Obras científicas inestimáveis de Stephen Hawking serão preservadas em um arquivo especial

O legado de uma das estrelas mais brilhantes do campo da física foi garantido.

Cerca de 10.000 páginas dos ensaios e estudos do lendário físico teórico Stephen Hawking serão preservadas em um arquivo especial da Biblioteca da Universidade de Cambridge, no Reino Unido. Isso incluirá um projeto de digitalização, a ser disponibilizado gratuitamente online.

Além disso, o escritório e itens pessoais de Hawking foram adquiridos pelo Museu da Ciência do Reino Unido.

As duas aquisições foram feitas como parte de um acordo financeiro, no qual os herdeiros de uma propriedade podem compensar seu imposto sobre herança doando itens significativos para o país. Nesse caso, os estudos foram avaliados em £ 2,8 milhões (quase R$ 20,5 milhões) e o escritório em £ 1,4 milhão.

Claro, essas quantias são amplamente excedidas pelo valor cultural inestimável do trabalho do professor Hawking. Nenhum cientista opera no vácuo, mas Hawking é amplamente considerado uma das maiores mentes científicas da história.

Ter acesso a seus documentos pessoais – incluindo um primeiro rascunho de seu livro de ciência popular, Uma Breve História do Tempo – nos dá um vislumbre íntimo de como essa mente surpreendente funcionava.

Rascunho original da primeira página do primeiro capítulo do livro Uma Breve História do Tempo. Crédito: Universidade de Cambridge.
“O arquivo nos permite entrar na mente de Stephen e viajar com ele pelo cosmos para, como ele disse, ‘entender melhor nosso lugar no Universo’”, disse a bibliotecária da Universidade de Cambridge, Jessica Gardner.

“Ele dá uma visão extraordinária sobre a evolução da vida científica de Stephen, desde a infância até o estudante de pesquisa, desde ativista da prevenção a deficiência e da proteção dos direitos das pessoas com deficiência até o cientista mundialmente renomado”.

A coleção de itens pessoais, a ser abrigada no Museu da Ciência, inclui sintetizadores de voz, seis cadeiras de rodas personalizadas, livros de referência, memorabilia de Star Trek e uma jaqueta de remo que um jovem Hawking estava usando quando caiu em um rio (na época em que estava sendo acometido pela doença).

O Museu da Ciência planeja colocar alguns desses itens em exibição e, eventualmente, reconstruir o escritório do jeito que Hawking usava.

“Ao preservar o escritório de Hawking e seu conteúdo histórico como parte da Coleção do Grupo do Museu da Ciência, as gerações futuras poderão mergulhar a fundo no mundo de um físico teórico líder mundial que desafiou as leis da medicina para reescrever as leis da física e tocar o coração de milhões”, disse Sir Ian Blatchford, diretor do Grupo do Museu da Ciência.

Um quadro negro no antigo departamento do professor Hawking. Crédito: Universidade de Cambridge.
A papelada inclui correspondências, rascunhos de ensaios e estudos científicos, fotografias de Hawking com figuras notáveis ​​e roteiros de Os Simpsons (no qual Hawking atuou como ator convidado quatro vezes).

Ela ficará guardada ao lado dos arquivos de Isaac Newton e Charles Darwin, cujo entre os túmulos as cinzas de Hawking foram enterradas, após sua morte aos 76 anos de idade em 2018.

“Nossa esperança é que a carreira científica de nosso pai continue a inspirar gerações de futuros cientistas a encontrar novas perspectivas sobre a natureza do universo, com base no trabalho notável que ele produziu em sua vida”, disseram os filhos de Hawking, Lucy, Tim e Robert, em um comunicado.

“Por décadas, nosso pai fez parte da trama da vida na Universidade de Cambridge e foi um membro notável do Museu da Ciência, então parece certo que essas relações, tão queridas para ele e para nós, continuarão por muitos anos mais”.

Quem sabe o que as gerações futuras conseguirão alcançar ficando em pé nos ombros deste gigante.
*site da Universidade de Cambridge.

*Por Michelle Starr / Publicado na ScienceAlert
………………………………………………………………………………………………………..
*Fonte: universoracionalista

Stephen Hawking: Ganância e estupidez são o que acabará com a raça humana

O físico e cosmólogo de renome mundial, Stephen Hawking (1942-2018) deixou para trás uma trilha de citações famosas, palavras sábias e ditados inspiradores antes de sua morte.

