1. Elas não se queixam! Aceitam que o que foi, foi e não pode ser mudado e o que interessa é daqui para frente. Não quer dizer que não expressem dor, mas não se lamentam, não se veem nem agem como vítimas.

2. São atrevidas, tem coragem de experimentar o novo, a buscar o não vivido, o não conhecido.

3. “Tem mãos para as plantas”, concreta e metaforicamente. “Plantam, regam e acompanham o crescimento” de plantas, pessoas, projetos…4. Confiam em seus pressentimentos/ em sua intuição, honram sua sabedoria interna.

4. Meditam a sua maneira, cultivam um centro interno de silêncio e escuta, de prece e reconexão com o Sagrado

5. Defendem com firmeza o que mais importa, descobrem sua voz e tendem a tornar-se mais rebeldes e radicais com tudo que consideram errado no mundo.

6. Decidem seu caminho com o coração, mesmo que esse caminho seja difícil.

7. Dizem a verdade com compaixão, mas dizem sempre a verdade, porque sabem que só a verdade cura e liberta.

8. Escutam seu corpo, não o veem como um objeto a ser aperfeiçoado, mas como um instrumento de prazer e autoconhecimento.

9. Improvisam, agem com espontaneidade, fluem com a vida.

10. Não imploram, não fazem NADA com a finalidade de serem aceitas.

11. Riem juntas, riem de si e com isso nutrem um profundo senso de irmandade, porque é um riso que expressa o triunfo do espírito e da alma sobre aquilo que poderia tê-las destruído ou as convertido em mulheres amargas .

12. Saboreiam o positivo da vida, sabem ter gratidão pela beleza da vida, mesmo que mesclada de sofrimentos.

 

……………………………………………
*Fonte: nowmastê

 

zen1


Abdominais

abdominais


9 Maneiras eficazes de aumentar Dopamina em seu cérebro

A dopamina é excelente para as seguintes funções corporais:

– Movimento regulador – Controle do centro de prazer e recompensa no cérebro – Melhora as funções cognitivas (conhecimento, atenção, memória, tomada de decisão, avaliação, resolução de problemas)

Nosso cérebro libera um neurotransmissor, a dopamina, que é crucial para inúmeras funções corporais essenciais.

“A dopamina é um neurotransmissor que ajuda a controlar os centros de recompensa e prazer do cérebro. A dopamina também ajuda a regular o movimento e a resposta emocional, e nos permite não só ver recompensas, mas também tomar medidas para avançar em direção a elas. “- Psychology Today

Há diversos artigos na internet sobre dopamina e como isso afeta seu humor, comportamento, energia e foco.

O que não é comumente falado, no entanto, é como a dopamina é afetada pela sua percepção.

Discutido mais raramente ainda é a razão pela qual seus níveis de dopamina podem estar baixos.

Abaixo estão 10 maneiras eficazes de aumentar dopamina no seu organismo.

 

1. NÃO SE VICIAR

Muitas pessoas ficam viciadas em algo porque lhes dá algum tipo de gratificação instantânea – drogas, álcool, sexo, pornografia, compras e outros comportamentos viciantes realmente têm o efeito oposto sobre os níveis de dopamina no longo prazo.

Em essência, quando ficamos excessivamente viciados em algo, o “circuito de recompensa” de nosso cérebro chuta em overdrive e ansiamos daquilo rapidamente.

Esta não é uma solução sustentável para a produção de dopamina, o que pode e deve ser feito naturalmente.

 

2. LISTA DE VERIFICAÇÕES DE PEQUENAS TAREFAS

Dopamina aumenta quando estamos organizados e terminamos tarefas – independentemente se a tarefa é pequena ou grande.

Portanto, não permita que seu cérebro se preocupe com as coisas que precisam ser feitas.

Em vez disso, escreva estas tarefas. Foi demonstrado que é mais satisfatório para os níveis de dopamina do cérebro quando verificamos fisicamente algo fora de nossa lista de afazeres, ao invés de recorrer ao cérebro.

Além disso, anote e verifique mesmo que você tem a capacidade de lembrar dessas tarefas.

 

3. CRIAR ALGO

Para nós escritores, pintores, escultores, poetas, cantores, dançarinos e outros artistas, podemos nos identificar com isso.

Quando estamos no modo criativo, podemos nos tornar hiper-focados. Como resultado, podemos inserir um estado chamado fluxo.

A dopamina é o produto químico do cérebro que nos permite alcançar este estado. A lição é esta: assumir um hobby ou atividade em que você realmente crie algo tangível.

Tente algo como artes, artesanato, reparação automóvel, desenho, fotografia, ou qualquer outra coisa que soe interessante para você.

 

4. EXERCÍCIOS

Nós discutimos repetidamente a importância e os benefícios dos exercícios físicos, e vamos apenas adicionar a esta lista novamente.

Entretanto, não só o exercício nos ajuda a aliviar o estresse, mas também a alcançar uma melhor saúde física e nos tornar mais produtivos;

Ele aumenta os nossos níveis de dopamina. Mais especificamente, o exercício aumenta os neurotransmissores múltiplos – a serotonina e as endorfinas, além da dopamina, recebem um impulso.

Aqui está algo mais legal: o exercício não precisa ser árduo. Basta dar um passeio ou subir alguns degraus que você conseguirá uma boa sacudida na dopamina.

 

5. AUMENTE A TIROSINA

Dos produtos químicos que compõem a dopamina, nenhum é mais importante do que a tirosina.

De fato, a tirosina é considerada o elemento constitutivo da dopamina. Portanto, é importante que você obtenha o suficiente dessa proteína. Há uma grande lista de alimentos que aumentam a tirosina, incluindo:

– Amêndoas

– Abacates

– Bananas

– Chocolate

– Café

– Ovos

– Chá verde

– Leite

– Melancia

– Iogurte

 

6. ESCUTE MÚSICA

Você já se perguntou por que a música te faz tão feliz?

Quero dizer, podemos estar no buraco em algum momento, mas uma vez que colocamos nosso single favorito, estamos balançando e sacudindo…

A razão para isso é que ouvir música aumenta os níveis de dopamina.

Na verdade, os cientistas dizem que ouvir música tem o mesmo efeito que comer nossos alimentos favoritos ou assistir um programa favorito, ou ler um texto de autor que amamos, ou um post de um blog que adoramos.

Então, quando você se sentir para baixo, coloque aquela música que te faz feliz.

 

7. MEDITE

Como com os exercícios físicos, cada dia se descobre mais e mais benefícios da meditação.

Como já vimos, o cérebro humano é suscetível a uma variedade de vícios.

Um outro hábito viciante que temos é excesso de pensamentos. Inclusive, alguns budistas têm uma frase para esse vício: “Mente de Macaco”, que pula de pensamento para pensamento sem parar.

Excesso de pensamentos não são meramente um hábito de distração, é também uma compulsão genuína que nos deixa em um estado de perplexidade, ao mesmo tempo, tem um efeito negativo sobre o nosso desenvolvimento cognitivo.

No entanto, os cientistas estão finalmente se aproximando do que os budistas sabem há milhares de anos: meditação e atenção plena são essenciais para uma mente saudável.

Além disso, oração e auto-reflexão se mostraram eficazes também para aumentar os níveis de dopamina.

 

8. SUPLEMENTOS

Embora existam algumas ótimas maneiras de aumentar os níveis de dopamina, às vezes estamos enfrentando uma crise temporária.
Felizmente, existem alguns suplementos naturais no mercado que demonstram aumentar os níveis de dopamina. Aqui estão alguns:

Acetil-l-tirosina: Outro componente da dopamina. Uma dose saudável disso torna mais fácil para o cérebro produzir a dopamina.
Curcumina: Um ingrediente presente na cúrcuma e curry é eficaz na produção de dopamina.
Ginkgo Biloba: Um suplemento tremendamente popular que aumenta os níveis de dopamina e os mantem circulando no cérebro por mais tempo.
L-teanina: Aumenta os neurotransmissores múltiplos no cérebro, incluindo a dopamina. O chá verde é uma excelente fonte para isso.

 

9. LIMPEZA TÓXICA

Por mais milagrosos que sejam nossos corpos, acumulamos toxinas e bactérias que são ruins para nosso corpo.

Endotoxinas são o tipo que podem causar problemas no nosso sistema imunológico e também limita a produção de dopamina.

Aqui estão algumas dicas para ajudar a limpar o intestino dessas endotoxinas:

Comer mais fermentados,
Dormir o suficiente,
Resistir ao desejo de comer em alimentos gordurosos ou açucarados.

………………………………………..
*Fonte: vivazen

dopamina1


Cérebro controla o envelhecimento do corpo

Você vai morrer quando os seus órgãos falharem. Essa falha pode ser causada por acidentes, doenças ou pelo desgaste natural dos tecidos ao longo da vida. Mas pode existir também um quarto elemento: a ação do seu próprio cérebro. Um grupo de cientistas da Faculdade de Medicina Albert Einstein, em Nova York, descobriu que o cérebro humano possui uma espécie de relógio interno – que determina quanto tempo o organismo irá viver.

Isso acontece no hipotálamo, uma região no meio do cérebro que controla diversas reações do corpo, como fome, sede e sono. Em estudos com ratos, os pesquisadores notaram algo interessante: conforme o animal envelhece, o hipotálamo vai elevando o nível de um conjunto de proteínas chamado NF-kB. Os cientistas resolveram fazer um teste. Usando manipulação genética, criaram ratos imunes a essas proteínas. Surpreendentemente, os bichos viveram 23% a mais que a média.

E não só isso: eles se saíram melhor que os demais em testes físicos e cognitivos. “Além de viver mais, os ratos viveram com qualidade”, diz o cientista molecular Dongsheng Cai, líder do estudo.

Ainda não se sabe por que a proteína está ligada ao processo de envelhecimento. Uma possível explicação é que ela gere processos inflamatórios crônicos no corpo – que, no longo prazo, desgastariam os órgãos e poderiam predispor a doenças. “Não temos como acabar com o envelhecimento. Mas talvez possamos estender o tempo de vida das pessoas”, acredita Cai.

 

……………………………………………
*Fonte: superinteressante

cerebro

 


E tudo começou com uma dor de cabeça: o AVC

“E tudo começou com uma forte dor de cabeça“… A maioria dos pacientes que vem sobrevivendo a um AVC descreve essa sensação antes dos outros sintomas como uma orquestra em seu último e estrondoso compasso. O acidente vascular cerebral já é tido como a segunda maior causa de incapacidade em todo o mundo.

 

É possível sobreviver a um AVC, entretanto, a qualidade de vida entre esse “antes e depois” nem sempre é a melhor. Ficam sequelas e muitas funções básicas, como a fala e a mobilidade, podem ser reduzidas.

 

 A vida nem sempre é justa e nos traz o que merecemos, mas em nosso desejo de mantê-la e melhorá-la, deveríamos levar em consideração muitos outros fatores que podem nos ajudar a prevenir o AVC. Sim, há uma porcentagem de possibilidade de evitá-lo, e vale a pena tentar.

 

No dia 29 de outubro celebra-se o Dia Mundial do AVC.

Obviamente, a ideia não é comemorar; sua finalidade é tornar visível essa doença que leva, anualmente, a vida de milhares de pessoas. São famílias destruídas, são entes queridos que se vão, e isso é a melhor homenagem que podemos fazer a eles, torná-la reconhecida.

É importante saber que esse transtorno brusco de circulação sanguínea no cérebro pode ser evitado. Podemos lutar contra ele dentro de uma porcentagem aceitável. Contudo, devemos ter claro que não podemos evitar nada 100%, e que existem muitas pessoas jovens que se foram devido ao AVC. Mesmo assim, devemos fazer todo o possível  para evitá-lo, e nada melhor do que começarmos pela conscientização, a informação.

 

O que é um AVC?

Trata-se de um problema súbito na própria circulação sanguínea do cérebro. Pode ocorrer por meio de uma ruptura de um vaso cerebral ou uma baixa no aporte sanguíneo da região. Tudo isso produz algo irreversível: a morte das células cerebrais, devido à falta de aporte de oxigênio e nutrientes.

O AVC pode afetar pessoas jovens, mas é mais comum que se apresente em pessoas com idades mais avançadas. Das pessoas afetadas, o índice de mortalidade está em uns 30%, e nos últimos anos esse problema tem ocorrido mais nas mulheres.

Existem dois tipos de AVC, o isquêmico e o hemorrágico, sendo mais comum o primeiro e o segundo o mais perigoso, e suas consequências maiores são a morte. Estamos seguros também de que provavelmente você conhece alguém que já sofreu com esse problema, ou que perdeu a vida.

São vazios dolorosos, e em caso de sobrevivência, supõe-se ter que “reajustar” a vida tanto da família como do próprio paciente que conseguiu sobreviver a essa falha, esse pequeno intervalo de tempo em que seu cérebro simplesmente se alterou. Como uma súbita sobrecarga, com um disparo de consequências trágicas.

