Fim de uma era: Valentino Rossi anuncia aposentadoria da MotoGP no final de 2021

Valentino Rossi, multicampeão da MotoGP e uma lenda do esporte a motor, confirmou nesta quinta-feira (05) que se aposentará da categoria após o final desta temporada. A decisão do italiano foi anunciada em uma coletiva extraordinária no Red Bull Ring, antes da disputa do GP da Estíria.

A expectativa do anúncio da aposentadoria de Rossi já existia há algumas semanas, com o italiano vivendo sua pior temporada na MotoGP. E o local da confirmação não poderia ser outro: na quarta-feira (04), completou-se 25 anos do primeiro pódio do italiano no Mundial de Motovelocidade, quando foi terceiro colocado no GP da Áustria das 125cc no próprio Red Bull Ring, quando ainda era conhecido como A1 Ring.

Mas na coletiva Rossi deixou algo claro: a aposentadoria da MotoGP não significa uma aposentadoria das pistas. O italiano passará a focar em corridas de carro, algo que ele já vinha fazendo esporadicamente nos últimos anos.

Depois de perder a vaga na equipe oficial da Yamaha para Fabio Quartararo, houve muita especulação sobre uma possível aposentadoria de Rossi ainda no ano passado, mas ele optou por seguir mais um ano nas pistas. Em 2021, o italiano corre na Petronas SRT, equipe satélite da Yamaha, tendo ao seu lado o ítalo-brasileiro Franco Morbidelli.

Mas os resultados simplesmente não vieram para Rossi. Após a primeira parte do campeonato, encerrada no fim de junho com o GP da Holanda, o multicampeão tinha como melhor resultado apenas um décimo lugar no GP da Itália, em Mugello. Na classificação do Mundial, ele se encontra muito atrás das outras Yamahas, de Quartararo, Maverick Viñales e Morbidelli.

A cada corrida neste ano, a sensação de que a aposentadoria de Rossi se aproximava ficava cada vez mais forte. Caso optasse por seguir na MotoGP em 2022, precisaria ainda cumprir critérios de performance determinados pela Yamaha em seu contrato ou teria que correr atrás de outra montadora, sendo que boa parte das vagas do próximo ano já estão fechadas.

Mas mesmo uma última temporada amarga não apaga uma carreira brilhante de Valentino Rossi no Mundial de Motovelocidade, marcada por títulos, vitórias, pódios e recordes que devem ser mantidos por um bom tempo.

Rossi estreou no Mundial de Motovelocidade em 1996, na 125 cilindradas correndo com a Aprilia e logo no ano de estreia conquistou a primeira vitória, no GP da República Tcheca. Já no ano seguinte, foi campeão da classe, garantindo sua evolução para as 250 cilindradas, onde foi vice-campeão de cara, em 1998, perdendo para o compatriota Loris Capirossi, um de seus principais rivais ao longo da carreira.

Em 1999, dominou, vencendo nove das 16 corridas do ano e subindo ao pódio em outras três, sendo campeão com folga e carimbando sua passagem para a categoria rainha: as 500 cilindradas, onde já chegou com status de futuro campeão.

Estreando com a Honda, Rossi se mostrou competitivo desde o início, vencendo duas corridas e terminando com o vice-campeonato. Mas a história na categoria que o consagrou para o mundo do esporte estava apenas começando. Entre 2000 e 2010, conquistou impressionantes sete títulos, além de dois segundos e dois terceiros, consagrando-se como um dos maiores nomes do esporte

Seu primeiro título veio já em 2001 com a Honda, conquistando ainda outros dois com a montadora. Mas Valentino Rossi é praticamente sinônimo de Yamaha, uma parceria que começou em 2004, e da melhor forma possível.

Já em seu primeiro ano com a Yamaha, Rossi foi campeão, emendando com o penta da MotoGP em 2005. E após perder os títulos de 2006 e 2007 para Nick Hayden e Casey Stoner, o Doutor voltou a brilhar nos anos seguintes, conquistando o hexa e o hepta em 2008 e 2009, seu último título na categoria.