Em 2016, durante uma entrevista com Larry King, do programa de entrevistas Larry King Now , Hawking disse que a humanidade sempre foi seu maior problema. Estamos conscientemente nos aproximando demais de um momento em que as mudanças climáticas seriam irreversíveis e, infelizmente, não há avanços à vista.

“Certamente não nos tornamos menos gananciosos ou menos estúpidos”, disse Hawking. “ Seis anos atrás eu estava preocupado com poluição e superlotação. Isso piorou desde então. A população cresceu meio bilhão desde a nossa última reunião [seis anos antes], sem fim à vista. Nesse ritmo, serão onze bilhões até 2100.

Em outra entrevista à BBC , Hawking disse: “Estamos perto do ponto crítico em que o aquecimento global se torna irreversível. A ação de Trump poderia levar a Terra à beira do abismo, para se tornar como Vênus, com uma temperatura de duzentos e cinquenta graus e chovendo ácido sulfúrico. ”…

“A mudança climática é um dos grandes perigos que enfrentamos e podemos evitar se agirmos agora.”

Realocação interplanetária como a única solução plausível

Embora ainda possa haver uma chance de salvar a Terra, Hawking estava convencido de que a humanidade nunca veria razões para tomar ações sólidas, unidas e bem direcionadas. Nas suas palavras, “[…] a evolução incorporou ganância e agressão ao genoma humano. Não há sinal de diminuição de conflitos, e o desenvolvimento de tecnologia militarizada e armas de destruição em massa pode tornar isso desastroso. ”

A única maneira de preservar nossa espécie seria garantir algum tipo de planeta reserva por um tempo em que a Terra se tornasse completamente habitável.

“A melhor esperança para a sobrevivência da raça humana pode ser colônias independentes no espaço.”

Sobre poluição e abuso de IA

Hawking mencionou que a poluição do ar estava ficando rapidamente fora de controle, pois a curva de crescimento havia subido constantemente nos últimos cinco anos.

” A poluição do ar aumentou nos últimos cinco anos” , disse ele. ” Mais de 80% dos habitantes das áreas urbanas estão expostos a níveis inseguros de poluição do ar”.

A poluição do ar é o maior contribuinte para o clima. Hoje, a principal causa da poluição do ar é a combustão de combustíveis fósseis, um subproduto da industrialização e, como a humanidade a governou, não há como voltar atrás dos avanços da era moderna.

Hawking também discutiu a inteligência artificial com King, afirmando que os governos mundiais estão se envolvendo perigosamente em ” uma corrida armamentista da IA”.

“Pode ser difícil parar uma IA desonesta ” , disse o físico. ” Precisamos garantir que a IA seja projetada eticamente com as salvaguardas em vigor”.

A inteligência artificial tem muitos benefícios, mas quando usada para cumprir a agenda errada, pode se tornar uma ferramenta de invasão e destruição em massa.

De acordo com a pesquisadora Kate Crawford em 2017, “Assim como estamos vendo uma função de etapa aumentar na disseminação da IA, algo mais está acontecendo: a ascensão do ultra-nacionalismo, autoritarismo de direita e fascismo “, disse ela ao The Guardian

Stephen Hawking (QI-162 estimado) era mais conhecido por suas contribuições aos campos da cosmologia, relatividade geral e gravidade quântica, especialmente no contexto de buracos negros . O cientista formado em Cambridge e Oxford foi diagnosticado com uma forma de progressão lenta da esclerose lateral amiotrófica ou da doença de Lou Gehrig, uma doença da motoneurona que o deixou paralisado por grande parte de sua vida.

Ele causou um impacto permanente no mundo da ciência e da física, deixando inúmeros livros de autoria e citações inspiradoras em seu nome.

……………………………………………………………………….
*Fonte: pensarcontemporaneo

As três coisas que vão destruir a humanidade, segundo Stephen Hawking

Stephen Hawking é um gênio astrofísico mundialmente conhecido por seus estudos sobre os buracos negros e a relatividade. O britânico padece de uma terrível enfermidade degenerativa desde os 21 anos.

Além do filme “A Teoria de Tudo”, que rendeu o Oscar de Melhor Ator a Eddie Redmayne, que o interpretou, o físico é conhecido por suas declarações sobre o futuro da humanidade.