 

Fatores de risco que devemos levar em consideração para a prevenção de um AVC

Sabemos que hoje em dia vivemos uma “saturação” quanto a informações recebidas. Cada dia chegam a nossas redes sociais, revistas e programas de televisão diversos estudos, dados com recomendações e conselhos sobre a nossa saúde.

É preciso começarmos a priorizar mais nossos dias que vão passando. Não importa o quão rápido o mundo gire, nossas obrigações, as pressas, as preocupações… Devemos parar uns segundos e escutar nosso corpo, nossa mente, nosso cérebro. É preciso cuidar de nós mesmos.

Na verdade não custa nada. Só um pouco de tempo. Precisamos simplesmente respirar e tomar consciência de nós mesmos, já seria um grande passo. Somos importantes para nós mesmos e para os outros, e tudo isso tem um preço: nos atentar a nossa saúde.

Assim, para dar sentido a esse dia de prevenção do AVC, vale a pena dedicar alguns minutos do nosso tempo a prestar atenção a estes fatores que podem nos ajudar a prevenir essa doença em uma porcentagem bem elevada.

Podemos lutar contra esse destino, ao menos podemos ter algumas possibilidades altas de lutar, só depende de nós mesmos.

Você fuma? Saiba que existe uma possibilidade muito elevada de que possa sofrer um AVC em algum momento da vida. Planeje deixar esse hábito hoje mesmo.
Nos últimos anos a incidência, no que diz respeito ao gênero, vem mudando. Em alguns países, por exemplo, os AVCs estão afetando mais as mulheres, em especial se são fumantes, sofrem de hipertensão e se tomam anticoncepcionais.
Se você tem antecedentes familiares de AVC, deveria submeter-se a revisões periódicas com seu médico.
Cuidado com a hipertensão, o colesterol e a diabetes. São fatores de risco.
Uma vida sedentária, assim como a obesidade são dois dos reais perigos que devem ser controlados de cara, além de outros tipos de doenças.

 

Como saber se estou sofrendo um AVC?

No começo falamos dessa “forte dor de cabeça”. É comum que os pacientes que sofrem um AVC tenham um histórico médico onde sempre apareçam enxaquecas. Entretanto, essas pessoas geralmente descrevem essa dor prévia ao acidente vascular cerebral como uma dor diferente, mais intensa e profunda.

É importante levarmos em consideração estes sinais de alarme:

Paralisia de uma parte do corpo: braço e perna de um mesmo lado.
Problemas para articular palavras e, inclusive, de compreendê-las.
Enjoos, desequilíbrios e falta de coordenação.
E dor de cabeça, a pior de sua vida…

Tome nota dessas simples indicações e lembre-se de se valorizar mais, para o seu bem, pensando nas pessoas que gostam de você. Cuide-se, você é a pessoa mais importante para si mesmo, e precisa cuidar de sua saúde.

 

……………………………………………………..
*Fonte/texto: amenteemaravilhosa/Valéria Amado

 

acidente-vascular-cerebral


Agrotóxico ameaça vida das abelhas e de outros animais

As abelhas do mundo inteiro estão sob forte ameaça dos agrotóxicos, em especial dos neonicotinoides, uma classe de pesticidas derivados da nicotina. Isso não é novidade: desde de 2008 que a comunidade internacional discute os perigos dessa substâncias e em 2013 a União Europeia proibiu parcialmente sua aplicação nas lavouras, como forma de proteger as populações de abelhas, insetos fundamentais para a produção agrícola e que se encontram em forte declínio. Ano passado, o órgão ambiental dos Estados Unidos colocou esses insetos na lista de espécies ameaçadas de extinção.

Um novo relatório do Greenpeace, publicado na Europa, aponta que agrotóxicos neonicotinoides impõem um sério risco não apenas às abelhas, mas também para diversas outras espécies. A análise, conduzida por cientistas da Universidade de Sussex, revisou informações e dados de centenas de estudos publicados desde 2013, quando a União Europeia adotou o banimento parcial dos agrotóxicos clotianidina, imidacloprida e tiametoxam – todos neonicotinoides.

Para Dave Goulson, professor de biologia da Universidade de Sussex e especialista na ecologia de abelhas, o quadro de contribuição dos neonicotinoides para o declínio da população de abelhas selvagens está ainda mais forte do que quando a União Europeia adotou o banimento parcial da substância.

“Além das abelhas, os neonicotinoides também podem estar ligados ao declínio das borboletas, pássaros, como pardais e perdizes, e de insetos aquáticos”, que entram em contato com o solo ou o sistema de irrigação. Os riscos podem se estender a morcegos também, que se alimentam dos insetos. “Dada a evidência de tal dano ambiental, seria prudente que a restrição europeia fosse estendida para sua integralidade”, defende o professor.

Segundo Marco Contiero, diretor de políticas públicas em agricultura do Greenpeace União Europeia, a ciência claramente mostra que neonicotinoides são onipresentes e persistentes no meio ambiente como um todo, e não apenas nas lavouras. “Essas substâncias são rotineiramente encontradas no solo, no lençol freático e nas flores selvagens”, disse Contiero.

Os escritórios do Greenpeace localizados na Europa pedem agora pela moratória integral de agrotóxicos neonicotinoides por parte da União Europeia.

 

Já no Brasil…

Enquanto a Europa estuda estender o banimento dos neonicotinoides de parcial para integral em suas lavouras, o governo brasileiro ainda permite o uso dessas substâncias à torto e à direito. E muitas vezes, esses agentes químicos não são aplicados diretamente nas plantas, mas pulverizados por aviões – uma prática que é perigosa por si só.

Mesmo sob os critérios da lei, a pulverização aérea é extremamente perigosa pois ela raramente atinge apenas o seu alvo, a lavoura – boa parte do veneno se perde pelo ambiente. Estima-se que esse desperdício é de ao menos 30%, mas em alguns casos pode ultrapassar de 70%. O que piora muito essa situação é que a prática é raramente realizada com responsabilidade e dentro da legalidade, ou seja, atingindo frequentemente zonas vizinhas habitadas como comunidades, escolas, meios aquáticos como rios, lagos e lagoas onde a água é captada para consumo, causando a contaminação dessas áreas e a intoxicação da vida animal, vegetal e humana.

Alguns estados estudam acabar com a prática, como o Rio Grande do Sul, onde tramita o Projeto de Lei (PL) 263/2014, que visa proibir a pulverização aérea de agrotóxicos em todo o território gaúcho. Mas por enquanto ainda é permitido em praticamente todo o país, seja de neonicotinoides ou não.

São Paulo é outro estado que possui iniciativas para mudar essa realidade. Tramitam dois Projetos de Lei (PL) na Assembleia Legislativa do Estado: o PL 406/2016, que proíbe o uso e a comercialização de agrotóxicos que contenham clotianidina, tiametoxam e imidaclopride (todos neonicotinoides) em sua composição, e o PL 405/2016, que veta a pulverização aérea de defensivos agrícolas no estado.

A Associação Paulista de Apicultores Criadores de Abelhas Melíficas Europeias (APACAME) defende que algumas empresas, preocupadas em garantir a continuidade das vendas de seus pesticidas, têm lançado campanhas rotuladas como de apoio à saúde dos polinizadores, informando inclusive que os neonicotinoides não são prejudiciais às abelhas. “Somos de opinião que apenas decisões drásticas de proibição do uso ou banimento desses produtos sistêmicos, em especial aqueles do grupo dos neonicotinoides, venha a solucionar o problema do desaparecimento e, consequentemente, da morte das abelhas. A cada dia surgem novas pesquisas comprovando seu efeito nocivo para as abelhas”, diz a APACAME em artigo disponível em seu site.

 

………………………………………………
*Fonte: greenpeace

abelhas_5612


5 coisas que você nunca deve fazer depois de comer

Depois de uma refeição satisfatória, muitos de nós querem apenas ficar deitados o resto da noite assistindo a um filme ou programa de TV.
Mas esta é realmente uma das piores coisas que podemos fazer depois de comer!
São pequenos maus hábitos como estes que podem nos impedir de alcançarmos o nosso potencial mais saudável.

Aqui estão 5 coisas que você nunca deve fazer depois de comer:

 

1.Dormir

Ir dormir logo após comer, faz seu estômago queimar durante a noite, o que provoca desconforto, inchaço e padrões de sono estranhos. Um estudo da University of Ioannina Medical School descobriu que as pessoas que esperam mais tempo depois de comer para irem para a cama são menos propensas a ter um acidente vascular cerebral. A regra de ouro é não comer pelo menos algumas horas antes de dormir.

 

2.Fumar

Infelizmente para algumas pessoas, fumar ainda é um hábito. Embora seja provavelmente uma das coisas mais prejudiciais que você pode fazer para seus pulmões, se você fumar, pelo menos espere algumas horas depois de comer. A nicotina presente nos cigarros se liga ao excesso de oxigênio que é necessário na digestão, que então permite que seu corpo absorva mais carcinógenos do que o normal. De acordo com estudos, fumar logo após uma refeição é o mesmo que fumar dez cigarros de uma só vez. Também aumenta o risco de câncer de intestino e pulmão.

 

3.Tomar banho

Quando tomamos banho, nossos corpos aumentam o fluxo sanguíneo para alcançar as mãos, pernas e corpo, o que diminui a quantidade de fluxo de sangue para o estômago. Isso enfraquece o sistema digestivo, fazendo com que ele se torne ineficiente, o que pode causar dores de estômago.

 

4.Comer frutas

Você provavelmente pensou que poderia comer fruta a qualquer momento, não é? Bem, na verdade é melhor comer frutas com o estômago vazio. Isto é porque as frutas exigem enzimas diferentes para digerir, e os açúcares simples nas frutas precisam de tempo para serem absorvidos completamente pelo corpo. Com o estômago vazio, você se beneficia de todos os nutrientes, fibras e açúcares simples. Se você comer perto ou depois de uma refeição, no entanto, a fruta permanece no estômago por um período prolongado e apodrece no intestino. Isso pode causar indigestão, azia, arrotos e outros desconfortos.

 

5.Beber chá

Beber chá logo após uma refeição interfere na absorção de ferro. O ácido tânico no chá liga-se a proteína e ferro em nossos alimentos, impedindo nossos corpos de colherem os benefícios de digeri-los. Isto resulta em uma diminuição de 87% na absorção de ferro! Pouco ferro pode desencadear anemia, uma deficiência de glóbulos vermelhos no sangue, que, em seguida, provoca fadiga extrema, fraqueza, pele pálida, dor no peito, tontura, mãos e pés frios, unhas frágeis e falta de apetite.

 

………………………………………………………
*Fonte osegredo/Luiza Fletcher

dormir5


Microondas foram proibidos na Rússia em 1976 e é isso que eles escondem de você!

Estima-se que atualmente mais de 90% dos lares mundiais tenha um microondas, muitos não entendem os riscos de saúde que estão empreendendo. As ondas electromagnéticas que passam através dos alimentos podem causar danos estruturais terríveis.

Hans Hertel, um cientista suíço, apoiou sua hipótese de que os alimentos danificados em um microondas provoca alterações no sangue. Estruturas nas moléculas dos alimentos foram destruídas. E não é apenas a comida que sofre alteração. A mãe ocupada decide poupar algum tempo e aquece o leite materno no microondas. Pense novamente antes de fazer isso. Estudos realizados na universidade de Stanford mostrou que acontece quando o leite materno é aquecido no microondas. Alguns nutrientes presentes no leite materno que ajudam a curar o bebê são completamente perdidos!

 

MICROONDAS FORAM PROIBIDOS NA RÚSSIA DESDE 1976 – ELE TEM UM IMPACTO NEGATIVO SOBRE A SAÚDE

 

INCLUINDO:

• Lesão cerebral e declínio cognitivo

• Abaixa a imunidade do organismo- quem gosta de estar doente?

• Os tumores e agentes causadores de câncer •

Pense novamente – um hospital em Oklahoma foi processado depois que um paciente recebeu sangue que foi aquecido no microondas. Por que arriscar? Todas estas razões acima foram os motivos pelo quais a  Rússia resolveu proibir o microondas em 1976. Uau, essa certeza me faz parar e pensar. Será que isto vai valer a pena o tempo extra que eu iria poupar usando microondas? Provavelmente não. Pare, não se apresse e encontre outras coisas na vida capazes de cozinhar como um forno! Não há riscos de morte, câncer, ou danos cerebrais. Compartilhe com amigos e familiares!

 

……………………………………………..
*Fonte: semprequestione

microondasruleianot


Novo tratamento do Alzheimer restaura totalmente a função da memória

Novo tratamento do Alzheimer restaura totalmente a função da memória

Se uma pessoa tem a doença de Alzheimer, isso é geralmente o resultado de uma acumulação de dois tipos de lesões – placas amilóides e emaranhados neurofibrilares. As placas amilóides ficam entre os neurônios e criam aglomerados densos de moléculas de beta-amilóide.

