Google treinou seus veículos autônomos com algoritmos evolutivos

A Waymo anunciou uma parceria com a DeepMind na área de treinamento de algoritmos de redes neurais para veículos não tripulados. Agora, para parte dos algoritmos, o Waymo usa a técnica desenvolvida no DeepMind, na qual os parâmetros de aprendizagem são selecionados em paralelo em uma variedade de modelos que usam um método similar ao desenvolvimento evolucionário dos organismos vivos.

No coração do sistema de controle de um veículo não tripulado estão os algoritmos de rede neural, cuja eficácia depende da quantidade e da qualidade dos dados de treinamento. É por isso que os principais desenvolvedores, como o Waymo, estão testando-os, gerando milhões de quilômetros em estradas reais e bilhões de quilômetros em simulações.

No entanto, os dados em si são apenas parte das condições necessárias para criar um carro que seja mais seguro nas estradas do que as pessoas. Igualmente importante é o design de certos modelos de redes neurais, bem como a forma como são treinados.

Tipos de Parâmetros

Existem dois tipos de parâmetros em algoritmos de redes neurais. Um tipo são os parâmetros diretos da rede neural, que mudam durante o treinamento, por exemplo, o peso dos neurônios. Outro tipo é hyperparameters. Eles são responsáveis ​​em como a aprendizagem acontece. Por exemplo, um dos principais hiperparâmetros é a velocidade de aprendizado, ou seja, a rapidez com que a rede neural ajusta seus parâmetros durante o treinamento.

Ao mesmo tempo, a velocidade de aprendizado deve ser mantida em um nível equilibrado, uma vez que uma velocidade de aprendizado muito baixa demandará muito tempo e recursos de computação, e parâmetros muito altos podem mudar drasticamente e, eventualmente, não atingir um valor ideal.

Em geral, o processo de seleção de hiperparâmetros é semi-automático. Durante isso, muitos modelos de redes neurais são treinadas em paralelo e os hiperparâmetros para cada um deles são escolhidos aleatoriamente, após o qual os modelos mais bem treinados “ganham”.

Em 2017, os especialistas da DeepMind (que, como o Waymo fazem parte do Google), ofereceram um método de treinamento significativamente aprimorado, que agora é usado para treinar algoritmos de veículos autônomos.

Imitando a verdadeira evolução

O método pode ser representado como uma evolução. Inicialmente, os modelos iniciam o aprendizado paralelo com um conjunto aleatório de hiperparâmetros. Após um curto período de tempo, os piores modelos de “população” são substituídos por uma nova geração: cópias dos melhores modelos com hiperparâmetros de treinamento levemente modificados. Nesse caso, as cópias herdam completamente o status do modelo principal, portanto, não precisam reciclar “do zero” e gastar recursos nele.

Como alguns hiperparâmetros podem não fornecer um bom resultado final rapidamente, os pesquisadores implementaram uma partição de toda a “população” em “subpopulações” isoladas, competindo apenas umas com as outras, assim como a evolução real ocorre nas ilhas. Além disso, durante cada segmento de treinamento, os modelos não são treinados em completo isolamento, mas podem “observar” os hiper-parâmetros de modelos mais bem-sucedidos.

No início do ano, o Departamento de Veículos Motorizados do Estado da Califórnia publicou estatísticas anuais sobre a frequência de intervenções de engenheiros de teste em veículos não tripulados quando testados nas ruas. O líder neste indicador, como no ano passado, foi a Waymo. Seus carros passam em média quase 18 mil quilômetros sem intervenção.

*Por Ademilson Ramos
……………………………………………………………………………….
*Fonte: engenhariae

Bicicleta ganha espaço nas cidades após isolamento social

Muito se debate como será a vida quando a quarentena chegar ao fim, tanto a relação entre as pessoas, o dia a dia do trabalho e estudo, além da economia. Nas cidades em que já está havendo o diminuição do afastamento social, há diversas iniciativas sendo implementadas para evitar nova pandemia.

Muitas dessas ações incluem medidas relacionadas a mobilidade urbana. Projetos que estimulam o uso da bicicleta como principal meio de transporte, em muitas cidades, têm sido protagonistas nos planos públicos de combate a necessidade de uma nova quarentena.