Stephen Hawking sempre teve posições polêmicas sobre a fé religiosa e a existência de Deus.

Em setembro de 2014, ele declarou uma posição dúbia sobre o assunto: disse não afirmar, nem negar, a existência de Deus, porque tudo que tem a ver com fé religiosa é inerentemente desconhecido para o ser humano.

Isso não quer dizer que ele tenha deixado de ser ateu. Em entrevista ao jornal espanhol El Mundo, Hawking afirmou: “Não há nenhum Deus. Sou ateu. A religião crê em milagres, mas eles são incompatíveis com a ciência”.

Três coisas que vão acabar com a humanidade

Apesar das polêmicas declarações sobre a existência de Deus, Stephen Hawking sempre sustentou que, afinal de contas, cada um tem o direito de crer no que quiser.

Ele não acredita que a religião vá destruir o mundo. Segundo Hawking, temos que tomar cuidado com:

Inteligência artificial

A possibilidade de que as máquinas substituam os homens têm sido o tema favorito da ficção científica nas últimas décadas do século XX.

Houveram grandes detratores dessa possibilidade, e um dos mais ferrenhos é Stephen Hawking. Ele acredita que o desenvolvimento da inteligência artificial é um perigo potencial à humanidade.

Seu principal argumento é: a evolução humana é muito mais lenta que a evolução da tecnologia e é provável que as máquinas alcancem o domínio completo da humanidade.

Vida extraterrestre

“Se alguma vez os aliens nos visitarem, acredito que o resultado seja parecido como quando Cristóvão Colombo desembarcou pela primeira vez na América, que resultou em algo nada bom para os nativos”, disse Hawking em uma entrevista ao “The Times”, de Londres.

Segundo o britânico, o encontro com extraterrestres não seria nada amistoso. Ele também disse que possivelmente estaríamos em desvantagem, porque pode ser que nos deparemos com uma civilização milhões de vezes mais avançada que a nossa, que poderia rapidamente nos dominar e nos levar à ruína.

Agressão dos homens

Segundo Hawking, a agressividade é uma característica do homem que pode ter sido útil em outras eras, mas agora é perigosa a ponto de poder acabar com a humanidade.

Um dos maiores riscos disso é de uma guerra nuclear, que poderia aniquilar grande parte da população mundial.

Ou seja, se não forem as máquinas nem os aliens, nós mesmos iremos nos matar. Mesmo polêmico, Stephen Hawking, sem dúvida, está certo. Não acha?

*Por Thiago Ferreira

……………………………………………………………
*Fonte: vix

Antes de morrer, Stephen Hawking revelou notícias terríveis sobre a Terra

As previsões sobre o fim do mundo vêm de todas as partes: astecas, Testemunhas de Jeová e fanáticos do apocalipse de vários cantos do mundo. Com tantas previsões chegando a todo instante fica difícil levar tudo isso a sério. Alguém se lembra do 21 de dezembro de 2012? Esse foi o dia em que foi finalizado o calendário maia. Neste dia gastei toneladas de dinheiro em comida, vi meu filme favorito e disse a todos os meus amigos e familiares o quanto os amava, por precaução. Para minha surpresa, acordei na manhã do dia 22 de dezembro com uma torre de pratos sujos e a conta bancária vazia…

Meu primeiro erro foi colocar tanta fé em uma civilização antiga, mas é melhor prevenir do que se arrepender. No entanto, a pergunta continua sendo: se alguém lhe diz que o mundo vai acabar, você acredita? Eu acho que tudo depende da credibilidade da fonte. Mas desde que Stephen Hawking entrou na conversa, talvez seja o momento de começar a entrar em pânico. O físico teórico, cosmólogo e gênio, antes de sua morte, determinou uma data de expiração do nosso amado planeta Terra.

Nossos dias na terra estão contados, de acordo com o professor Stephen Hawking.

O físico de fama mundial emitiu previamente algumas advertências para o mundo alegando que os robôs poderão pôr fim à humanidade e que abandonar a Terra é a nossa única esperança. Agora, em um novo livro, intitulado “Como fazer uma nave espacial”, o físico alertou que o nosso planeta está se tornando um lugar perigoso devido às inúmeras ameaças de guerra e doenças.

O livro, escrito pelo jornalista Julian Guthrie, contém um posposição do físico. O professor descreveu seus pontos de vista sobre o futuro das viagens espaciais.