Os emaranhados neurofibrilares são encontrados no interior dos neurónios do cérebro, e são causados por proteínas Tau defeituosas que se aglomeram numa massa espessa e insolúvel. Isso faz com que pequenos filamentos chamados microtúbulos fiquem torcidos, perturbando o transporte de materiais essenciais, como nutrientes e organelas.

Como não temos qualquer tipo de vacina ou medida preventiva para a doença de Alzheimer – uma doença que afeta 50 milhões de pessoas em todo o mundo – tem havido uma corrida para descobrir a melhor forma de tratá-la, começando com a forma de limpar as proteínas beta-amilóide e Tau defeituosas do cérebro dos pacientes.

Agora, uma equipa do Instituto do Cérebro de Queensland, da Universidade de Queensland, desenvolveu uma solução bastante promissora. Publicando na Science Translational Medicine, a equipa descreve a técnica como a utilização de um determinado tipo de ultra-som chamado de ultra-som de foco terapêutico, que envia feixes feixes de ondas sonoras para o tecido cerebral de forma não invasiva.

Por oscilarem de forma super-rápida, estas ondas sonoras são capazes de abrir suavemente a barreira hemato-encefálica, que é uma camada que protege o cérebro contra bactérias, e estimular as células microgliais do cérebro a moverem-se. As células da microglila são basicamente resíduos de remoção de células, sendo capazes de limpar os aglomerados de beta-amilóide tóxicos.

Os pesquisadores relataram um restauro total das memórias em 75 por cento dos ratos que serviram de cobaias para os testes, havendo zero danos ao tecido cerebral circundante. Eles descobriram que os ratos tratados apresentavam melhor desempenho em três tarefas de memória – um labirinto, um teste para levá-los a reconhecer novos objetos e um para levá-los a relembrar lugares que deviam evitar.

………………………………………………………………………
*Fonte: contioutra / Ciência On Line

alzi


Temos que aprender a nos afastar de quem não precisa de nós

Temos que aprender a priorizar a nós mesmos e compreender que, para o bem ou para o mal, somos as únicas pessoas imprescindíveis em nossas vidas, e todos aqueles que nos prejudicam, sobram.

Se você está acostumado a usar as redes sociais, certamente já conhece esta opção chamada “bloquear amigo.” Em algumas ocasiões, acumulamos nestes espaços pessoas que não conhecemos de verdade, relações que nos trazem mais problemas do que benefícios.

Hoje em dia, e especialmente entre as pessoas mais jovens, é comum que as amizades terminem deste modo. Quem não existe nas suas redes sociais, não existe na sua vida. É uma forma fria e também impessoal de romper vínculos.

Pois bem, usando este exemplo, muitos de nós deveríamos fazer o mesmo na vida real. Em algumas ocasiões carregamos relações em nossas costas que atrapalham muito o nosso crescimento pessoal.

No entanto, também não se trata de ir chamando porta a porta para avisar que não queremos mais a amizade de alguém. Trata-se apenas de saber priorizar e não investir tempo e esforço em pessoas que não os merecem.

 

Aprender a nos afastar de quem não precisa de nós

Nem sempre é fácil perceber quando chega este momento no qual deixamos de ser importantes para alguém. E não é apenas isso, algo que também pode acontecer é que percam o respeito por nós, e que esta necessidade se transforme em algo baseado no interesse.

É necessário saber diferenciar entre quem precisa de você de forma autêntica e o ama, e em, na verdade, se “descolou” faz tempo de nosso coração.

Se você tem filhos, certamente já notou que sempre chega um instante no qual eles deixam de precisar de nós. Isso vem com a própria maturidade, com a sua capacidade de ser independentes.

Porque os filhos, na realidade, sempre irão precisar de nós. Estamos falando, é claro, do afeto.

Há amizades que aparecem sempre de forma pontual nos instantes em que precisam de algo. Quando querem um favor, quando precisam ser escutados e “só nós sabemos como fazê-lo”. Devemos ter muito cuidado nestes casos.

Mostraremos apoio, afeto e compreensão a nossas amizades, sempre e quando existir reciprocidade. Uma amizade, assim como todo tipo de relação, se baseia em um intercâmbio sincero de emoções, pensamentos, apoios…

Se você não sente nenhuma destas dimensões e vê que estas pessoas só lhe procuram quando querem algo em troca, não hesite em impor limites.

Não se trata, assim como falamos antes, de romper o vínculo da noite para o dia. Na realidade, basta dizer a verdade em relação ao que você sente e estabelecer limites para o relacionamento.

“Isso você não pode fazer porque não me faz bem”, “Estou notando que você só busca a minha amizade quando precisa de algo. Eu gostaria de ter mais reconhecimento à minha pessoa da sua parte”.

O prazer de ser importante para quem realmente importa

Não se preocupe se, ao longo dos anos, você tenha que deixar muitas pessoas pelo caminho. Na realidade, a vida é assim mesmo, ir avançando para ficarmos com o mínimo, com o que realmente importa e engrandece o nosso coração.

Quem anda com a mente mais leve e o coração mais carregado se sente mais feliz e, por isso, não devemos ter medo de deixar ir quem não precisa de nós.

Haverá momentos em que você sentirá uma verdadeira dor ao comprovar que alguém que era muito importante para você deixou de sentir o mesmo. Deixou de reconhecer-lhe, de precisar de você.

Curar esta dor por esta descoberta requer tempo mas, por sua vez, devemos nos lembrar sempre de que o maior amor de nossas vidas deve ser sempre o amor próprio. Se você mesmo não se ama e não se respeita, não será capaz de abrir a porta para outras oportunidades.

As pessoas que são realmente importantes para você, na verdade, são poucas, mas certamente são as melhores. Não se trata, portanto, de “acumular amigos” como fazemos nas redes sociais. Na vida real, devemos priorizar e amar o que temos diante de nós.

Os que precisam de você irão demonstrar isso. E irão fazê-lo de forma íntegra, sem egoísmos nem chantagens. Porque quem o ama e respeita sabe estabelecer este intercâmbio cotidiano no qual todos ganham e ninguém perde.

Se as pessoas que precisam de você sabem demonstrar isso, não se esqueça nunca de demonstrar reciprocidade, fazer com que eles notem que nós também precisamos deles é uma forma de reconhecimento muito poderosa, porque faz com que eles se sintam úteis, importantes, e peças imprescindíveis em nossa rede de amigos mais próxima.

As pessoas precisam de muitas coisas para viver: alimento, calor, uma casa, instantes de ócio e liberdade. Mas também não devemos nos esquecer de que as coisas mais importantes deste mundo não são “coisas”, e sim pessoas.

Daí vem a importância de saber cuidar, atender, reconhecer, sem dar lugar a dúvidas, deixar ir pesos inúteis que só podem causar danos e prejudicar o nosso crescimento pessoal.

Faça de você mesmo a sua prioridade. Olhe cada dia por você e por quem você realmente considera importante. Temos que aprender a nos afastar de quem não precisa de nós.

 

……………………………………………………………
*Fonte/Texto: melhorcomsaude

prafrentex

 


Brasileiro toma água com milho e pensa que é cerveja, saiba por quê

O Brasil, que hoje é o terceiro maior produtor da bebida no mundo, tem na cerveja a bebida preferida dos mais de 200 milhões de habitantes. Mas, curiosamente, a bebida que é servida por aqui, na grande maioria dos casos, não é cerveja.

A “Reinheitsgebot”, Lei da Pureza da Cerveja, foi promulgada em 23 de abril de 1516 pelo Duque Guilherme IV da Baviera e tinha como objetivo regular a fabricação da bebida em território alemão. O texto era simples, dizia que a cerveja só poderia ser feita com três ingredientes: água, malte de cevada e lúpulo. Até hoje: mais de quinhentos anos depois, a maioria dos cervejeiros alemães ainda segue a receita à risca.

O mesmo não acontece por cá. Grandes marcas nacionais como a Kaiser, Skol, Brahma, Antarctica, Bohemia e Itaipava se aproveitam de uma “brecha” na legislação brasileira para não usarem cevada em suas bebidas. Aqui é permitido que até 45% do malte de cevada seja substituído por outras fontes de carboidratos mais barata. O que entra na garrafa então é milho transgênico, produto que existe em abundância no país e que reduz drasticamente o custo das cervejarias. Nosso país está entre os maiores produtores de transgênicos do mundo; aproximadamente 90% do milho brasileiro é não orgânico.

Para saber do que é feita sua cerveja preferida, basta ler o rótulo da embalagem. Normalmente, a descrição diria: água, malte de cevada e lúpulo, ou água, cevada e lúpulo. No entanto, nas marcas nacionais citadas acima, a composição descrita retira o malte de cevada e inclui a expressão ‘cereais não maltados’. A ‘nova fórmula’ da bebida no Brasil começou a ser posta em prática a partir de 2007, quando o Ministério da Ciência e Tecnologia liberou a comercialização de milho transgênico em território nacional. Esta mudança impede que o consumidor saiba do que realmente é feita a bebida, pois em todos os casos não é especificado que tipo de cereal é utilizado na fabricação da cerveja.

Em 2013, uma pesquisa de cientistas brasileiros da Unicamp, USP e Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foi publicada no “Journal of Food Composition and Analysis” (jornal científico internacional com estudos sobre a composição dos alimentos) demonstrando o alto grau de adulteração da cerveja brasileira. O consumidor deve, portanto, pensar bem antes de comprar a cervejinha para o churrasco. O risco de levar gato por lebre é grande.

………………………………….
*Fonte: blastingnews

gelada1


Deve funcionar

contagens


O câncer morre quando você come estes 10 alimentos. Consuma-os todos os dias!

Não é segredo para ninguém que o que comemos reflete na saúde do nosso corpo.

Por isso, para evitar toxinas e se prevenir contra o câncer, é muito importante uma dieta saudável.Estamos falando de frutas, verduras, legumes, proteínas magras e temperos naturais – o oposto da típica alimentação ocidental.

E é bom você saber: existem alimentos naturais que são diferenciados quando o assunto é prevenção do câncer. Esses alimentos são diferenciados porque têm a capacidade de destruir células cancerosas.

Veja uma lista com os dez mais poderosos alimentos para prevenção e combate ao câncer

 

1. Cenoura
Ela é composta por betacaroteno, um antioxidante capaz de retardar o crescimento das células cancerosas e proteger o corpo das toxinas, já que atua nas membranas celulares.
A cenoura também pode fornecer antioxidantes que combatem o HPV, além de agir no tratamento de leucemia.

 

2.Vegetais crucíferos
A couve, o brócolis, o repolho e couve-flor têm sulforafano e indol-3-carbinol.
Sabe o que isso significa?
Que eles podem combater as toxinas e as células que podem se transformar em tumores malignos.
O interessante é que estudos feitos revelaram que todos esses vegetais são mais atuantes contra os cânceres de boca, esôfago e estômago.

 

3. Alho
Não é uma boa ideia desejar que o alho não tenha cheiro forte.
Na verdade, é justamente seu odor, formado de compostos de enxofre, que dá o poder de parar o câncer, acelerar o reparo de DNA e matar células cancerosas.
O alho é ótimo para prevenir o câncer de próstata, de cólon, da mama e pulmão.
A cebola também.

 

4. Gengibre
Ele tem propriedades anti-inflamatórias que retardam o crescimento do câncer.
E, se estamos falando de câncer no ovário, saiba que a raiz se sai melhor do que a quimioterapia.
Quer mais?
O gengibre alivia enxaqueca, náuseas dores musculares e de artrite.

 

5. Chá verde
Ele é rico em polifenóis e catequinas, que são super-resistentes às células cancerosas.
Além de retardar o crescimento do câncer, também ajuda a desintoxicar o fígado.
Pode confiar: as catequinas do chá-verde são fortes protetoras contra tumores.

 

6. Linhaça
Rica em óleos insaturados e fibras, a linhaça contém diversos componentes anticancerígenos, como a lignina, razão pela qual previne e combate a formação de tumores.
Consuma todos os dias de 1 a 2 colheres (sopa) de sementes de linhaça trituradas na hora.

 

7. Romã
Se o problema são células cancerosas na próstata, pode apostar na romã, que ela diminui significativamente, de acordo com pesquisas.
A fruta é antioxidante e anti-inflamatória.

 

8. Algas comestíveis
Quem come comida japonesa está bem familiarizado com wakame, kombu, hijiki e nori.
Elas são algas marinhas cheias de vitaminas e minerais como o iodo.
Todas ajudam a remover metais pesados do corpo.

 

9. Cúrcuma (açafrão-da-terra)
Tem propriedades antioxidante e anti-inflamatória.
Por conseguir matar inúmeras células cancerosas, tem sido alvo de muitos estudos.

 

10. Vitamina D
Sabemos que não é um alimento, é claro.
Mas a vitamina D é perfeita para reduzir o risco de vários tipos de câncer, como o de mama e o de cólon.
Além disso, aumenta as chances de sobrevivência de quem já está com um tumor maligno.