Mas mesmo um dos maiores da história também possui sua cota de erros e momentos complicados. Para Rossi, isso veio em 2011, quando deixou a Yamaha e assinou com a Ducati.

Se para os fãs italianos a combinação de Rossi com Ducati era um sonho, na pista a situação foi muito diferente para o Doutor. Ao longo de dois anos, subiu ao pódio apenas três vezes, sem conquistar nenhuma vitória.

Após dois anos desastrosos com a Ducati, Rossi voltou à Yamaha em 2013, onde conquistou mais três vice-campeonatos, incluindo a polêmica temporada de 2015, quando teve uma disputa intensa com seu companheiro de equipe, Jorge Lorenzo.

O ano também foi marcado por uma rivalidade com Marc Márquez que rendeu um dos momentos mais polêmicos do esporte, quando Rossi chutou o piloto da Honda durante o GP da Malásia.

Depois de 2015, Rossi seguia entregando boas corridas, mas sem a mesma frequência dos anos anteriores, conquistando sua última vitória no GP da Holanda de 2017 e o último pódio em julho de 2020, no GP da Andaluzia.

No ano passado, Rossi voltou a estampar as capas dos principais veículos do mundo, mas por um motivo muito diferente: um grave acidente entre Johann Zarco e Franco Morbidelli, com as motos dos dois pilotos voando pelo Red Bull Ring e errando Rossi por questão de centímetros. O italiano criticou duramente os envolvidos e cobrou mais segurança da categoria.

Até o momento, já disputou 423 grandes prêmios, com 115 vitórias. São 235 pódios no total, 65 pole positions, 96 voltas mais rápidas e 6.330 pontos, que, no entanto é um valor que – com toda a probabilidade – será melhorado até o final do ano.

Com a despedida de Valentino, a MotoGP perde um dos maiores nomes de sua história e também um dos símbolos que, nos últimos 20 anos, obteve sucesso em todas as pistas por onde passou. Uma era chega ao fim, e isso era inevitável. Mas o que Rossi fez ficará na história.

…………………………………………………………………………………………….
*Fonte: motorsportuol

Deu Valentino Rossi na Holanda

Hoje foi a vez do italiano multi-campeão Valentino Rossi vencer a prova da MotoGP, depois de mais de um longo jejum de mais de ano sem vencer. Sua última vitória foi no Catar, em 2016. Hoje em Assen, na Holanda, a história foi diferente, avançando assim para a terceira colocação na tabela do campeonato, com 108 pontos. Em primeiro temos Andrea Dovizioso (Ducati – #04) com 115 pontos e na segunda colocação, Maveric Viñales (Yamaha – #25), companheiro de equipe de Rossi.

Go Rossi!

>> Semana que vem tem mais MotoGP na Alemanha.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MotoGP da Austrália 2016

Dia da etapa australiana de MotoGP na pista de Phillip Island, teve a vitória de Cal Crutchlow (Honda #35 – equipe satélite), que estava na segunda posição e assumiu a liderança após queda do já campeão antecipado, Marc Marquez (Honda #93). Por outro lado, Valentino Rossi (Yamaha #46) largou na 15ª posição e vez uma ótima prova de recuperação, chegando em segundo lugar.

Resultado do GP da Austrália

1) Cal Crutchlow (GBR / Honda) – 40m48s543
2) Valentino Rossi (ITA / Yamaha) – 40m52s761
3) Maverick Viñales (ESP / Suzuki) – 40m53s852
4) Andrea Dovizioso (ITA / Ducati) – 40m57s700
5) Pol Espargaró (ESP / Yamaha) – 41m02s842

Classificação da MotoGP 2016

1) Marc Márquez (ESP / Honda) – 273 pontos (campeão por antecipação)
2) Valentino Rossi (ITA / Yamaha) – 216
3) Jorge Lorenzo (ESP / Yamaha) – 192
4) Maverick Viñales (ESP / Suzuki) – 181
5) Dani Pedrosa (ESP / Honda) – 155

img_2145

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

mm

 

 

 

 

 

Moto GP – Catalunha 2016

Valeu mesmo o árduo trabalho de sair cedo da cama nessa fria manhã de frio domingo, báh….. mas isso é só para os fortes, tudo para assistir afortunadamente a uma espetacular prova do Moto GP, a MELHOR deste ano! Sim, isso mesmo que você leu. A melhor (ao menos até agora).