“Eu acho que a vida na Terra corre um risco cada vez maior de ser destruída por uma catástrofe, como uma súbita guerra nuclear, um vírus geneticamente modificado ou outros perigos”, disse ele. “Acredito que a raça humana não terá um futuro se não formos para o espaço”. Hawking fez alguns comentários semelhantes no início do ano passado, durante a gravação das conferências anuais de 7 de Janeiro.

Quando perguntado sobre como seria o final do mundo, supostamente, Hawking disse que cada vez mais a maioria das ameaças que a humanidade enfrenta vem do progresso da tecnologia. O cientista, aos 74 anos, disse que as ameaças incluem uma guerra nuclear, um aquecimento global catastrófico e alguns vírus geneticamente modificados.

“Não vamos parar de progredir, mas devemos reconhecer os perigos e controlá-los”. Para evitar todas estas ameaças, a humanidade teria que colonizar outros planetas, que, segundo suas palavras, levaria mais de um século.

“Não vamos estabelecer colônias autossustentáveis no espaço, pelo menos até os próximos cem anos, por isso temos que ter muito cuidado durante este período”, disse Hawking. As pesquisas sobre o envio de seres humanos ao espaço ainda são bastante intensas. Recentemente, o Senado dos Estados Unidos apresentou um projeto de lei bipartidário que autoriza um novo orçamento de 19,5 milhões de dólares para que a NASA envie uma tripulação ao planeta vermelho, Marte, algo que poderia ocorrer durante os próximos 25 anos.

O professor Hawking também já explicou anteriormente o risco de que a inteligência artificial seja poderosa o suficiente para causar a queda da humanidade. Em julho, o professor e o fundador da marca Tesla, Elon Musk, levaram até 1.000 especialistas em robótica, uma carta aberta, alertando que “armas autônomas se transformarão nos Kalashnikov de amanhã. A sobrevivência da civilização humana será muito mais provável se formos uma espécie multi planetária, em comparação a uma espécie de um único planeta”.

“Se formos uma espécie de um único planeta, acontecerá algum evento de extinção de maneira progressiva”, disse Musk. Sua empresa SpaceX está trabalhando para enviar seres humanos ao espaço. Recentemente, a empresa, em dados concretos, lançou um dos seus novos motores de transporte interplanetário, o “Raptor”, e irá utilizá-lo provavelmente para levar astronautas a Marte. O motor do foguete é três vezes mais potente do que os modelos Falcon 9. Em última análise, será utilizado para lançar a nave espacial tripulada para fora do nosso planeta.

Quando o empresário milionário, Elon Musk, fundou a SpaceX, em 2002, colocou o seu olhar no objetivo final de colonizar Marte. Mas agora, o ambicioso fundador da empresa insinuou que pode ter outros planos mais audazes que vão muito além do planeta vermelho. Ele disse que o veículo que sua empresa tem desenvolvido para levar seres humanos a Marte também poderia ser utilizado para transportar astronautas além do sistema solar. O que você acha?

No passado, Musk foi muito reservado sobre seus planos para a SpaceX, mas no final deste mês apresentará parte de sua visão para a empresa no Congresso Internacional de Astronáutica, em Guadalajara, México. Será verdade tudo o que Hawking prevê? Pelo andar da carruagem, não é de se estranhar que a Terra esteja cada vez pior, com uma contaminação generalizada em ascensão, imensos desmatamentos florestais e aumento da substituição da mão de obra humana por máquinas. Ocorrerá uma guerra contra as máquinas, no mais puro estilo Skynet, de “O Exterminador do Futuro”?

…………………………………………………………
*Fonte: paraoscuriosos

Morre hoje, na data de nascimento de Einstein, o cosmólogo Stephen Hawking

O reconhecido cosmólogo britânico Stephen Hawking morreu nesta quarta-feira, aos 76 anos, anunciou sua família em um comunicado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Estamos profundamente tristes porque nosso querido pai faleceu hoje”, declararam os filhos do cosmólogo, Lucy Robert e Tim, em um comunicado publicado pela agência britânica Press Association.

“Foi um grande cientista e um homem extraordinário, cujo trabalho e legado perdurarão por muitos anos”.

História

Hawking nasceu em 8 de janeiro de 1942 em Oxford, na Inglaterra, 300 anos após a morte de Galileu. Quando fez 8 anos de idade, se mudou para St. Albans, cidade localizada a cerca de 30 km de Londres, na Inglaterra.

