5 técnicas calmantes que podem reduzir a ansiedade em pouco tempo

“Não habite no passado, não sonhe com o futuro, concentre a mente no presente.” – Buda
As pessoas que sofrem de ansiedade, muitas vezes, não conseguem entender o que está acontecendo.

Somente aqueles que sentiram o medo da ansiedade constante, podem entender.

 

Abaixo estão 5 técnicas que podem reduzir a ansiedade em pouco tempo:

1. Meditação

“A pesquisa sugere que a meditação diária pode alterar os caminhos neuronais do cérebro, tornando-o mais resiliente ao estresse”, diz Robbie Maller-Hartman, Ph.D.

Contrariando à crença popular, não é preciso ser um sábio para experimentar os tremendos benefícios do alívio de ansiedade da meditação. (É claro que a prática adicional apenas fortalece a capacidade de combate ao estresse/ansiedade).

O método é simples. Para instruí-lo, vamos imaginar que você está no trabalho ou estacionado em algum lugar com seu carro. Aqui está o que fazer: sente-se reto, com os dois pés no chão e feche os olhos. Recite – em silêncio ou em voz alta – um mantra, como “Estou em paz”, ” ou “Eu me amo “. Descarte quaisquer pensamentos de distração sem preconceito ou julgamento.

2. Respiração profunda

Quando se trata de aliviar a ansiedade, concentrar-se na respiração é (de longe) o método mais eficiente. Tudo o que você precisa é de uma pausa de 5 minutos e paciência.

Mais uma vez, a prática é simples. Sente-se corretamente com os olhos fechados. Coloque uma mão na sua barriga enquanto inspira lentamente pelo nariz. Sinta a respiração encher seu abdômen e viaje para cima, como se a respiração estivesse chegando ao topo da cabeça. Mantenha a respiração presa por alguns segundos, então, naturalmente (e lentamente), expire pela boca.

3. Esteja presente

“Estar presente” é notar todas as sensações à medida que elas se estendem – existir neste momento e apenas neste momento.

O bom sobre estar presente é que você pode praticá-lo em qualquer lugar, fazendo qualquer coisa, a qualquer momento. Lavando a louça: observe e sinta como é a superfície dos pratos ao toque de sua mão, enquanto você aplica o detergente. Andando? Sinta o ar à medida que ele flui e toca seu rosto e seu corpo. Digitando? Ouça o som de cada barulho do teclado enquanto trabalha.

Quando você está presente, foca toda a sua consciência em seus sentidos, em vez de no impulso.

 

4. Priorize seu tempo

Nosso tempo nesta Terra é limitado. A verdade (às vezes desconfortável) é que não sabemos quanto desse precioso recurso temos. Infelizmente, muitas pessoas agem como se fossem imunes ao passar do tempo.

O fundador da Apple, Steve Jobs, que acabaria por sucumbir ao câncer, deu sua perspectiva ao tempo: “Se hoje fosse o último dia de sua vida, você gostaria de fazer o que está fazendo hoje?”

Avalie como você gasta seu tempo. Não há caminho “certo” ou “errado” – apenas o seu caminho. Se você tiver a sorte de trabalhar em um trabalho que você ama, invista seu tempo lá. Se você está feliz apenas em “ir com o fluxo” e apreciar cada experiência – ótimo.

Valorizar o tempo é gastá-lo desfrutando de sua vida, descartando quaisquer expectativas externas.

5. Escreva coisas

Documentar seus pensamentos é um poderoso analgésico. Pensamentos estressantes acumulados, inevitavelmente, resultam em ansiedade.

Escrever o que você está pensando e sentindo pode proporcionar um profundo sentimento de alívio, pois você não está mais confiando em suas faculdades cognitivas para armazenar e interpretar cada pequeno impulso.