A prova da Catalunã, onde o velho leão Valentino Rossi, que não largou no grupo da frente no grid, mas que de qualquer forma acabou dando um verdadeiro curso grátis de pilotagem desde a sua primeira volta na pista, largando na sexta posição. Teve de tudo o que uma boa corrida de motos precisa, muita emoção desde a larga, belas ultrapassagens, disputas, tombos e pilotos afoitos. Tá feito o show!

Eu gosto especialmente quando o Valentino Rossi (Yamaha #46) faz uma bela prova e ultrapassa o seu colega de equipe e babaca de plantão, Jorge  Lorenzo (Yamaha #99), que aliás largou na frente e era o líder do campeonato. Valentino Rossi foi ultrapassando um a um até chegar na primeira posição, mas não foi nada fácil nem tranquilo, teve uma bela disputa com trocas de ultrapassagens quando Marc Marquez (Honda #93) entrou na luta pela liderança. è bacana demais escutar ao fundo a torcida ovacionando Rossi a cada ultrapassagem que faz. Báh!

Quanto a prova em si, deu Valentino Rossi em primeiro, Marc Marquez em segundo e o terceiro lugar para os eu colega, Dani Pedrosa (Honda #26). Gostei que o futuro colega de equipe de Rossi na Yamaha em 2017, Maverick Viñales (Suzuki #25), também fez uma bela prova e chegou em 4º lugar, quase dando um podium para o novato. Já Lorenzo, que largou na frente foi perdendo posições em função do desgaste de seu kit de pneus (tem a ver com a escolha da composição de material que o piloto faz antes da prova) até que sofrei uma batida e foi derrubado em uma curva arriscada e mal feita pelo afoito piloto Iannone (Ducati #29). Ambos tiveram de abandonar a prova.

O legal que na prova da Itália, terra do Rossi, os pilotos espanhóis é que venceram e agora foi o troco!
Agora o campeonato toma uma novo fôlego e uma reviravolta na classificação, com Marquez na liderança, seguido por Lorenzo e depois Rossi com poucos pontos de diferença, o que o deixa mais competitivo novamente porque Lorenzo não marcou pontos e assim os demais avançaram na tabela. Muito interessante foi Marquez cumprimentar a vitória de Rossi no final da prova, o que pode ser um recomeço de amizade entre os dois pilotos. Boa!

*A nota triste da prova da Catalunã foi a morte na parte dos treinos e qualificação do jovem e promissor piloto Lui Salom.

 

cataluna2016_02

 

 

 

 

 

cataluna2016_04

 

 

 

 

 

 

 

CatalunaMOTOGP2016_01

 

 

 

 

 

 

 

CatalunaMOTOGP2016_02

 

 

 

 

 

 

cataluna2016_01

 

 

 

 

 

 

 

*Luis Salom

luissalom

 

Rossi em um dia de luxo

Em outra prova exuberante de Valentino Rossi, dessa vez no Moto GP da França, quando não largou muito bem mas foi subindo de posição até se estabelecer na segunda colocação. Lugar este que ocupou no pódio, sendo o seu desafeto Lorenzo (Yamaha #99) o vencedor e o terceiro lugar a cargo do novato Maverick Viñales (Suzuki #25) – que nome show esse!
Com este resultado agora Rossi está apenas à 12 pontos atrás do líder do campeonato, o espanhol e bundão de plantão, Jorge Lorenzo.

E que sensação boa a de ouvir o grito da torcida (sim, tem torcida nas pistas de corrida de moto), ovacionando uma ultrapassagem ou até mesmo a chegada nos boxes de Valentino Rossi, o som chega a vazar no áudio da transmissão da prova, de tão intenso. Dá-lhe Rossi! Esse cara é phoda.