Um dos mais conhecidos cientistas do mundo, estudou na University College, de Oxford, que também foi a faculdade de seu pai. Stephen queria estudar matemática, enquanto sua família o queria estudante de medicina. Como matemática não estava disponível na grade da universidade, ele escolheu física e se formou em 1962.

Três anos depois, o físico recebeu sua primeira premiação na classe licenciatura em Ciências Naturais – ao longo de sua carreira, recebeu 15 medalhas e prêmios. Ele saiu de Oxford e foi para Cambridge fazer uma pesquisa na área de cosmologia, já que não havia essa área na universidade em que estudava.

Hoje, é doutor em cosmologia. Foi professor de matemática na Universidade de Cambridge, onde é professor lucasiano emérito – mesmo cargo ocupado por grandes cientistas como Charles Babbage, Isaac Newton e Paul Dirac. Ele também é diretor do Departamento de Matemática Aplicada e Física Teórica da mesma universidade. Suas principais áreas de especialidade são cosmologia teórica e gravidade quântica.

Hawking também é autor de 14 livros, entre eles “O universo em uma casca de noz” e “Uma nova história do tempo”. Em 2014, sua história de vida foi contada no filme “A teoria de tudo”, vencedor de um Oscar.

Descanse em Paz!

 

…………………………………………………………
*Fonte: universoracionalista

Stephen Hawking alerta: nosso tempo como espécie dominante no planeta está acabando

O famoso físico Stephen Hawking afirmou mais uma vez seu receio de que seja apenas uma questão de tempo até que a humanidade precise fugir da Terra em busca de um novo lar.

Em uma entrevista recente concedida ao portal Wired, Haking ponderou que a sobrevivência da humanidade dependerá da nossa capacidade de se tornar uma espécie multiplanetária.

Por quê?

Por conta da população crescente e ameaça iminente que o desenvolvimento da inteligência artificial (IA) representa. “O gênio está fora da garrafa”, Hawking disse à Wired.

Desgraça com mais desgraça

Essa não é a primeira vez que o físico faz previsões sombrias sobre o destino da Terra, ou adverte que a IA pode tornar-se tão perigosa a ponto de substituir a humanidade.

Em entrevista realizada em março com o The Times, o cientista afirmou ainda que um apocalipse IA estava para acontecer, e que a criação de “alguma forma de governo mundial” seria necessária para controlar a tecnologia.

Também já advertiu sobre o impacto que a IA teria em empregos de classe média e até pediu uma proibição definitiva sobre o desenvolvimento de agentes de IA para uso militar.

Hawking está exagerando?

Talvez não.

É possível argumentar, com bastante razão, que máquinas inteligentes já estão acabando com muitos empregos. Não estamos falando apenas de funções automatizadas na grande indústria – robôs já estão realizando tarefas especializadas até mesmo em hospitais, e costurando roupas mais rápido que humanos. Um estudo, inclusive, estimou que 47% dos empregos vão desaparecer nos próximos 20 anos.

Além disso, vários países – incluindo os EUA e a Rússia, envolvidos agora em uma tensão política – estão pesquisando armas IA para uso militar.

Por fim, e mais assustadoramente ainda, uma IA bastante avançada – mas que já chegou a concordar automaticamente com a noção de destruir a humanidade – se tornou o primeiro robô a ganhar cidadania.

Medo justificado

O desenvolvimento da IA é um tópico que já foi debatido por outros especialistas além de Hawking, como Elon Musk, CEO da SpaceX e Tesla, e Bill Gates, cofundador da Microsoft.

Tanto Musk quanto Gates concordam com o físico no potencial da IA de extinguir a humanidade.

Ainda que existam pesquisadores que não acreditem em um cenário apocalíptico, inclusive argumentando que tais preocupações são desgastantes e distorcem a percepção pública da IA, Hawking defende que os receios são válidos.

“Se as pessoas projetam vírus de computador, alguém irá projetar uma IA capaz de evoluir e se replicar”, disse ao Wired. “Esta será uma nova forma de vida que superará os humanos”.

Certamente, uma IA inteligente o suficiente para pensar melhor e mais rápido do que os humanos seria capaz de ameaçar nossa espécie – o que chamamos de singularidade tecnológica.