Escrever seus pensamentos, em essência, é transferindo seus pensamentos para algo tangível. Ao fazê-lo, você libera seus recursos cognitivos e neutraliza a ansiedade. Como resultado, torna-se mais relaxado – e uma mente relaxada é uma mente pacífica.

Uma boa prática: mantenha um bloco de anotações em seu alcance. Sempre que um pensamento estressante e ansioso surgir, escreva-o. No final do dia, reveja as suas anotações – alguma coisa precisa mudar ou suas ansiedades são um subproduto inofensivo de uma mente hiperativa?

 

…………………………………………………………………………..
*Fonte: osegredo /Power of Positivity

Toque como Eric Clapton: Como combinar as escalas pentatônicas Maior e Menor

Muitos guitarristas aprenderam a combinar a escala pentatônica maior e menor, o que permite que você torne seus solos de guitarra muito mais abrangentes do que você poderia imaginar, aderindo apenas a uma escala ou a outra. Esta era uma técnica comumente utilizada por músicos como B.B. King e Stevie Ray Vaughan, bem como Eric Clapton.

Neste vídeo, John Tuggle demonstra como você pode combinar as escalas pentatônicas maiores e menores para criar riffs e solos de guitarra semelhantes a Clapton.

Dê uma olhada, e se você gosta do que vê, John criou dois cursos completos chamado Play Like Clapton que pode ensinar técnicas adicionais. Você pode encontrar mais [ AQUI ].

…………………………
*Fonte: guitarplayer

9 técnicas de persuasão

Lembrando que as técnicas mostradas a seguir, não devem ser usadas para prejudicar alguém. Nós da Vida em Equilíbrio não estamos estimulando esse tipo de atitude, no entanto, sabemos que estas técnicas já podem ter sido usadas contra vocês, então, é bom alerta-los, para que na próxima, vocês consigam perceber.

1. Contextualização
“Metade do copo está vazio”. Essa é a interpretação que um pessimista faz do fato objetivo de haver um copo cheio até a metade. Contextualização nada mais é que uma forma de manipular como vamos selecionar, classificar, associar e, o mais importante, interpretar determinados eventos, objetos ou comportamentos.

A manchete “FBI Cerca Reduto de Líder de Seita” nos dá uma imagem completamente diferente de “FBI Ataca Encontro Cristão de Mulheres e Crianças.” Ambas manchetes podem ser consideradas corretas sobre o que ocorreu de fato, mas a escolha de palavras altera completamente nossas imagens e sentimentos em relação aos acontecimentos reais. A contextualização é usada com frequência por políticos espertos. Por exemplo, tanto os que são contra o aborto como aqueles que são a favor citam o termo “a favor da vida” ou “a favor do direito de escolha.” Isso porque a expressão “a favor” tem uma conotação bem melhor do que “anti-”(anti-aborto, anti-proibição,etc.) Esse processo usa sutilmente palavras com um forte apelo emocional para fazer com que as pessoas tomem o seu lado da questão.

Para contextualizar um argumento de persuasão, escolha palavras que evoquem imagens (positivas, negativas ou neutras) na mente do seu público-alvo. Mesmo com outras palavras ao redor, uma única contextualização pode ser de uma eficácia e tanto. Outro exemplo que ilustra essa teoria é a diferença entre dizer “Ter um celular vai me poupar dores de cabeça” e “Ter um celular vai me dar mais segurança”. Reflita sobre qual palavra é mais eficaz para a sua mensagem: “dores de cabeça” ou “segurança”.

2. Efeito Camaleão
É o que acontece quando você imita os gestos e a linguagem corporal da pessoa que você quer persuadir. Ao agir como ela, você cria um senso de empatia. Você pode imitar os gestos das mãos, a inclinação do corpo para a frente ou para trás e os movimentos da cabeça e dos braços. Todos nós fazemos isso inconscientemente, e se você parar para prestar atenção, vai se flagrar fazendo o mesmo. Seja sutil ao usar essa técnica e espere de 2 a 4 segundos entre o movimento da outra pessoa e os seus gestos espelhados.