 

E PARE DE CONSUMIR O GRANDE INIMIGO!

A prevenção e o combate ao câncer ficarão muito fortalecidos se você, além de comer estes alimentos frequentemente, deixar de consumir o maior vilão da história: o açúcar branco.

O açúcar refinado está fortemente ligado ao câncer, não apenas como uma causa dele, mas também como algo que alimenta as células cancerosas quando uma pessoa tem a doença.

Para saber mais, clique AQUI.
Este é uma notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.

 

………………………………………….
*Fonte: curapelanatureza

cancer_-_alimentos


10 Aditivos Alimentares Banidos no Exterior que Você Deve Evitar

Muitos aditivos de alimentos, sejam eles industrializados ou não, são considerados perigosos para o consumo e, por isso, são bastante limitados pelos órgãos de inspeção de alimentos.

Alguns desses aditivos são tão prejudiciais que são proibidos em certos países. Veja quais são alguns deles e o que levou governos a tomarem decisões drásticas.

1. Salmão de aquicultura

A ração deste tipo de salmão pode conter diversos aditivos que deixam resíduos na carne, podendo prejudicar até suas qualidades visuais, como cor e textura – então qual é a solução que os produtores encontraram?

Mais aditivos para disfarçar os efeitos dos primeiros, principalmente a cantaxantina. Ela é um antioxidante encontrado naturalmente em algas e provê a cor rosada aos animais que a consomem, além de ajudar o sistema imunológico. Até aí, tudo bem; no entanto, a cantaxantina sintética, feita a partir de componentes petroquímicos e vendida em mercados de alimentos de animais pode trazer consequências graves.

Ao comer salmão de cativeiro, você também ingere a cantaxantina sintética, cujos efeitos adversos podem resultar em problemas de visão, anemia, náuseas e diarréia.

Tudo isso sem contar o impacto ambiental que a substância causa: ela pode aumentar o número de parasitas, como o piolho de peixe e, juntamente com medicamentos usados nos tanques para inibir doenças nos peixes, acabar, devido ao mecanismo de seleção natural, fortalecendo micro-organismos causadores de enfermidades – estes podem se deslocar pela água e encontrar salmões selvagens, infectando-os e matando-os.

 

2. Corantes artificiais

Corantes artificiais, que são proibidos na Noruega, Áustria, Finlândia, Reino Unido e na França (e restritos no resto da União Europeia) ainda são encontrados em todos os outros países, em ítens como queijos, doces, refrigerantes e muitos outros. O problema desses corantes é que são feitos com elementos derivados do petróleo e do alcatrão e são muito associados a vários tipos de câncer, inclusive no cérebro.

Uma pesquisa feita pela FSA (Agência de Normas Alimentares do Reino Unido, em tradução livre) sugere que o consumo de certos corantes artificiais e do conservante benzoato de sódio pode estar ligado ao aumento de hiperatividade no caso de algumas crianças.

De qualquer forma, é importante lembrar que a hiperatividade também é associada a muitos outros fatores em adição a certas atividades, portanto, uma dieta supervisionada pode ajudar a administrar o comportamento hiperativo, mas pode não ser uma solução completa. Outros fatores podem incluir parto prematuro, genética e a própria criação.

Na União Europeia, os corantes artificiais são proibidos em cinco países e, nos outros, uma advertência deve ser colocada em toda comida ou bebida que contenha qualquer uma das seis cores – amarelo crepúsculo (E110), amarelo de quinoleína (E1104), azorrubina (E122), vermelho 40 (E129), tartrazina (E102) e ponceau 4R (E124).

A embalagem deve conter um aviso alegando que pode haver um efeito adverso na atividade e atenção em crianças. No Brasil, são permitidas cinco das seis cores (amarelo crepúsculo, azorrubina, vermelho 40, tartrazina e ponceau 4R).

 

3. Frango contaminado com arsênico

Arsênico é uma substância comprovadamente cancerígena, mas é componente comum em medicamentos usados na criação de aves – tem várias finalidades (desde tratamento de doenças até aceleração do crescimento animal).

Dos quatro medicamentos que eram utilizados, três foram proibidos no Brasil em 2013 (o que restou é a única alternativa para tratar uma doença chamada histomonose, que costuma atingir perus). Na União Europeia, não se utiliza nenhum deles.

O arsênico aprovado pelo FDA (dos EUA) é orgânico e não causa câncer. No entanto, estudos indicam que o arsênico orgânico pode se transformar em arsênico inorgânico, o que pode gerar câncer e também migrar para lençóis freáticos, contaminando a água.

Este aditivo está banido da União Europeia desde 1999, mas ainda é vendido no Brasil e em outros 14 países.

 

4. Bromato de potássio

O bromato de potássio é usado na panificação, diminuindo o tempo necessário para assar a massa. É proibido na China, Canadá e União Europeia. Também foi proibido no Brasil.

A International Agency for Research on Cancer (IARC – Agência Internacional de Pesquisa em Câncer), órgão ligado à Organização Mundial da Saúde (OMS), classificou o bromato de potássio como um agente possivelmente cancerígeno para humanos.

Essa substância é proibida por lei federal em qualquer quantidade nas farinhas, em preparo de massas e nos produtos de panificação.

O uso é considerado crime hediondo, a substância pode causar câncer em fetos se ingerida por gestantes, problemas nos rins, danos ao sistema nervoso, problemas na tireoide, desconforto gastrointestinal e câncer. Uma boa maneira de identificar o pão com bromato de potássio é verificar se ele esfarela com facilidade.

 

5. Ractopamina

A ractopamina é adicionada à ração de animais de produção, principalmente dos suínos, para ajudar no seu desenvolvimento muscular. Ela é proibida em mais de 50 países porque não há pesquisas suficientes que comprovem sua segurança, mas é permitida pelo Codex Alimentarius dentro de certos limites.

No Brasil, os maiores produtores de carne não utilizam a ractopamina na ração de seus animais porque os importadores não aceitariam, mas muitos ainda insistem em defender o aditivo.

O composto pode ser excretado em fezes animais, se espalhar por campos fertilizados e assim chegar até a água.

Apenas um estudo foi realizado sobre os efeitos nos seres humanos. Foram observados a elevação do ritmo cardíaco e palpitações. Segundo o FDA (órgão norte-americano responsável pelo controle de alimentos), os efeitos nos animais incluem toxicidade e outros risco de exposição, como mudanças de comportamento e problemas cardiovasculares, reprodutivos e endócrinos. A substância também é associada aos altos níveis de estresse no animal, hiperatividade, membros fraturados e morte.

 

6. Olestra

Proibido no Reino Unido e Canadá, o olestra é uma gordura adicionada aos salgadinhos prontos para consumo ou que precisam ser aquecidos, como a pipoca de micro-ondas.

Ele é uma gordura sintética conhecida como Olean e é encontrada em algumas marcas de batata. É considerada perigosa, ela não é absorvida pelo sistema digestivo, mas tem ma série de efeitos colaterais negativos, e também diminui a capacidade do organismo de absorver as vitaminas A, D, E e K. Alguns efeitos colaterais podem ser cólicas, gases e diarreia.

O FDA aprovou o olestra sob a condição de que o fabricante colocasse um aviso sobre a existência do componente no produto. Por fim, ele foi direcionado para produção de tintas e lubrificantes.

No entanto, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária(Anvisa) permite o uso do olestra em produtos alimentícios desde que seja colocado um aviso na rotulagem com os dizeres “este produto pode ter aditivo laxativo”. No Reino Unido e no Canadá, o olestra é proibido.

 

7. Óleo vegetal bromado (BVO)

O BVO é produzido a partir da adição de moléculas de brometo no óleo comum. É proibido em mais de 100 países e muito limitado nos que ainda permitem. Seu consumo a longo prazo está relacionado a muitas doenças.

Inicialmente feito como retardante de chamas em espuma de colchão, hoje a substância é mais comumente encontrada em refrigerantes. Atua como um aditivo estabilizante. garantindo que os elementos não se separem durante o processo de fabricação.

O excesso de bromo no organismo pode desencadear diversos riscos à saúde dos consumidores, como hipotiroidismo, distúrbios de memória, enfraquecimento, tremores, paranóia aguda e bromismo (sintomas do bromismo: perda de apetite, dor abdominal, fadiga, acne, arritmia cardíaca, infertilidade).

 

8. Hormônio sintético rbST

A somatotropina recombinante bovina (rbST) é uma versão sintética da somatotropina, o hormônio do crescimento, que é usado em vacas para aumentar a produção de leite.

Os resíduos deste aditivo no leite que consumimos já foram associados a infertilidade, fraqueza muscular e câncer de mama e próstata, além de mastite (inflamação das mamas) nas vacas.

É proibido na União Europeia, Canadá, Japão e Oceania. Nos Estados Unidos, é legalizado, porém, sob a restrição de que apresente no rótulo “contém rbST”.

 

9. Azodicarbonamida (ADA)

A ADA pode induzir à asma e existem apenas cinco países no mundo que não proíbem este composto, que é utilizado para clarear a farinha e o plástico.

O que um componente do plástico está fazendo no meio da nossa comida? Definitivamente, não deveria estar lá.

Também é utilizado pela indústria química na fabricação de solas de borracha de sapatos e tapetes de ioga.

Na indústria alimentícia, ele é utilizado em pães e foi proibido em diversos países por ser potencialmente prejudicial à saúde. Segundo um relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) feito em 1999, o composto pode causar problemas respiratórios, como asma e irritações de pele. No Brasil, a azodicabonamida é legalizada nos padrões de 0,004 g por 100 g de farinha.

 

10. Conservantes BHA (hidroxianisole butilado) e BHT (hidroxitolueno butilado)

Em 2011, o relatório sobre agentes cancerígenos do Departamento de Saúde e Serviços Humanos, do Programa Nacional de Toxicologia dos EUA, afirmou que o BHA “é razoavelmente previsto para ser um carcinógeno” e o BHT pode causar intoxicações sistêmicas. Esses conservantes estão em gomas de mascar, cervejas, cereais e até na carne, para evitar a rancificação de óleos e a oxidação São proibidos no Japão e em grande parte da Europa.

>> Muita atenção ao adquirir certos produtos. É sempre bom ler as especificações em seu rótulos!

 

……………………………………..
*Fonte: saudecuriosa

bromato_pao

 

 

 

 

 

 

 

bromato_pao2

 

 

 

 

 

 

 

bromato_pao3


7 fatos estranhos sobre o equilíbrio

A maioria das pessoas pode se levantar e caminhar sem pensar muito sobre essas ações. Mas, para fazer isso, seu cérebro deve obter informações de vários sistemas complexos no corpo, que trabalham em conjunto para mantê-lo equilibrado.

Que processos estão envolvidos nisso? O que acontece quando esses sistemas não funcionam adequadamente?

 

1. Seu ouvido interno desempenha um papel importante no equilíbrio

Seus ouvidos não são apenas importantes para a audição; eles ajudam no seu equilíbrio também. Várias estruturas do ouvido interno, chamadas em conjunto de sistema vestibular, enviam sinais para o cérebro que o ajudam a orientar-se e manter o equilíbrio.

Duas estruturas, utrículo e sáculo, monitoram os movimentos lineares de sua cabeça e detectam a gravidade. Outras estruturas, que formam voltas e contêm líquido, controlam a rotação da sua cabeça.

Muitos problemas de equilíbrio resultam de condições que afetam o ouvido interno. Por exemplo, se cristais de cálcio no interior do ouvido acabarem no lugar errado, eles podem fazer com que o sistema vestibular envie sinais para o cérebro que sua cabeça está em movimento, quando na verdade ela está parada, o que causa tontura.

2. Seus músculos, articulações e até mesmo sua pele ajudam com o equilíbrio também

Os receptores sensoriais em seus músculos, articulações, ligamentos e pele ajudam a dizer a seu cérebro onde o seu corpo está no espaço – o que é chamado de propriocepção. Estes receptores, tais como aqueles na parte inferior de seus pés ou ao longo de suas costas, são sensíveis a sensações de pressão ou alongamento.

Quando um policial pede para um motorista tocar o seu nariz como parte de um teste de sobriedade, ele está testando a propriocepção da pessoa. Quando estamos sob a influência do álcool, podemos falhar no teste porque o cérebro tem dificuldade em determinar a posição dos seus membros em relação ao nariz.

 

3. O equilíbrio piora com a idade

À medida que envelhecemos, nós experimentamos deficiências nos três sistemas principais que nos mantêm em equilíbrio: a visão, o sistema vestibular e a propriocepção.

Estas deficiências, combinadas com a força muscular e flexibilidade reduzidas, tornam os adultos mais velhos mais propensos a quedas.

 

4. Seu dedão do pé não é crucial para o equilíbrio

O dedão do pé, por si só, não é crucial para o equilíbrio. Pessoas sem ele ainda podem andar e correr, embora provavelmente serão mais lentas e terão um passo mais curto.