Preparação

Uma vez que diversos cientistas estão trabalhando com inteligência artificial em todo o planeta, é inevitável supor que, mais cedo ou mais tarde, uma tragédia pode acontecer.

O palpite de Hawking é que, em algum momento dentro do prazo de 1.000 anos, a humanidade vai precisar sair da Terra de qualquer forma.

O físico pode estar errado, no entanto. Não sabemos exatamente como (e se) tal singularidade tecnológica será, e, em vez de causar a destruição da humanidade, ela poderia inaugurar uma nova era de colaboração entre seres vivos e máquinas.

Em ambos os casos, contudo, o potencial da IA para ser usada tanto para o bem quanto para o mal exige que tomemos as precauções necessárias. [ScienceAlert]

 

 

 

 

……………………………………………………
*Fonte: hypescience

Novo alerta de Hawking é assustador: ”Estamos vivendo o momento mais perigoso da história”

A ascensão do novo nacionalismo em todo o mundo e a votação do Brexit da Grã-Bretanha tende a ser “o momento mais perigoso na história da raça humana”, segundo o físico Stephen Hawking.

O professor de Cambridge alerta a mudança política e mostra que a maioria das pessoas na Terra está doente do status quo e sentiram que tinham sido “abandonados por seus (acórdão) líderes.”

“Para mim, o aspecto realmente a respeito disso é que agora, mais do que em qualquer momento da nossa história, a nossa espécie precisa trabalhar em conjunto”, acrescentou. Hawking afirma que o mundo está enfrentando grandes desafios, incluindo a mudança climática, a superpopulação, a produção de alimentos, a dizimação de outras espécies na Terra, doença epidemia e poluição dos oceanos . “Juntos, eles são um lembrete de que estamos no momento mais perigoso no desenvolvimento da humanidade. “Nós podemos fazer isso [superar os desafios], sou um enorme optimista para a minha espécie; mas isso vai exigir que as elites, de Londres a Harvard, de Cambridge para Hollywood, aprenda as lições do ano passado.”

Ele também acrescentou: “Agora temos a tecnologia para destruir o planeta em que vivemos, mas ainda não desenvolveram a capacidade de escapar. “Talvez em algumas centenas de anos, vamos ter estabelecido colônias humanas no meio das estrelas, mas agora só temos um planeta, e precisamos trabalhar juntos para protegê-lo.”

Vale a pena conferir essa entrevista onde hawking fala sobre os extraterrestres!

 

………………………………………………
*Fonte: universocetico

 

Stephen Hawking afirma que devemos ter cuidado ao contatar ETs

Depois de afirmar, em 2010, que os humanos deveriam ter cuidado ao tentar fazer contato com aliens, o físico Stephen Hawking reforçou mais uma vez sua preocupação. As palavras de aviso estão no documentário Stephen Hawking’s Favorite Places (“Os Lugares Favoritos de Stephen Hawking”).

No filme de 30 minutos, Hawking viaja pelo universo em uma nave fictícia. Entre os lugares “visitados” por ele, está o Gliese 832c, um planeta parecido com a Terra, que fica relativamente perto, a 16 anos luz.

“Se existir vida inteligente lá, nós devemos ouví-la”, afirmou o físico. “Um dia receberemos um sinal de um planeta como este, mas devemos ter cuidado ao respondê-lo. Encontrar uma civilização avançada pode ser como o encontro entre Colombo e os índios. Nós sabemos que isso não acabou muito bem.”

Como já havia afirmado anteriormente, para Hawking, basta olhar a nós mesmos para ver como a vida inteligente pode evoluir para algo que não queremos encontrar. O pessimismo de Hawking não é novidade, veja aqui suas previsões sobre o futuro do planeta.

Apesar dos avisos, o cientista está bastante interessado em encontrar vida fora da Terra. Ao lado do bilionário russo Yuri Milner e do presidente do Facebook, Mark Zuckerberg, ele planeja enviar sondas ao espaço com o projeto Breakthrough Starshot — mais especificamente para o sistema de Alpha Centauri, onde descobriram o Proxima B, um exoplaneta com possibilidade de vida.

 

…………………………………………….
*Fonte: galileu

hawking_ufos

Stephen Hawking afirma: apocalipse provocado por asteroides é iminente

O famoso astrofísico lançou alerta sobre o perigo que diversos asteroides – alguns com mais de 1 km de diâmetro – representam ao nosso planeta.