A recomendação de estimular a bicicleta e caminhada para locomoção durante e pós-pandemia é da Organização Mundial da Saúde. Além da bicicleta ser um modal de transporte individual que permite o distanciamento social, também podem são utilizadas ao ar livre e são não-poluentes contribuindo para manter os índices mais baixos de poluição atingidos durante a quarentena.

Iniciativas internacionais

O governo britânico planeja investimento de 2 bilhões de libras dedicados ao estímulo do uso da bicicleta e da caminhada no retorno da rotina de deslocamento ao trabalho. Parte da verba será destinada à implantação de ciclovias temporárias em Londres e outra parte como um incentivo financeiro para pessoas que não pedalam há um tempo poderem reformar suas bicicletas.

A Itália oferecerá até 500 euros para ajudar os moradores de cidades com mais de 50 mil habitantes a comprarem uma bicicleta. Em Paris, foi liberado 22 milhões de euros para a criação de ciclovias temporárias. Cidades da Alemanha ganharam ciclovias extras para que mais pessoas possam se locomover de bicicleta e também para garantir a distância necessária entre os ciclistas. As lojas de consertos de bikes foram consideradas como serviço essencial no país.

Em Nova York, foi registrada uma queda de 50% nas emissões de monóxido de carbono de automóveis comparado ao ano passado, segundo informações da Universidade Columbia. De acordo com a Cetesb, o mesmo fenômeno aconteceu em São Paulo: a poluição atmosférica caiu pela metade após uma semana de quarentena na capital.

Brasileiros aprovam uso da bike

No Brasil, a Tembici, empresa de micromobilidade com atuação na América Latina, fez um levantamento para identificar o perfil dos ciclistas que usam as bikes durante a pandemia e constatou que 45% dos usuários optam por transporte individual e em ambiente aberto como prevenção a Covid-19.

Em todas as cidades de atuação da empresa, como São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Porto Alegre e Salvador foi constatado que 54% dos usuários utilizam a bike para ir e voltar do trabalho e, em média, 90% dos usuários pretendem continuar utilizando a bike ao término da quarentena.

“Cada vez mais, os brasileiros aderem às bicicletas como modal de transporte ideal. Com a pandemia, as bikes se provaram ainda mais funcionais, por ser um meio de transporte sustentável e com um custo acessível”, diz Tomás Martins, CEO da Tembici.

“Após a pandemia, esse comportamento de prevenção vai se acentuar e iniciativas do poder público que estimulem os deslocamentos com bicicletas serão fundamentais. Nossa operação está preparada para a retomada, já que reforçamos todos os procedimentos de higienização das bicicletas e estações.”, complementa o executivo.

*Por Natasha Olsen

………………………………………………………………………
*Fonte: ciclovivo

Nissan lança “casa” sobre rodas totalmente elétrica

Ver o pôr do sol entre montanhas ou dormir observando as estrelas. Ser um campista é um estilo de vida que tem atraído jovens de todo o mundo. Aproveitando a era dos “nômades millennials”, a Nissan lançou na Espanha duas versões com camping com base nos modelos NV200 e NV300, sendo uma delas totalmente elétrica.

O veículo de emissão zero é o e-NV200, furgão elétrico já lançado em outros países (mas antes não adaptado para camping). A fabricante japonesa incorporou uma série de modificações interiores e exteriores para suprir as necessidades dos campistas.

Conforto

O interior do veículo pode ser transformado em uma sala para quatro pessoas. Graças ao teto elevado, elas podem até ficar em pé. Há outro espaço transformado em uma autêntica cozinha com geladeira, pia e instalações de água e gás.

Ao anoitecer, o Nissan Camper pode ser convertido numa cama confortável com um colchão de espuma de alta densidade para duas pessoas. A iluminação pode ser controlada por persianas e o frio pelo equipamento de aquecimento embutido no veículo. Além disso, há uma segunda cama de casal no teto, ou seja, dá até para receber visitas.

“A nova gama Nissan Camper permite que os mais aventureiros tenham uma varanda com vista para os lugares mais incríveis do mundo e apreciem a essência de viajar com a família ou amigos”, afirma Francesc Corberó, diretor de comunicação da Nissan Iberia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

……………………………………………………..
*Fonte: ciclovivo