*Nesse blog não tem frescura nem “emcimadomurismo”, aqui a torcida é descarada sempre, seja por algum piloto, carro, time, seleção ou o que for…

IMG_6709

 

 

Valentino Rossi um guerreiro

Na última prova do ano do MotoGP de 2015 não deu para o Valentino Rossi (Yamaha #46), a sua tarefa era difícil, largar lá atrás e chegar na frente do Lorenzo, mas ao menso tentou, e como. Então o campeonato ficou com o piloto e “bundão-de-plantão” Jorge Lorenzo (Yamaha #99) e o vice-campeonato para Rossi, que aliás, tem 9 títulos mundiais em sua carreira. Tá bom ou quer mais? Eu queria mais… mas não foi dessa vez.

Foi um belo ano para o velho leão, ganhou várias provas, fez muitos pódiuns, correu super bem mas a trampinagem da galerinha espanhola (será!?) o atrapalhou, uma pena. Mas de certa forma foi o campeão para o público que acompanha o MotoGP o ano todo, foi mais braço na pista, tanto que hoje largou na vigésima sexta posição e chegou em quarto.

Go! Rossi,go!!!! Ano que vem tem mais. Esse Lorenzo-sem-carisma e o guri-chorão do Marquez terão que pedalar muito ainda para terem a metade de suas qualidades e do seu crisma como um “dos grandes” pilotos da história do motociclismo.

Valeu Rossi!

spain_motogp_2015

Assim não Rossi

No grande prêmio do Moto GP da Malásia – Sepang, prova que vem a ser a penúltima do campeonato de 2015, teve uma atitude considerada anti desportiva por parte do piloto italiano Valentino Rossi (Yamaha #46), então é líder do campeonato. Rossi, o multi campeão, teria aberto propositalmente a perna e empurrado para o lado o piloto e atual campeão Marc Márquez (Honda #93) e uma disputa de ultrapassagem pela terceira colocação. No link abaixo você poderá ter mais detalhes e ver o vídeo desta polêmica.
A prova foi vencida por Dani Pedrosa (Honda #26), com Jorge Lorenzo (Yamaha #99) em segundo. Assim a última prova do Moto GP de 2015 será decidida dia 8 de novembro na espanha, em Valencia, terra do piloto Jorge Lorenzo que está apenas 7 pontos atrás de Rossi na disputa pelo título deste ano. Aliás, esse foi em parte um dos fatores que “talvez” tenham gerado alguma animosidade para a disputa da prova de hoje na Malásia. Acontece que durante a semana, Rossi teria dito em entrevistas que os pilotos espanhóis, mesmo estando em equipes diferentes (Honda e Yamaha), estariam se ajudando para tirarem o título dele, um italiano. No caso os pilotos espanhóis são seus concorrentes diretos ao título, Márquez e Lorenzo.

Assistindo calmamente ao vídeo se percebe sim um “chutinho” do Rossi,  que sem dúvida alguma não é uma atitude compatível a performance de um campeão como ele, mas por outro lado, também tive a impressão de uma “cabeçada” da parte do Márquez, antes…!?? Será?

Ao final da prova tivemos cenas de um pódium sem graça, com cara “alguém peidei, não sei quem fui” da parte de Rossi e um Lorenzo abandonando o pódium depois de receber o seu troféu. Uma comemoração sem a menor graça e brilha de como deveria de ser uma prova do moto GP.
Valentino Rossi foi punido ao final de prova e deverá largar em último na última na corrida de Valencia.

  • Rossi depois da prova afirmou que Márquez o fez perder o campeonato deste ano.
    – (Marc) Marquez ganhou a luta dele, me fez perder o campeonato. Seu guidão tocou o meu pé e meu pé escorregou. Uma moto não pode cair apenas com um toque – disse o heptacampeão.
  • Lorenzo comentou que a punição para o seu colega de equipe foi muito branda.
    – Não acho que tenha sido uma boa decisão. Ele (Rossi) colocou Marc (Márquez) para fora, e Marc ganhou zero pontos, mas ele levou 16. Acho que foi injusto, talvez por conta do nome dele não sofreu uma punição pior.