Um estudo de 1988 com pessoas que tiveram seu dedão do pé amputado descobriram que os pacientes apresentaram alterações na marcha e força que o corpo gerava ao caminhar. Mas os pacientes tinham “pouca ou nenhuma deficiência” a partir dessa perda.

 

5. Você pode sentir que está se movendo quando não está

Se você já sentou em um trem, olhou pela janela e de repente sentiu como se ele estivesse em movimento quando não estava, você experimentou um fenômeno chamado “vecção”. Isso acontece quando algo que ocupa uma grande parte do seu campo visual começa a se mover. No exemplo do trem, o que você realmente viu foi um outro trem se movendo, fazendo você sentir como se o seu trem estivesse se movendo na direção oposta.

Vecção pode causar desorientação, porque seu cérebro experimenta um conflito entre as informações sensoriais recebidas de diferentes fontes. Sua visão lhe diz que você está se movendo, mas os receptores sensoriais em seu corpo dizem-lhe que você não está em movimento. Informações extras a partir de seu sistema vestibular vão em última análise acabar com o conflito. Você também pode simplesmente olhar para outra janela, para descobrir se está realmente se movendo.

 

6. Enxaqueca pode estar relacionada com problemas de equilíbrio

Cerca de 40% das pessoas que têm enxaquecas também sentem tonturas ou problemas de equilíbrio, que podem acompanhar a dor de cabeça ou ocorrer em um momento separado.

A condição é conhecida como vertigem associada à enxaqueca. A causa da doença é desconhecida, mas é possível que a enxaqueca afete a sinalização do cérebro e que isso, por sua vez, diminui a sua capacidade de interpretar informação sensorial a partir dos olhos, ouvido interno e músculos, resultando em uma sensação de tontura. Outra teoria é que a tontura é causada pela liberação de certas substâncias químicas no cérebro que afetam o sistema vestibular.

7. Algumas pessoas sentem uma sensação de balanço meses depois de estar em um barco

É comum que as pessoas que estiveram em um barco sintam como se ainda estivessem balançando mesmo depois de pisar em terra novamente. Essa sensação geralmente desaparece dentro de algumas horas ou dias.

No entanto, em alguns casos, a sensação pode durar meses ou anos. Pacientes com esses sintomas possuem algo chamado de “síndrome Mal de Debarquement”.

Não está claro por que algumas pessoas desenvolvem essa síndrome. Uma hipótese é que os pacientes com esta condição têm mudanças em seu metabolismo e atividade cerebral que o tornam capaz de se adaptar ao movimento do oceano quando estão em alto mar, mas incapaz de se readaptar uma vez que este movimento é interrompido. [LiveScience]

…………………………….
*Fonte: hypescience

elefante-equilibrado


Ficar sem férias pode te matar, diz a ciência

A medicina entende cada vez melhor os danos de muito trabalho sem descanso. Passar meses seguidos sem um tempo real de férias pode afetar o corpo de muitas formas, mentais e físicas.

Um trabalho de longo prazo mostrou que não tirar férias aumenta a chance de problemas cardíacos. Um projeto chamado de estudo Framingham acompanhou mulheres trabalhadoras por 20 anos. Foram analisadas as relações entre a frequência com que elas tiravam férias e a incidência de problemas cardíacos.

Os cientistas chegaram à conclusão de que menos férias implicam mais problemas cardíacos. Trabalhadoras que tiravam férias a cada seis anos tinham o dobro de chances de ter problemas cardíacos do que aquelas que descansavam pelo menos duas vezes por ano.

Outra pesquisa, realizada com homens, mostra que jornadas longas (de dez horas ou mais) aumentam os riscos de doenças coronárias em 80%. A explicação dos cientistas para o aumento nesses riscos é por causa da exposição prolongada a stress psicológico.
E a mente?

A cabeça também é afetada. Uma grande pesquisa chamada Whitehall II estudou os efeitos psicológicos de longos turno de trabalho. Trabalhar mais de 11 horas por dia dobra as chances de um episódio de depressão grave, em comparação a trabalhadores com turno de sete ou oito horas.

Mas tirar férias ainda pode melhorar a mente. Um estudo da Univeridade de Uppsala, na Suécia, mostrou que acontece uma melhora psicológica depois de uma temporada de férias. O estudo mostra, inclusive, uma queda na quantidade de remédios comprados por pessoas que acabaram de voltar de férias.

Os impactos vão além. Estudos também notaram aumento de criatividade em mentes descansadas. Outros, analisando pessoas em situações de longos períodos de trabalho, indicam queda nas funções cognitivas e até diminuição no vocabulário.

……………………………..
*Fonte: superinteressante


Estudo indica que estamos bebendo água com pH impróprio para consumo

A água é essencial à vida. Especialistas indicam que precisamos sempre nos hidratar para evitar uma série de complicações e doenças. A água que consumimos precisa ter necessariamente 3 características. A seguir: ela precisa ser inodora, ou seja, não possuir cheiro; incolor, que significa não possuir cor; e insípida, ou desprovida de gosto.

Outra característica importante da água é o pH. O pH é uma escala que vai do 0 ao 14 utilizada para medir o potencial de hidrogênio e indica a acidez ou a basicidade de uma solução líquida.

Segundo o Ministério da Saúde do Brasil, o pH da água deve estar entre 6,0 e 9,5. Mas, um estudo publicado pela engenheira agrônoma Érika Ferreira, para obtenção do título de especialista em Gestão Ambiental pelo Núcleo de Meio Ambiente da Universidade Federal do Pará, mostrou que nenhuma das marcas analisadas no Laboratório de Recursos Hídricos do Instituto de Geociências da UFPA estão dentro desses padrões recomendados.

“Água precisa ter um pH acima de 6,5 para ser potável. Abaixo disso, não é água potável, podendo, inclusive, causar problemas de saúde. Se consumida durante dez, vinte anos, pode causar problemas gástricos, como gastrites, úlceras e câncer de estômago”, advertiu o professor Milton Matta, que orientou o estudo.

Para você se informar melhor sobre o pH da água que consumimos, confira a lista das águas mais vendidas no Brasil com seus respectivos pH:

Santa Joana – pH 5,25
Petrópolis – pH 5,38
Bonafont – pH 5,44
São Lourenço – pH 5,45
Perrier – pH 5,5
Lindoya – pH 6,74
Schin – pH 6,79
Puris – pH 6,98
Água Prata – pH 7,01
Crystal – pH 7,28
Pureza Vital (Nestlé) – pH 7,44
Minalba – pH 8,04
Levity – pH 8,84
Sarandi – pH 9,35
Ibirá – pH 10,15

Confira também algumas águas vendidas no Pará, estado onde a pesquisa foi realizada. Os resultados são bastante preocupantes.

Belágua – pH 3
Top Line – pH 3,75
Mar Doce – pH 3,80
Nossa Água – pH 3,89
Terra Alta – pH 4,14
Indaiá – pH 4,52

Esses níveis de pH apresentam um grande risco para o consumidor. O estudo reforça que as empresas que produzem as águas analisadas precisam se adequar aos padrões o quanto antes.

Além disso, o estudo evidencia que existe uma ausência no monitoramento nesse processo de produção, o que poderia evitar que águas com pH impróprio para o consumo fossem produzidas e comercializadas

Sempre que for comprar água, verifique o índice de pH, indicado no rótulo. Isso pode fazer com que você compre apenas águas dentro dos padrões recomendáveis e assim evite doenças a longo prazo.

………………………………
*Fonte: jornalciencia_r7


Cientistas afirmam que internet Wi-fi pode trazer riscos graves para a saúde

Um desequilíbrio metabólico causado pela radiação dos nossos dispositivos sem fio pode ter ligação com alguns riscos para a saúde, tais como várias doenças neurodegenerativas e até mesmo câncer, sugere um estudo publicado recentemente.

Esse desequilíbrio, também conhecido como estresse oxidativo, é definido pelo coautor Igor Yakymenko como “um desequilíbrio entre a produção de espécies reativas de oxigênio (ROS) e de defesa antioxidante”.

Yakymenko explica que o estresse oxidativo devido a exposição à radiofrequência poderia explicar não só casos de câncer, mas também outras doenças menores, tais como dor de cabeça, fadiga e irritação da pele, o que pode ocorrer depois de uma exposição a longo prazo.

“Estes dados são um sinal claro dos riscos reais que este tipo de radiação apresenta para a saúde humana”, alerta.

 

Cuidado com o Wi-fi

O artigo explica que as ROS, que são muitas vezes produzidas nas células devido a ambientes agressivos, também podem ser provocadas pela “radiação sem fio comum”.

Pesquisas recentes demonstram possíveis efeitos cancerígenos da radiofrequência (RFR) e da radiação de microondas. Em 2011, a Agência Internacional de Investigação do Câncer classificou a RFR como um possível agente cancerígeno para os seres humanos. Mas a falta de explicação para mecanismos moleculares claros de tais efeitos de RFR não ajudaram na aceitação de uma realidade de risco. O artigo demonstra que os efeitos perigosos de RFR poderiam se desenvolver através dos “mecanismos clássicos” de imparidades oxidativas em células vivas.

Yakymenko e seus colegas alertam para uma abordagem de precaução no uso de tecnologias sem fio, como telefones celulares e internet wireless. [Science Daily]

………………………………
*Fonte: hypescience

wifi_dangerous


Estes 10 problemas são causados pelo micro-ondas, e você provavelmente não sabe!

Os seres humanos são os únicos animais no planeta que consomem alimentos fora do seu estado natural, submetendo-os ao calor e destruindo, muitas vezes, completamente o valor nutricional deles.

O uso de micro-ondas é o maior exemplo disso.

Ademais, a quantidade de alimentos embalados e processados que os seres humanos compram e consomem anualmente é alarmante.

É por isso que, hoje em dia, um número crescente de pessoas está tentando encontrar a resposta para uma dúvida: o aparelho de micro-ondas é conveniente pela comodidade e baixo risco ou ele é uma grave ameaça em termos biológicos e nutricionais?

Vamos esclarecer essas dúvidas agora.

Um estudo realizado em 2003, na Espanha, provou que os legumes e frutas cozidos em um forno de micro-ondas perdem uma percentagem de 97% das substâncias que contribuem para a redução da incidência de doenças coronárias.

Estudo  publicado por Raum & Zelt em 1992 afirma:
“As micro-ondas produzidas artificialmente, incluindo as dos fornos, são produzidas a partir de corrente alternada e forçam um bilhão ou mais inversões de polaridade por segundo em cada molécula de alimentos que atingem. A produção de moléculas anormais é inevitável”. “

Dra. Lita Lee, em seu livro “Efeitos da radiação de micro-ondas na saúde”,  afirma que esse tipo de forno prejudica o alimento e sua radiação torna substâncias cozidas em perigoso produtos tóxicos e cancerígenos.

Segundo a dra. Lee, mudanças são observadas nas análises bioquímicas do sangue e nas taxas de certas doenças entre os consumidores de alimentos preparados no micro-ondas.

Estudo realizado em 1991 pelo suíço Hans Ulrich Doctor Hertel, feito juntamente com o dr. Bernard H. Blanc, do Instituto Federal Suíço de Tecnologia e pelo Instituto Universitário de Bioquímica, mostrou que cozinhar ou aquecer alimentos nesse aparelho apresenta riscos muito maiores para a saúde do que o tradicionalmente cozimento (fogão).

Além disso, o estudo mostrou que as pessoas que comiam alimentos preparados no micro-ondas tiveram uma mudança no sangue, com perda de hemoglobina e linfócitos, o que pode causar deterioração no organismo.

Entre o que essas pesquisas descobriram, podemos destacar:

– Leite e cereais aquecidos no micro-ondas tiveram alguns de seus aminoácidos convertidos em carcinógenos (causadores de câncer).

– Frutas descongeladas no aparelho tiveram  seus glicosídeos e galactose convertidos em substâncias cancerígenas.

– Nas carnes preparadas no micro-ondas, houve a formação de d-nitrosodienthanolaminas, um carcinógeno conhecido.

– Mesmo com a exposição extremamente curta de vegetais crus, cozidos ou congelados, houve a conversão dos seus alcaloides em carcinógenos.

– O calor do micro-ondas produziu nos vegetais vários tipos de danos em muitas de suas substâncias, tais como alcalóides, glicosídeos e galactosídeos.

– Total perda da biodisponibilidade de vitamina C, E, vitaminas do complexo B  e minerais essenciais em todos os alimentos testados.

Investigadores russos também relataram uma acentuada degradação estrutural que conduz a uma diminuição de nutrientes de 60% a 90% em todos os alimentos testados.