3. Escassez
Esse conceito é frequentemente usado pelos publicitários. Eles fazem com que o produto se pareça com uma oportunidade imperdível de compra simplesmente porque a disponibilidade é limitada(quem já não ouviu “essa oferta é por tempo limitado ou enquanto durar o estoque”). A maioria das pessoas acha que, se um produto está em falta, é porque deve haver uma grande procura por ele! É importante estar ciente de que somos todos frequentemente expostos a essa técnica. Lembre-se disso na próxima vez que tiver que decidir se compra ou não.

4. Segundas Intenções
Quando alguém faz algo especialmente para nós, temos a tendência de retribuir o favor. Logo, se você quer que alguém lhe faça um favor, por que não agradar primeiro? Em uma reunião de negócios, você pode ceder a palavra a quem deseja favorecer. No seu bairro, você pode se oferecer para levar o cachorro do vizinho para passear junto com o seu. Não importa quando ou onde você aplica a técnica; o segredo está em forjar os laços com a pessoa de quem você busca o favor.

5. A hora certa de agir
As pessoas estão mais propensas a concordar e a aceitarem ordens quando estão mentalmente exaustas. Antes de pedir algo a alguém que muito provavelmente dirá não, experimente esperar até que a pessoa tenha feito algo mentalmente cansativo. Como por exemplo, no final do expediente ao abordar um colega na saída da empresa. Não importa o que você vai pedir. A tendência dele é de responder “Pode deixar que eu vejo isso amanhã.”

6. Congruência
Todos nós tentamos, inconscientemente, ser consistentes com ações anteriores. Uma técnica que os vendedores usam é apertar a sua mão ao negociar com você. Na cabeça da maioria das pessoas, um aperto de mão significa que o negócio foi fechado. Assim eles aumentam as chances de venda. Você pode usar essa mesma técnica para fazer com que as pessoas acabem optando pelo que você quer antes que consigam tomar uma decisão. Por exemplo, você e um amigo passam pelo cinema no shopping. Você quer ver o filme em cartaz, mas ele não. Você pode começar a andar em direção à sala de cinema enquanto seu amigo pensa. Agora as chances do seu amigo concordar em assistir o filme são maiores uma vez que ele já está a caminho da sala.

7. Discurso firme
Quando falamos, frequentemente usamos interjeições e expressões de hesitação, tais como “Hmmm…” ou “Tipo assim…”, sem falar no famigerado “Éééé…”. Caso use esses “vícios” na hora de expor seus argumentos, sem querer você acaba transmitindo insegurança e falta de auto-confiança e de convicção no que diz. Consequentemente, suas chances de conseguir persuadir caem consideravelmente.

8. Perguntas afirmativas
Comece a conversa com perguntas que normalmente são respondidas com um “sim”. “Belo dia, não?” “Sua esposa está linda hoje, não acha?” “Você está procurando um carro com um preço imperdível, certo?”Depois que você consegue fazer com que lhe respondam com um “sim”, fica mais fácil continuar até o final, com um “Sim, negócio fechado.” Se usarem essa técnica com você, dê respostas neutras, que mostrem que você não vai deixar ser manipulado facilmente.

9. Quebre o gelo
Esteja você fechando um negócio ou convidando alguém para sair, tocar a pessoa (de modo sutil e apropriado) pode aumentar suas chances de sucesso, pois inconscientemente ativa nas pessoas o desejo de se ligarem umas às outras. No ambiente de trabalho, o “toque” pode ser interpretado como uma forma de assédio sexual. É mais seguro usar elogios e apoio moral. Em um contexto romântico, o toque feminino é normalmente bem-vindo. Já o homem precisa conhecer melhor com quem está lidando para não fazer com que a mulher se sinta pouco à vontade.

*Fonte: EquilíbrioEmVida

persuasao111