 

*Fonte:G1

 

rossixmarquez1

 

 

 

 

 

 

 

 

Deu Valentino em Silverstone

Numa bela prova de recuperação e com duas largadas por causa da chuva intensa em Silverstone (Inglaterra), o piloto Valentino Rossi (Yamaha #46), o rei da chuva, venceu o Moto GP de hoje e já acumula 4 vitórias nesta temporada e esteve em TODOS os pódiuns do ano. Prova esta que teve 3 italianos nas primeiras colocações, com o segundo lugar para Danilo Petrucci (Ducati #9), que teve seu primeiro pódium em toda carreira e o terceiro lugar para Andrea Dovizioso (Ducati #04), numa corrida com inúmeras quedas. Rossi agora assume novamente a liderança do campeonato de 2015, abrindo 12 pontos de vantagem para o seu companheiro de equipe Jorge Lorenzo (Yamaha #99).
Fazia tempo que não via uma corrida com chuva forte na pista, uma prova cheia de emoções.

rossi_silverstone2015_01

 

 

 

 

rossi_silverstone2015_02

Valentino Rossi vence o Moto GP da Argentina 2015

Em uma incrível prova de recuperação, o piloto italiano Valentino Rossi (Yamaha #46), que largou em oitavo lugar, venceu a prova do Moto GP da Argentina superando o garoto prodígio Marc Marquez (Honda #93), o atual bi-campeão da categoria, a duas voltas do final da prova. A corrida terminou com Rossi em primeiro, o italiano Andrea Doviziozo (Ducati #04) em segundo e completando o terceiro lugar no pódium, o piloto inglês Cal Crutchlow (Honda #35) . Dá-lhe Rossi! O velho leão ainda morde.

Valentino-Rossi-Argentina-2014_01

 

 

 

 

 

 

 

Valentino-Rossi-Argentina-2014_03

 

 

 

 

 

 

 

 

Valentino-Rossi-Argentina-2014_04

 

 

 

 

 

 

 

Valentino-Rossi-Argentina-2014_05

Valentino Rossi vence a primeira prova de 2015 do MotoGP

Já na primeira prova do MotoGP de 2015 o piloto veterano Valentino Rossi (#46 – Yamaha) mostrou a que veio, um primeiro lugar disputado até o último minuto com o piloto Andra Dovizioso (#04 – Ducati), em uma emocionante prova em Doha, no Catar. A próxima prova do MotoGP acontec dia 12 de abril, é o GP das Américas, em Austin, Estados Unidos. Fique de olho, é só o começo.

valentinoRossi_2015-03

 

 

 

 

 

 

 

valentinoRossi_2015-02

 

 

 

 

 

 

valentinoRossi_2015-03

Valentino Rossi – San Marino

Ontem foi o dia do “velinho” italiano Valentino Rossi (Yamaha #46) na prova de San Marino. Rossi que já foi 9 vezes campeão mundial da principal categoria de corridas de motos, o Moto GP, ontem venceu novamente uma prova, se bem que o fenômeno Marc Márquez é indiscutivelmente “o piloto” da vez em termos de campeonato e pontos, teve uma queda quando estava em segundo lugar – atrás de Rossi, e acabou chegando em 15 lugar. Mas o “Doutor” Rossi tá sempre lá para fazer a nossa alegria e mostrar que talento não tem idade. Se mantém na terceira posição do campeonato com 214 pontos, tendo Dani Pedrosa (Honda #26), em segundo com 215 e o líder Marc Márquez (Honda #93), com 289 pontos.
Salve ROSSI!
Aqui o Bajnomanblog te idolatra sempre!!!!

 

Rossi_sanmarino2014-01

 

 

 

 

 

 

 

Rossi_sanmarino2014-02

 

 

 

 

 

 

 

Rossi_sanmarino2014-03

Valentino voltou!