O resumo do que constataram todas essas pesquisas sobre o micro-ondas pode ser transformado em motivos para você não usar o aparelho:

1. Maior taxa de distúrbios digestivos nos consumidores.

2. Aumento de casos de câncer de estômago e intestino.

3. Aumento na formação de células de câncer no sangue.

4. Distúrbios linfáticos  que levam à diminuição da capacidade de impedir certos tipos de câncer.

5. Diminuição significativa no valor nutricional de todos os alimentos.

6. Aceleração da desintegração estrutural em todos os alimentos.

7. Perda de 60-90% do conteúdo de energia vital de todos os alimentos.

8. Redução do processo de integração metabólica de alcaloides, glicosídeos e galatosídeos e nitrilosides.

9. Destruição do valor nutritivo das carnes.

10. Diminuição da biodisponibilidade, que é a capacidade do organismo de utilizar o alimento, de vitaminas do complexo B, vitamina C, vitamina E, minerais essenciais e lipotrópicos em todos os alimentos.

…………………………………….
*Fonte: curapelanatureza – Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.

903570


10 Dicas para criar a vida dos seus sonhos

Daniel Ally, especialista de negócios, explica o que deve fazer para criar a vida dos seus sonhos.

Imagine onde gostaria de trabalhar, que carro conduzir e onde viver – seria a vida dos seus sonhos?

No mundo há uma abundância de oportunidades que podem proporcionar a riqueza, alegria e satisfação que procura. Se quiser criar a vida dos seus sonhos, provavelmente também está disposto a fazer o que muitas pessoas não querem.

Depois de analisar centenas de histórias pessoais este ano, percebi que há muitas pessoas que não conseguiram criar a vida que queriam. Muitos têm capacidade para fazê-lo, mas justificam-se com álibis inúteis. Querem ter uma vida fascinante, mas vivem uma vida de negação.

Será que todos nós queremos dinheiro? Sim! E muito mais que isso. Queremos amor, romance e aventuras. Muitos de nós querem paz e sossego. Alguns de nós querem uma vida longa e saudável. Outros querem contribuir para algumas partes do mundo de modo a gravar na sua memória os sorrisos de felicidade das pessoas que ajudaram. Alguns querem apenas ser reconhecidos por aquilo que são.

Seja qual for o seu estilo de vida ideal, você pode tê-lo. Muitos argumentam que tudo o que queremos é uma vida feliz.

Seguem-se 10 dicas para criar a vida dos seus sonhos:

 

1. Descubra a sua paixão

Não importa quem você é – o trabalho de que você gosta existe. Se estiver à procura de uma paixão, pergunte a si mesmo “O que é que gostaria de fazer, sem ser remunerado, ao longo de seis meses?” A sua resposta irá surpreendê-lo. Se você souber o que é, então faça-o bem e trate de transformá-lo na sua carreira.

Uma amiga minha estava cansada de ter empregos sem futuro e decidiu comprar um caderno de rascunhos. Não sabia que a arte era a sua paixão, especialmente depois de o seu professor do terceiro ano ter dito que não sabia “desenhar pessoas”. Hoje em dia a minha amiga pinta retratos a óleo e ganha bastante com isso.

 

2. Desenvolva a sua visão

A sua vida ideal é diretamente proporcional à visão que você tem de si mesmo no futuro. Quer ter uma vida melhor? Precisa de visualizá-la antes de a realizar! Como vê o seu futuro? O que está disposto a fazer hoje para tornar o amanhã um dia melhor?

Muitas mudanças surgem devido a frustrações do passado. Donald Trump ficava agonizado com a forma como o seu pai agia no mundo dos negócios: era um homem exigente mas deixava escapar grandes acordos imobiliários. Trump concluiu que não queria repetir os erros do pai.

Se você conseguir imaginar a sua vida ideal – poderá tê-la!

 

3. Seja paciente

A vida é um teste à paciência. Tudo o que fazemos exige paciência. Alguns dos nossos desejos mais profundos poderão resultar com a nossa paciência. Além disso, nem sempre é fácil esperar. Muitas vezes, parece-nos que os outros obtêm resultados mais rapidamente do que nós. No entanto, nunca devemos comparar os nossos resultados aos dos outros.

Se for o melhor para si – um dia ocorrerá. Não se preocupe com o amanhã ou com o próximo ano, mas faça o que tem de ser feito hoje. Se você tiver uma visão clara do que irá acontecer, mantenha-se incentivado e alimente a sua fé. Sem fé nada é possível. Com fé tudo é possível. Acredite nos seus sonhos e seja paciente.

 

4. Ame os outros

O amor é a maior força inspiradora do mundo. Nada pode acontecer sem o poder do amor. O amor é o que une o mundo e ninguém pode viver sem amor. Pense nas pessoas que ama. Que influência têm essas pessoas sobre si? Você entende o quanto você as influencia?

A única maneira de saber é imaginar como seria o seu funeral. Imagine ouvir o tributo fúnebre e ver todas as pessoas que estão na cerimónia. São mais do que você imagina! Se você observar deste ângulo e viver cada dia como se fosse o último, terá uma vida como se tivesse tudo a ganhar a nada a perder!


5. Seja humilde

Ser humilde é uma das maiores virtudes de uma vida ideal. Uma vida humilde significa que você sabe quem é, o que faz e onde quer ir. Deste modo será sempre capaz de mostrar aos outros que se preocupa com os sentimentos alheios.

Porém, a humildade não é modéstia. Muitas pessoas rejeitam favores generosos porque acham que não os merecem. As pessoas humildes sabem receber – bem como dar. De facto, a única maneira de saber dar passa por receber. As pessoas humildes sabem fazer ambas.

Quem se honrar a si próprio será humilhado. Quem for humilde será honrado.

 

6. Defenda a sua opinião

Há muitas situações em que precisamos de defender a nossa posição. Muitos de nós não se sentem confortáveis a falar de si próprios ou dos seus sentimentos – contudo devemos expressar as nossas ideias e garantir que a nossa voz é ouvida. Se não defendermos a nossa opinião, acabamos por recorrer à raiva e à dor – o que atrapalha a nossa paz de espírito.

Da próxima vez que enfrentar um desentendimento com outra pessoa, defenda a sua opinião. Sem ser rude – mostre educadamente que você merece respeito. Se partilhar os seus pensamentos e sentimentos fará com que os outros mudem o seu comportamento. Fale sobre o que acredita – e acredite no que diz. Permita que as suas palavras tenham impacto.

 

7. Confie nos outros

Não há nada melhor que um ambiente de confiança. A cultura é tudo e tudo é cultura. Se você está num lugar onde sente traição e bisbilhotice, mesmo que pouca, está na hora de abandonar esse ambiente. Não sacrifique a confiança.

As relações de confiança podem ajudar a chegar a um nível mais alto. As pessoas ao seu redor devem ser capazes de o estimular e de apoiar os seus objetivos e sonhos. Não importa o que faça, você deve rodear-se das pessoas que o querem ajudar. Além disso, se você confiar em si mesmo, poderá confiar nos outros. A confiança é indispensável.

 

8. Peça ajuda

A sua vida seria muito mais fácil se pedisse ajuda às pessoas. Há algum tempo atrás, ajudei um executivo a tornar-se CEO da sua empresa no espaço de um ano. O seu problema não era uma questão de competências – mas antes a sua capacidade para pedir ajuda aos membros da sua equipa. Esta capacidade mudou a sua vida.

O que faz que poderia ser feito por outras pessoas? Se você estiver atrasado em alguma área da sua vida, provavelmente deve-se ao facto de não ter pedido ajuda. Está na hora de encarar a verdade e pedir ajuda às pessoas ao seu redor. Irá descobrir que as pessoas estão dispostas a ajudá-lo mais do que imaginou.

 

9. Contribua

Qual a sua contribuição para a comunidade? A sua riqueza material reflete a sua contribuição para a sociedade. Se quiser melhorar a sua vida, encontre uma forma de aumentar o seu impacto. Basicamente, a sua contribuição equivale ao seu rendimento. Quanto mais contribuir, melhor será a nossa sociedade.

Contribuir é um esforço altruísta. A sua recompensa pode nem sempre ser imediata – sendo essa a razão pela qual muitas pessoas hesitam em fazê-lo. No entanto, se você decidir dedicar a sua vida a ajudar os outros, encontrará nisso recompensa e satisfação sem fim.

Quando você cuida dos outros, os outros cuidam de si.

 

10. Finalize bem o que começou

É fácil ser bem-sucedido se você terminar o que começou – e se se basear na integridade. De facto, a única razão pela qual existe falsidade, desorganização e caos é porque as pessoas não terminam o que começam. A integridade passa por fazer o que deve ser feito – mesmo que o resultado não o beneficie a si. A longo prazo, você será mais forte e os outros saberão que é uma pessoa íntegra. Criar a vida dos seus sonhos é um processo permanente. Ao longo do caminho verá que muitas pessoas estão dispostas a ajudá-lo. Se conseguir criar uma visão própria e trabalhar para atingir os seus objetivos, o seu sonho tornar-se-á realidade.

…………………….
*Fonte: insiderpro

maoflor1818


Respirador minúsculo cura o ronco e ajuda pessoas com apnéia

Um gadget que acaba com o ronco. Você encaixa um aparelhinho, que mede 5×3 cm e pesa 25 gramas, no nariz e vai dormir. Ele tem 2 microventiladores que sopram ar nos seus pulmões ao longo da noite, auxiliando na respiração, impede o ronco e também evita casos de apnéia.

Uma startup de Massachusetts, nos Estados Unidos criou um respirador minúsculo para pacientes com apnéia, que substitui as incômodas máscaras de oxigênio.

O aparelho promete proporcionar mais conforto aos paciente que sofrem do distúrbio, que afeta a qualidade do sono e pode causar danos no cérebro.

O respirador chamado Airing facilita a entrada de ar no organismo do paciente enquanto ele dorme. O produto, segundo seus desenvolvedores, pode funcionar por mais de 8 horas, caso a pessoa durma mais que isso.

Chama a atenção o tamanho reduzido do aparelho, que não incomoda o paciente.

Segundo pesquisa feita pela própria startup, 50% dos pacientes que necessitam das máscaras de oxigênio – aplicadas tradicionalmente nesse tipo de tratamento durante o sono – as abandonam porque elas são consideradas desconfortáveis.

Para dar sequência ao desenvolvimento do aparelho e projetar sua comercialização, a empresa busca fundos no crowdfunding, a vaquinha eletrônica que cresce cada vez mais na internet.

Na página da campanha de financiamento coletivo no Indiegogo é possível colaborar com o projeto e entrar na fila de espera para receber o aparelho.

…………………………
*Fonte: curtamais


Não coma alimentos sobre os quais formigas andaram. Elas carregam mais doenças que as baratas!

Quem nunca se deparou com uma formiga caminhando sobre um alimento? Ou foi pegar um biscoito e deu de cara com o inseto? Essas situações são bem comuns já que qualquer migalha é suficiente para atrair esses bichinhos. Muitas vezes pensamos “é só uma formiguinha” e ignoramos alguns fatos importantes.

Podemos encontrar as formigas em qualquer lugar que habitamos, há uma estimativa de que exista 10.000.000.000.000.000 (dez quatrilhões) de formigas no planeta, divididas em cerca de 12.585 espécies. Com fácil adaptação, esse grupo representa cerca de 15% a 20% da biomassa animal terrestre. Além disso, acredita-se que elas habitem o planeta há mais de 100 milhões de anos, enquanto o homem teria feito o mesmo há singelos 195 mil anos.

As formigas também habitam lugares sujos como fezes, feridas, animais em decomposição e lixo. Por esse motivo, ignorar a presença delas nos alimentos é uma alternativa perigosa. Por caminharem em variados locais, elas carregam microrganismos patogênicos, como vírus, bactérias e fungos. A formiga é um grande transmissor de doenças infecciosas, além de poder causar gripe, tuberculose, verminoses, intoxicações alimentares, vômito, diarreia e até lepra.

Segundo um estudo publicado na Revista de Saúde e Biologia (SaBios), as formigas podem carregar uma imensa variedade de bactérias em suas patas, além de conseguirem percorrer até três centímetros por segundo. Os pesquisadores buscaram bactérias nas patas dos insetos em ambientes hospitalares e encontraram sete tipos variados de patógenos.

De acordo com outro estudo publicado na Neotropical Entomology em 2010, as formigas podem estar relacionadas a outros tipos de incômodos presentes em hospitais: rejeição, irritações e lesões na pele. Além disso, elas podem falsear resultados laboratoriais, passando de uma placa de Petri para outra.

É pouco provável que alguém coma um alimento sabendo que uma barata tenha passado sobre ele, mas costumamos ignorar a presença de formigas na comida. O que muitos não fazem ideia é que os riscos trazidos pelas formigas são tão grandes – ou até maiores – quanto os oferecidos pelas baratas. Quando uma barata é morta, quem elimina todos os resquícios de seu corpo é a formiga. Uma dissertação de mestrado da USP descobriu que a presença de Salmonella aureus e de enterobactérias resultante de amostras de formigas propõe que esses insetos interfiram completamente na qualidade higiênica dos alimentos.