Em um vídeo produzido pelo movimento global “Asteroid Day”, Stephen Hawking afirma que há uma grande probabilidade de que um asteroide colida com planetas habitados por vida inteligente. Por isso, ele afirma que é necessário que políticos, cientistas e o público em geral encarem essa situação muito seriamente.

Enquanto isso, o astrônomo Patrick Michel diz que, se um desses corpos impactarem contra a Terra, poderá provocar danos muito sérios a todo um país ou, até mesmo, um continente. A grande maioria dos asteroides conhecidos, no entanto, são pequenos e não representam perigo para o planeta.

Atualmente, não há nenhuma maneira eficaz de lidar com um asteroide em rota de colisão com nosso planeta. Algumas ideias de impedir um impacto incluem o envio de uma nave espacial para usar a própria gravidade da pedra espacial para mudar o seu curso. A ideia de neutralizá-lo no espaço já foi descartada, pois isso enviava milhares de fragmentos menores e atingiria a Terra de forma ainda mais perigosa.

A astrônoma Carolyn Shoemaker disse: “Quanto mais aprendemos sobre todos esses objetos, mais podemos estar preparados para prevenir um impacto perigoso contra nós”.

A NASA afirma estar atenta aos asteroides e diz que não há nenhum perigo rondando a Terra pelos próximos 100 anos – pelo menos.

 

…………………………….
*Fonte: history

stephen-hawking-4

Stephen Hawking diz que a humanidade só viverá mais mil anos

O físico Stephen Hawking, uma das mentes mais brilhantes do mundo, disse, recentemente, que tem medo de encontrar vida fora da Terra. E sua mais nova declaração é bem pessimista sobre a espécie humana: ele garante que só viveremos mais mil anos, se nenhuma medida for tomada logo.

Hawking disse isso durante um discurso na Universidade De Oxford, no Reino Unido. O físico afirmou que é preciso buscar meios de “escapar do nosso frágil planeta”, caso contrário a humanidade poderá ser extinta. E pediu aos discentes da instituição que “continuem olhando para as estrelas, e não para seus pés”.

Os motivos que fazem Hawking acreditar que estamos com os dias contados são os mais variados: o desenvolvimento de armas biológicas com vírus geneticamente modificados, possíveis guerras nucleares e até mesmo a evolução da inteligência artificial. Tudo isso já foi abordado pela ficção e sabemos que as consequências são catastróficas, então não é exagero dizer que Hawking pode estar correto.
Fugir para Marte?

Uma opção para que a espécie humana se salve é colonizar outros planetas, em especial Marte, pela proximidade e similaridades com a Terra, além de ser o único com potencial para ser habitável em nosso sistema solar.

Mesmo assim, o planeta vermelho ainda é muito hostil para abrigar vida e poderia nos matar de diversas maneiras: radiação solar (por conta da ausência de atmosfera), ar tóxico (composto por 95% de dióxido de carbono), poeira (não se sabe seu impacto nos pulmões de um ser humano), frio (a temperatura varia entre 27 e menos 143 graus celsius) e pressão atmosférica (extremamente baixa, o que poderia fazer um ser humano literalmente ferver).
Existem lulas gigantes nas profundezas do oceano?
Outros planetas

Por conta destes fatores, a NASA trabalha para tentar descobrir outros planetas fora do nosso sistema solar. Mas o grande problema é que as estrelas mais próximas da terra estão a anos-luz de distância e, com a atual tecnologia, uma viagem poderia demorar décadas.

Além disso, some a questão de que o planeta escolhido precisa estar na chamada “Zona Cachinhos Dourados”: ele precisa estar em uma posição em relação a sua estrela para que sua água não congele e nem evapore. Ou seja, ele precisa manter uma temperatura amena ideal para que a água exista em estado líquido, igual a Terra.

Um planeta semelhante a Terra já foi descoberto pela NASA: Proxima B, um exoplaneta de tamanho similar ao nosso, e que está na Zona Cachinhos Dourados da estrela Proxima Centauri. O problema é que ele está a 4,2 anos-luz de distância, o que é pouco em termos espaciais, mas ainda assim muito distante para um viagem com a atual tecnologia. Mas é uma das melhores opções que temos.

……………………………………..
*Fonte: acrediteounao / Texto por Augusto Ikeda

stephen-hawking_vida1