E o piloto Valentino Rossi regressou ao primeiro lugar no pódium, foi na prova de hoje em Assen, na Holanda, quando venceu pela primeira vez em 2013, ou então como queiram, desde que voltou ao time oficial da Yamaha no Moto GP. Foi a sua 80 vitória na categoria principal sendo que a sua última vez no lugar mais alto do pódium havia sido no GP da Malásia, em 2010. O nove vezes Campeão do Mundo partilhou o pódio com Marc Márquez (#93 –  Honda), que chegou em segundo lugar e Cal Crutchlow (#35 –  Yamaha) em terceiro, enquanto Jorge Lorenzo (#99 –  Yamaha), terminou em quinto apesar de fractura na clavícula.

*Eu, enquanto grande fan de Valentiono Rossi, há muito tempo esperava por uma vitória do piloto italiano, agora de volta ao time Yamaha. Desde já fico com as expectativas ampliadas depois desta prova, para que mais vezes seguida ele retorne ao seu devido lugar que o pódium.

assen2013_01

 

 

 

 

 

 

 

assen2013_02

 

 

 

 

 

 

 

 

 

assen2013_03

 

 

 

 

 

 

 

 

assen2013_04

Valentino em 4 rodas

E o mestre Valentino Rossi não é bom somente nas duas rodas, nesta segunda-feira, em um evento promocional no dia seguinte a prova que disputou do MotoGP em Austin (Texas – USA), o piloto fez um teste em um carro da Nascar (Nationwide), na pista de Charlotte. E é claro, o veículo estava devidamente adesivado com o seu número tradicional (#46). O carro em que pilotou neste teste pertence a equipe do piloto da NASCAR – Kyle Busch, que aliás, não poupou elogios a performance de Rossi na pista. Confira o que Kyle Busch disse:
– Ele chegou ao ponto de estabelecer tempos competitivos. Tempos que o colocariam no top 15 em um treino livre da Nationwide. Esta é uma marca fantástica para alguém que está tendo seu primeiro contato com o carro. Especialmente para alguém acostumado a pilotar sobre duas rodas- completa.

Valentino alegou que a experiência foi um pouco estranha no começo, mas que depois ele aproveitou e conseguiu se divertir.
– O começo foi estranho porque é difícil de manter-se em linha reta, mas depois de algumas voltas ganhei confiança e fui apto a acelerar mais e mais – conclui.

*Fonte: G1 – Motovelocidade

vintage_moto_727

vintage_moto_726

vintage_moto_725

vintage_moto_724

Valentino Rossi no Brasil

O excepcional piloto Valentino Rossi, heptacampeão da MotoGP esteve no Brasil em função de compromissos comerciais da Yamaha, marca pela qual conquistou 4 de seus títulos e pela qual voltará a competir agora em 2013.

“Estou muito ansioso para voltar aqui em breve, tomara que em uma prova da MotoGP. Os brasileiros merecem uma corrida aqui, porque sua paixão pela MotoGP é sem igual”, defendeu.

valentino_brasil

Valentino de volta

Outra notícia esportiva muita boa foi o segundo lugar de Valentino Rossi (46), hoje de manhã cedo na prova da França de Moto GP, a super categoria do mundial de motovelocidade. Fazia um bom tempo que Rossi estava devendo uma boa colocação numa prova da categoria, desde a sua mudança da Yamaha para a Ducati há 2 anos. Esse seu segundo lugar me soa como uma vitória, tamanha alegria, se é que você me entende. Rossi está de volta! O problema é que ratiei feio, acordei tarde e não consegui assistir a prova desde o começo, vi somente as voltas finais, o que prá mim já valeu, foi emocionante ver o Valentino Rossi mandando-bala a frente do australiano Casey Stoner da Honda Team (ótimo piloto e atual campeão da categoria). Não curto o piloto Jorge Lorenzo (99) da Yamaha, então que se dane, só vou mencionar que foi o vencedor dessa prova. Pronto, só isso sobre ele.
Dia feliz, agora fico ainda mais pilhado na torcida da Ducati 46 para a sua primeira vitória e melhores colocações neste campeonato, quero mesmo é ver o Valentino novamente no topo do pódium.