Temperaturas mais quentes são as melhores para a reprodução desses insetos, ou seja, é praticamente impossível livrar-se totalmente deles. Caso não haja infestação, é possível evitar o problema protegendo os alimentos, removendo migalhas e utilizando detergente e sabão nos espaços em que eles transitam. Caso a situação não possa ser solucionada com essas medidas, o aconselhável é chamar uma equipe especializada.

 

……………………………………
*Fonte: jornalciencia

formigas9998


A linha tênue entre alcoolismo e hábito

Você saiu do trabalho e, como toda sexta-feira à tarde, parou para beber com os amigos. É quase uma tradição, e a sua única maneira de se manter em contato com as pessoas próximas. Mas esta tarde será diferente, um de seus amigos dará uma notícia que surpreenderá a todos: foi diagnosticado com alcoolismo e esse hábito de parar toda sexta-feira para beber é parte do problema.

Esta bomba faz com que você e seus amigos fiquem em “estado de choque”. Todos acham que é uma piada, mas não é, é um problema real e, infelizmente, muito comum, mas também muito difícil de entender. É difícil de entender porque você também bebe, também vai a essas reuniões com os amigos, participa desse hábito, mas você não é um alcoólatra, ou é assim que você pensa.

Então começam as dúvidas e as perguntas. O que o transforma em um alcoólatra? Por que algumas pessoas são mais suscetíveis do que outras ao alcoolismo? Um hábito pode levar ao alcoolismo? Continue lendo e encontrará algumas respostas.

Alcoolismo ou hábito?

As classificações de diagnóstico, como o DSM-5, deixam o transtorno por consumo de álcool fora dos critérios necessários para o seu diagnóstico como “um grupo de sintomas físicos e comportamentais, incluindo os sintomas de abstinência, tolerância e intenso desejo de consumo”.

No entanto, entre os critérios, elas enfatizam a frequência e o consumo recorrente do álcool como uma parte essencial para o seu diagnóstico. Mas esse consumo recorrente poderia ser considerado um hábito?

O hábito pode se transformar em um vício? A resposta é um sonoro não. Um vício, neste caso, o alcoolismo, é uma doença que se desenvolve por causa de diversos fatores biopsicossociais, partindo de um simples hábito para o consumo abusivo, que altera a estrutura do cérebro e o comportamento da pessoa.

Ou seja, é uma combinação de fatores biológicos, sociais e comportamentais que fazem com que um hábito como beber com os amigos se transforme em algo mais grave, um vício. Isto é complicado porque existem alguns fatores que controlamos e outros que não conseguimos controlar. Além disso, é difícil prever quem irá desenvolver ou não o mesmo vício diante de uma situação semelhante.

Por que algumas pessoas desenvolvem o alcoolismo e outras não?

Então, por que dentro desse grupo de amigos de que falamos no início do artigo, um vai desenvolver o alcoolismo e os outros não? Os fatores que influenciam o desenvolvimento da dependência do álcool podem ser resumidos em:

 

Fatores biológicos

Os fatores biológicos que ajudam a desenvolver o alcoolismo vão desde a herança genética até a alteração de diferentes neurotransmissores e estruturas cerebrais promovidas pelo hábito do consumo do álcool, que nos casos de indivíduos com predisposição para o vício é uma mudança muito rápida.

O transtorno pelo uso de álcool é encontrado mais facilmente entre familiares: 40-60% do risco de sofrer de alcoolismo é explicado pelas influências genéticas. Além disso, o risco é entre três e quatro vezes maior para os filhos de pessoas com transtorno pelo uso de álcool.

No que se refere às estruturas cerebrais e os neurotransmissores, verificou-se que a dopamina está envolvida no início das dependências porque está relacionada ao prazer, assim como o chamado sistema de recompensa do cérebro, composto principalmente pela área tegmental ventral, entre outras estruturas.

Fatores psicológicos

A percepção que a própria pessoa tem do consumo de álcool e o uso que faz dele podem ser muito importantes. No grupo de amigos que falamos no início do artigo, aquele que desenvolveu o alcoolismo provavelmente era o que bebia muito mais do que os outros.

Além disso, colocou em risco a sua saúde gerando um hábito nocivo, que deixou de ser controlável para se tornar um vício. Portanto, os padrões de comportamento durante a adolescência, que é onde se inicia este tipo de hábito, devem ser controlados pelos adultos. Nesta fase, a necessidade de aceitação e validação social são muito importantes.

 

Fatores sociais

A percepção do comportamento de beber e a disponibilidade do álcool no ambiente em que a pessoa vive também é muito importante. Os estudos demonstram que, nas sociedades mais permissivas em relação ao álcool, existem níveis mais elevados de alcoolismo.

Por isso, devemos ressaltar que há uma linha tênue entre o hábito de beber e o alcoolismo. Nesta linha há fatores que estão sob o controle do própria pessoa, como o seu comportamento, e outros que não estão, como o risco biológico. É preciso ter muito cuidado e consumir álcool com moderação, e até mesmo evitar o seu consumo.

………………………….
*Fonte: amenteemaravilhosa

 


Quanta cafeína você pode ingerir por dia

A cafeína, indispensável para muitas pessoas, tem efeitos sombrios se ingerida em exagero. O indivíduo se sente nervoso, trêmulo; tem dificuldades para adormecer e ter um sono de qualidade. O coração acelera, a pressão arterial sobe, surgem dores. Ele fica desidratado e, pior, dependente: quer mais cafeína para se manter desperto e disposto.

Mas quanta cafeína, exatamente, uma pessoa pode ingerir sem se arriscar a todos esses efeitos colaterais? Vasculhamos documentos da FDA, o órgão do governo americano que monitora e regula alimentos e remédios e a resposta é: adultos saudáveis podem consumir até 400 miligramas de cafeína diariamente sem nenhum risco à saúde.

Isso quer dizer que você pode beber até:

– 3 xícaras de 150 ml de café (cada uma tem de 60 a 150 mg de cafeína)
– 5 shots de 30 ml de café espresso (cada um tem 80 mg de cafeína)
– 2 shots de energético concentrado para cinco horas (cada um tem 200 mg de cafeína)
– 5 latas de 250 ml de Red Bull (cada uma tem 80 mg de cafeína)
– 2 latas de 473 ml de Monster Energy (cada uma tem 160 mg de cafeína)
– 11 latas de 350 ml de Coca-Cola (cada uma tem 34 mg de cafeína)
– 8 xícaras de 150 ml de chá verde (cada uma tem de 10 a 50 mg de cafeína)

Esses são limites diários, mas pegue leve. E saiba que cafeína é contra-indicada epara crianças de até 12 anos e limitada em até 100 mg para adolescentes de 13 a 18 anos — eles podem beber praticamente um quarto de cada um dos itens listados.

Quem tem problemas no coração também precisa consumir menos, 200 mg diários, para não agravar a condição. Não se provou até hoje que a cafeína cause essas doenças, mas é fato que ela acelera a batida cardíaca, razão para se tomar cuidado redobrado.

 

cafeeee1

 

 

 

 

 

 

 

………………………..
*Fonte: GQ


As 5 emoções que podem prejudicar o nosso corpo

Segundo a medicina chinesa, cada emoção está relacionada a um órgão e uma função do corpo humano. As causas mais comuns de doenças são as atitudes e as emoções negativas como a culpa, o ressentimento, a necessidade de atenção e o medo. Qualquer desequilíbrio emocional pode se refletir em sintomas ou em doenças de tais órgãos.

A doença nasce para evitar situações desagradáveis ou para tentar escapar delas. A medicina oriental acredita que todo mal-estar no fundo quer dizer que precisamos nos amar mais. Isto é assim porque à medida que nos amamos, permitimos que seja nosso próprio coração a dirigir nossas vidas e nossos egos.

 

A vida não é estabilidade, é saber andar em equilíbrio.

 

Emoções que podem causar doenças segundo a medicina chinesa
Com base na perspectiva da medicina chinesa, estas são algumas emoções que podem estar nos indicando alguma doença ou dificuldade:

 Tristeza ou Pena.
Tem origem na decepção ou, com mais gravidade, na separação ou na perda. Afeta principalmente os pulmões. A tristeza afeta todo o corpo e provoca aflição, falta de ânimo, cansaço e depressão. É preciso tempo para aceitar e expressar a tristeza.

Precaução.
Surge da insegurança e costuma debilitar o baço. A precaução está relacionada com doenças no peito e nos ombros.

Medo.
O medo se associa aos rins, afetando a boca do estômago e se relacionando com a deficiência renal. Estas alterações provêm da propensão de sofrer medos irracionais. O medo não aceito se transfere causando problemas no fígado e no coração.

Pânico.
Este se parece com o medo, mas é mais extremo, está associado a problemas físicos e emocionais. O pânico pode implicar perda de memória, desorientação, palpitação, vertigem, tremores, suor e desmaios.

Ira
.
Pode assumir varias formas, como a irritabilidade, a frustração, a inveja e a raiva. A ira se transforma em dores de cabeça, pescoço, em vertigem, e especialmente em doenças hepáticas.

 

    Aquele que vive em harmonia consigo mesmo vive em harmonia com o universo.
    -Marco Aurélio-

 

O significado emocional das doenças

É importante conhecer o significado das doenças porque esta é uma das formas através das quais o corpo se expressa. Todas as nossas emoções e pensamentos são registrados nas células e as doenças são um grito que indica que alguma coisa não anda bem.

A seguinte compilação é um resumo do significado de algumas das doenças mais comuns. Todas elas estão baseadas na medicina holística, tanto na medicina tradicional chinesa como em outras práticas orientais complementares.

 

Alergias.
O seu significado indica temor profundo. Temor de se despojar das ajudas quando é preciso ser autossuficiente, procurando obter compaixão, apoio e atenção dos outros.

Depressão.
O significado está no conflito entre o ideal e o real, entre quem somos e quem queremos ser e entre o que temos e o que queremos ter

Artrite.
Sentir-se incapaz de se adaptar e ser flexível mentalmente. É interpretado como a falta de confiança e uma atitude intransigente diante da vida.

Obesidade.
O seu significado está no vazio interior, recorre-se à comida para compensá-lo. Temor de se expor diante dos outros e de ser vulnerável e suscetível a se machucar.

Nervosismo.
Falta de contato com o próprio eu interior. Egocentrismo, tudo é visto a partir de um ponto de vista subjetivo. Viver inseguro com medo de ser atacado e incapacidade de se desfazer das atitudes egoístas.

 

As emoções podem desencadear ou acentuar uma doença, mas elas também podem transformar a situação e favorecer a saúde.

Para que isto aconteça, basta saber reconhecer as emoções que causam desequilíbrios nos nossos corpos e transformá-las. A medicina oriental dá uma importância especial ao autoconhecimento das emoções, uma coisa que a psicologia ocidental está começando a considerar. O fato de que isto esteja ganhando importância tem a ver com a ideia de que um tratamento completo e que ataque o problema a partir de diferentes perspectivas tem maiores probabilidades de ser eficaz.

 

“A tensão é quem você acredita que deveria ser. O relaxamento é quem você é.”
-Provérbio Chinês-

 

………………………….
*Fonte: amenteemaravilhosa

corpo2


7 Graves efeitos de não dormir o suficiente

A falta de sono pode fazer com que aumentem os níveis de hormônios que regulam o apetite e com que seja mais difícil obter uma sensação de saciedade, o que pode causar o ganho de peso.

***

Sabemos que, quando não dormimos bem, nos sentimos cansados, lentos e com dificuldade de concentração no dia seguinte. Além disso, também costumamos observar uma queda significativa na nossa produtividade. Entretanto, não dormir o suficiente pode causar vários outros efeitos em nosso organismo, que podem prejudicar seriamente a nossa saúde.

Uma noite mal dormida não vai causar grandes mudanças, mas estudos mostram que sete dias seguidos dormindo pouco (cerca de 6 horas ou menos de sono) já podem desencadear mudanças genéticas que aumentam o risco de desenvolvimento de algumas doenças.

A seguir, vamos falar sobre 7 dos principais efeitos graves que podem ser causados pela falta de sono. Para evitá-los, tente dormir entre 7 e 9 horas por noite, e se não conseguir dormir bem em um dia, compense no dia seguinte sempre que possível,  ou então nos finais de semana.

 

>> Os perigos de não dormir o suficiente

 

1. Aumento do risco de sofrer um derrame

O risco de derrame está associado a fatores genéticos e à obesidade, mas também pode ser influenciado pela falta de sono. Um estudo recente mostrou que pessoas que dormem menos de 6 horas por noite regularmente possuem um risco 4 vezes maior de sofrer com os sintomas de um derrame. Isso provavelmente ocorre, pois dormir pouco pode aumentar a pressão sanguínea e contribuir para a obesidade, dois fatores de risco para o derrame.

