Phil Lynott

Nesse dia também faria aniversário Phil Lynott, baixista do Thin Lizzy, um irlandês que segundo a lenda, seria filho de um marinheiro brasileiro. Phil que virou tardiamente um de meus heróis do contrabaixo (sorry Phil, antes tarde do que nunca), em minhas pesquisas musicais.

Saudações Phil, descanse em paz. A sua música e seu legado ficam sempre com a gente.

e a minha música preferida da banda:

Phil Lynott: Songs For While I’m Away | Trailer (documentário)

Abaixo trailer sobre o documentário da vida de Phil Lynott:

O filme contará a história de como um jovem negro da classe trabalhadora de Dublin dos anos 1950 se tornou o melhor Rock Star da Irlanda. Como vocalista do Thin Lizzy, Phil Lynott era um compositor, um poeta, um sonhador, um homem selvagem.

Contando extensivamente através das palavras do próprio Phil e focando em algumas de suas canções icônicas, o filme chega ao coração de Philip, o pai, o marido, o amigo, o filho, o ícone do rock, o poeta e o sonhador.

Thin Lizzy

Já que o assunto recente foi a morte do gary Moore, me ocorreu também mencionar um outro fato, a banda Thin Lizzy. Se o termo injustiça fosse aplicado com mais frequência para o sucesso de algumas bandas de rock, em meu TOP 10 constaria com certeza o Thin Lizzy.
Esta excelente banda de hard rock irlandesa que contava no baixo e vocal com Phil Lynott (filho de um marinheiro brasileiro), tinha tudo para dar errado, sendo que o simples fato de ser irlandês na europa naquele época já era um aquestão complicada (nma década de 70 haviam acirrados problemas políticos e religiosos em questão), ainda mais se o líder da banda fosse negro…pssss! Pois é, isso já define de cara a garra e a gana de rock com que Phil e sua turma (multiracial e que reuniu membros ingleses, americanos e irlandeses), encararam desde o começo de sua história como banda de rock.
O começo foi duro mas eles aos poucos forma subindo degrau por degrau a escadaria do sucesso, não deve ter sido fácil, mas chegaram lá. No começo como um trio, depois como um quarteto que teve até o guitarrista Gary Moore em sua formação, sendo que o time foi mudando algumas vezes até o seu derradeiro final, meses depois ocorreu o falecimento do comandante Phil Lynott, em 04 de janeiro de 1986. Ficaram famosos sim, gravaram vários álbuns, inúmeras tours mas creio que sempre ficaram abaixo do merecido em termos de reconhecimento na história do rock, mereciam mais, muito mais!
Volta e meia o Thin Lizzy reaparece com John Sykes na guitarra pilotando a banda, agora em 2011 a banda deve estar novamente na estrada e desta vez conta com a presença de Vivian Campbell (Dio, Whitesnake e Def Leppard)  na guitarra. Phil Lynott é insubstituível, eles sabem, nós sabemos, mas é legal que outros membros da banda sigam em frente, eu particularmente gostaria muito de assistir a um show do Thin Lizzy. Quem sabe um dia?

Hey mano expertalhuxo, só para sacar a aimportância dessa banda e o poderio de suas composições, de onde você pensa que o “cappo”  Steve Harris (Iron Maiden) tirou a idéia de ter um baixo Fender Precision de escudo “espelhado” ou então aquela super manha que a sua banda tornou clássica de 2 guitarras solando dobrado??? Yeah! Thin Lizzy, bro! Vide fase da formação com o escocês Brian Robbertson e o americano Scott Gorhan nas guitarra. Stevão é fanzaço de carteirinha da banda. Te caiu os butiás dos bolso agora né! Vai lá e escuta mais Thin Lizzy.

Álbuns de estúdio
* Thin Lizzy (1971)
* Shades of a Blue Orphanage (1972)
* Vagabonds of the Western World (1973)
* Nightlife (1974)
* Fighting (1975)
* Jailbreak (1976)
* Johnny the Fox (1976)
* Bad Reputation (1977)
* Black Rose: A Rock Legend (1979)
* Chinatown (1980)
* Renegade (1981)
* Thunder and Lightning (1983)

Ao vivo
* Live and Dangerous (1978)
* Life (1983)
* Live Thunder The Last Concert, Limited Version (1987)
* Boys Are Back in Town: Live in Australia (1999)
* One Night Only (2000)

*Site THIN LIZZY: http://www.thinlizzy.org/

Gary Moore [R.I.P.]

O guitarrista irlandês Gary Moore (58 anos), morreu ontem durante o sono sufocado pelo próprio vômito, encontrava-se de férias com sua namorada em Estepona, na Espanha.  Pode até parecer conversa fora de época este tipo de morte de músico famoso, afinal não estamos mais naqueles loucos anos 60/70 em que o rock perdeu acidentalmente vários de seus ícones por abuso de álcool e drogas, mas dessa vez não é nenhuma piada de mau gosto. Uma pena! Moore era um daqueles guitarristas irriquietos de guitarra em punho, um virtuoso do hard rock, mas que tinha também a manha do blues e do jazz, além de sua carreira solo tocou com artistas do quilate de Bob Dylan, Albert Collins e BB King, mas sua marca registrada foi sua passagem pelo Thin Lizzy nos anos 70, quando firmou grande parseria musical com Phil Lynott. Mais tarde só não entrou para o Whitesnake (apesar de suas qualidades musicais), apenas porque David Coverdale o achava muito feio para fazer parte do grupo (tsk…tks..). Aos poucos o rock vai perdendo suas grandes referências, tenho certo receio desses tempos, porque as novas gerações terão lá os “seus” novos ídolos tomando o lugar da velha guarda “responsa” – SHIT! Nem quero pensar no dia em que gente como Pe Lanza & Cia  forem os responsáveis por manterem a chama do tal rock’n roll ainda acessa… Blárgh!!!!!

Descanse em paz Gary Moore!

Discografia:
* Grinding Stone (1973)
* Back on the Streets (1979)
* G-Force (1980)
* Live at the Marquee (1981)
* Gary Moore (1982)
* Corridors of Power (1982)
* Victims of the Future (1983)
* Dirty Fingers (1984)
* We Want Moore (1984)
* Run for Cover (1985)
* Rockin’ Every Night – Live in Japan (1986)
* Wild Frontier (1987)
* After the War (1989)
* Still Got the Blues (1990)
* After Hours (1992)
* Blues Alive (1993)
* Around the Next Dream (1994)
* Ballads & Blues 1982-1994 (1994)
* Blues for Greeny (1995)
* Dark Days in Paradise (1997)
* Out in the Fields (1998)
* Blood of Emeralds (1999)
* A Different Beat (1999)
* Back to the Blues (2001)
* Best of the Blues (2002)
* Have Some Moore – The Best Of (2002)
* Live at Monsters of Rock (2003)
* Parisienne Walkways: The Blues Collection (2003)
* Power of the Blues (2004)
* Old New Ballads Blues (2006)
* The Platinum Collection (2006)
* Close As You Get (2007)
* Bad for You Baby (2008)
* Guitar Mindtrip (2010)