 

2. Aumento do risco de diabetes

A falta de sono pode ser um dos fatores determinantes para o risco de desenvolver o diabetes do tipo II. Isso ocorre, pois esta condição aumenta a resistência à insulina, fazendo com que o organismo não consiga usá-la de forma adequada. Além disso, quando estamos cansados e com sono, temos uma tendência a comer mais, principalmente alimentos ricos em açúcar que podem aumentar seu nível no sangue.

 

3. Aumenta o risco de doenças cardíacas

O sono possui um papel crucial na habilidade do organismo de reparar e curar as artérias e o coração. Com isso, as noites mal dormidas aumentam o risco de desenvolvermos doenças cardiovasculares crônicas, já que podem ser produzidos mais hormônios e substâncias químicas que levam ao incremento da pressão arterial.

Um estudo observou inclusive que, no caso de pessoas que sofrem com a hipertensão, uma noite sem dormir o suficiente pode causar um aumento relevante na pressão durante todo o dia seguinte.

 

4. Pode levar à obesidade

Foram encontradas evidências de que a falta de sono pode causar alterações hormonais que influenciam nossas escolhas alimentares, podendo nos direcionar no caminho do sobrepeso e da obesidade. Dormir 6 horas ou menos por noite aumenta a produção do hormônio grelina, que é responsável pela nossa sensação de fome, e diminui a produção de leptina, o hormônio da saciedade. Com mais fome e nos sentindo menos satisfeitos, temos uma tendência muito maior a comer mais e ganhar peso com o tempo.

 

5. Reduz os níveis de imunidade

Quando estamos dormindo, o sistema imunológico produz anticorpos que protegem nosso organismo e lutam contra infecções, vírus e bactérias. Dessa forma, se dormimos mal, não daremos ao corpo a chance de se fortalecer, e ficaremos mais suscetíveis a sofrer com este tipo de problema. Também teremos menos energia para nos recuperarmos quando efetivamente contrairmos alguma doença.

 

6. Aumenta o risco de câncer

Alguns estudos vêm investigando a relação entre o câncer e o sono. Foram encontradas evidências de que não dormir o suficiente pode aumentar o risco de alguns tipos desta terrível doença, como o câncer colorretal, já que os pólipos costumam aparecer com mais frequência em pessoas que dormem menos de 6 horas por noite regularmente.

Também foram encontradas possíveis associações da falta de sono com o risco de desenvolvimento do câncer de mama.

 

7. Reduz a longevidade

Pode até parecer um pouco radical, mas um estudo relacionando a mortalidade e as horas de sono dormidas por noite identificou que, em média, pessoas que dormem pouco (menos de 6 horas por dia) costumam morrer antes do que quem dorme cerca de 7 horas por noite, independentemente de qual for a causa. Este último efeito devastador provavelmente está muito relacionado com o fato de que a falta de sono aumenta o risco de diversas doenças, e pode causar todos os efeitos terríveis que listamos anteriormente.

Por isso, a partir de hoje, dedique um esforço extra para dormir bem durante a noite, já que estas horas extras de sono podem ser fundamentais para a saúde e o bem estar físico e mental.

 

…………………..
*Fonte: osegredo

faltadesono


A cerveja emagrece reduz o colesterol e previne alzheimer

Será que apenas o vinho está na lista das bebidas que fazem bem à nossa saúde? Parece que não! De acordo com pesquisas efetuadas por profissionais de saúde e investigadores em diferentes partes do mundo, chegou-se a uma conclusão, a cerveja emagrece! Mas não fica só por aí.

Pode reduzir níveis de colesterol, prevenir o Alzheimer e combater a gripe.

A seguir, vê os bons motivos para beber cerveja moderadamente e sem culpa. Sempre ouvimos falar que a cerveja aumenta a barriga. No entanto, um estudo espanhol vai na contra-mão dessa premissa: beber cerveja diariamente evitaria o ganho de peso, além de prevenir diabetes, hipertensão arterial e problemas cardíacos. Mas antes que os fãs da ‘gelada’ se empolguem e corram para o bar mais próximo, os pesquisadores da Universidade de Barcelona afirmam que os benefícios são garantidos com o consumo de apenas uma caneca por dia.

“Conseguimos banir alguns mitos. Sabemos que a cerveja não é a culpada pela obesidade, já que tem cerca de 200 calorias por caneca, o mesmo que um café com leite integral”, destaca a médica Rosa Lamuela, uma das responsáveis pela pesquisa feita com 1.249 homens e mulheres acima de 57 anos.

O estudo ainda revela que o que engorda, na verdade, são os petiscos gordurosos que costumam acompanhar a cerveja, como salgados e fritos.

Para o endocrinologista Carlos Vilaça, a pesquisa reforça os benefícios da bebida à base de cevada e com baixa graduação alcoólica. “A cerveja tem baixo índice glicémico e é constituída de elementos poderosos, como antioxidantes, ácido fólico, ferro, minerais e vitaminas, que previnem ocorrência de doenças cardiovasculares, melhora índices do bom colesterol e previnem pedras nos rins, por estimular o fluxo urinário”, explica o médico. Mas especialistas destacam que o hábito moderado de tomar cerveja deve estar associado a dieta saudável e exercícios físicos regulares.

Combate a gripe: Acreditas que a cerveja possa afectar o sistema imunológico? Um estudo japonês publicado na revista científica Medical Molecular Morphology comprova exactamente o contrário. De acordo com os cientistas, o lúpulo presente na cerveja possui propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, capazes de inibir a multiplicação do vírus respiratório, contribuindo também para a prevenção da pneumonia. Evita o cálculo renal Você já ouviu falar que cerveja é diurético, certo? De acordo com um estudo finlandês, a cerveja pode reduzir em 40% os riscos de desenvolver pedras nos rins. Mas é preciso beber com moderação para obter os benefícios. Em excesso, a cerveja pode ser responsável por agravar o quadro. Segundo os pesquisadores, as mulheres devem consumir até uma lata da bebida. Já para os homens, o ideal é consumir até duas latas por dia.

Ajuda a tratar insónia e outros distúrbios do sono: De acordo com pesquisa da University of Extremadura, na Espanha, o efeito sedativo da cerveja pode ser ideal para o tratamento de insónia e distúrbios associados ao sono. O lúpulo presente na bebida aumenta a actividade do neurotransmissor GABA, substância que apresenta efeito sedativo e diminui a acção do sistema nervoso, preparando o organismo para um sono tranquilo. Para os cientistas, não é preciso exagerar no número de latas para obter o efeito, basta seguir a recomendação de uma lata diária para as mulheres e duas para homens.

Previne o surgimento de doenças cardiovasculares: Um estudo holandês, publicado na revista científica The Lancet, constatou que pessoas que bebem cerveja regularmente apresentam taxas de vitamina B6 cerca de 30% mais altas quando comparadas a exames de outros que não costumam consumir a bebida. Quando os níveis são comparados a pessoas que bebem vinho com frequência, a concentração da vitamina chega a ser duas vezes mais elevada. A vitamina B6 é responsável por ajudar a eliminar a homocisteína, substância que, em excesso contribuir para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Uma Pesquisa do Centro de Pesquisa Cardiovascular de Barcelona, na Espanha, demonstrou que a cerveja possui efeito protector do sistema cardiovascular, reduzindo a cicatriz no coração provocada por um enfarte agudo do miocárdio.

Ajuda a controlar o colesterol: A cerveja, em especial a versão escura, conta com um grama de fibra solúvel a cada garrafa. As fibras são responsáveis por reduzir os níveis de colesterol LDL, reduzindo o risco de doenças cardiovasculares. Dá um up no sistema imunológico. De acordo com um estudo publicado na revista científica Annals of Nutrition and Metabolism, o consumo moderado de cerveja traz benefícios para o sistema imunológico, tornando o organismo mais resistente a algumas infecções. Os resultados da pesquisa apontaram que, após um mês, o consumo diário de uma lata de cerveja para mulheres e duas para homens é capaz de aumentar a concentração de células de defesa do sistema imune, elevando a produção de anticorpos. Proporciona ossos fortes Um estudo do Kings College, em Londres, comprovou que a cerveja pode beneficiar a saúde dos ossos e do tecido conjuntivo. O silício, presente na bebida, ajuda a melhorar a densidade óssea. Já segundo pesquisadores da Universidade da Califórnia, a substância, encontrada no grão da cevada, é mais abundante nas cervejas do tipo ales e nas lagers. Por outro lado, o processo de torra dos grãos de cevada reduz a concentração da substância nas cervejas escuras. As versões de trigo também apresentam taxas reduzidas de silício.

Previne o desenvolvimento de Alzheimer: Um grupo de cientistas da Universidade de Loyola, nos Estados Unidos, revisou de 34 estudos que relacionam o consumo de álcool e problemas cognitivos, totalizando 365 mil voluntários analisados. Os resultados apontaram que aqueles que bebem cerveja moderadamente apresentam risco 23% menor de desenvolver Alzheimer e doenças semelhantes, quando comparados a pessoas que nunca consomem a bebida.

Lembramos que o comparativo da pesquisa não exprime algum tipo de ideologia ou apologia a tal tema de responsabilidade do site, estamos apenas reproduzindo um conhecimento científico.

…………………….
*Fonte: tacerto

beer-time-wallpaper


Análise mostra que bebida alcoólica pode causar 7 tipos de câncer

A pesquisa sugere que a bebida provoca a doença em diversas partes do corpo, como garganta, laringe, esôfago, cólon, intestino e mamas; incluindo o mais conhecido da população que é o câncer de fígado. Os pesquisadores ainda não sabem explicar a associação da utilização da bebida com o surgimento da doença.

Para chegar a esta conclusão, a pesquisadora-chefe Jennie Connor, da Universidade de Otago, na Nova Zelândia, analisou os principais estudos de câncer relacionados ao álcool, para examinar as ligações entre eles. No final, a pesquisadora descobriu que a quantidade de álcool tem uma relação com o surgimento da doença, ou seja, quanto mais uma pessoa bebe, mais chances ela tem de desenvolver certos tipos de câncer.

A mais forte destas ligações foi com o câncer de boca. De acordo com Connor, beber 50 gramas de álcool por dia pode aumentar os riscos de uma pessoa ter câncer de boca em até sete vezes, se comparada a alguém que não bebe.

Porém, o Instituto Nacional sobre Abuso de Álcool e Alcoolismo diz que uma bebida convencional – algo como uma cerveja ou um vinho normal – tem em média 14 gramas de álcool. O que significa que para chegar a esse nível de risco, uma pessoa teria que beber quatro latinhas por dia, no caso da cerveja. Já na opinião da pesquisadora, níveis menores de bebida já podem aumentar as chances de desenvolver a doença.

Outros pesquisadores se opõem à ideia de Connor, como, por exemplo, Susannah Brown, o gerente de programa de Ciência para o Fundo Mundial de Câncer, que relatou à New Scientist: “Nós vemos um risco maior à medida que a quantidade de álcool consumido aumenta, e nós concordamos que não há evidência sólida para concluir que o consumo de álcool provoca diretamente o câncer.”

Apesar das variadas conclusões sobre o estudo, ninguém confirmou haver uma ligação categórica entre o câncer e o álcool. Uma das hipóteses mais populares é que o álcool pode danificar o DNA, levando a mutações que possibilitam a formação de células cancerosas.

Enquanto essas novas descobertas não se concretizam, não é possível determinar quais as recomendações adequadas à saúde

…………………………
*Fonte: jornalciencia


Cientistas confirmam: álcool funciona mesmo como antidepressivo

Para muita gente, vai soar como a notícia mais velha do mundo: álcool afoga a tristeza. Mas só agora surgiu uma comprovação científica de que isso funciona, e como funciona.

Um estudo da Wake Forest School of Medicine acaba de provar que o álcool funciona como antidepressivos de ação rápida, remédios como a ketamina.

Em testes com animais, os cientistas observaram as mesmas mudanças na química cerebral e as mesmas reações dos neurônios em contato com álcool ou com medicamentos. Mais precisamente, o álcool e a ketamina mudam indiretamente a ação do neurotransmissor GABA, de inibidor para estimulante de atividade cerebral.

Obviamente, entornar não substitui uma visita ao psiquiatra. Da ressaca à cirrose e acidentes de trânsito, o álcool bate de longe os remédios vendidos na farmácia em efeitos colaterais. Mas isso explica, segundo os cientistas, porque pessoas com depressão se tornam alcoólatras. Não é que eles gostem particularmente de ficar de porre: estão se automedicando. O que não é engraçado, mas triste.

A autora do estudo, Kimberly Raab-Graham, deixa claro: “existe definitivamente um perigo em se automedicar com álcool. Há uma linha bem fina entre ele ajudar ou prejudicar, e, em certo ponto, o uso repetido de automedicação se torna vício”.

Se você tem depressão ou, pior ainda, tem depressão e anda bebendo demais, procure ajuda médica.

……………………..
*Fonte: superinteressante

drinkremedio