Quando estiver se sentindo infeliz, vai viajar sozinho! É um santo remédio!

Quando estiver se sentindo infeliz, vai viajar sozinho! É um santo remédio!

Às vezes, quando tudo parece estagnado e chato, você tem que saltar para o desconhecido para reacender seus sonhos e mantê-los flutuando com novas asas.

Você precisa experimentar viajar sozinho para desviar dos ciclones que te atingem.

Vai viajar sozinho porque você precisa de tempo para o seu coração — algo que você não tem honrado ultimamente, muitas vezes, fazendo horas extras por semanas.

Você precisa permitir que outras cidades preencham sua mente com sonhos mais uma vez. Você tem que continuar. Seu caminho é seu.

Outros viajantes tornam-se companheiros. Alguns são companheiros por algumas horas fugazes no avião, como um casal indiano visitando sua filha que trabalha para o Google, como a mulher que volta para a Espanha da França que recomenda que você visite El Nationale para jantar, como o homem a quem você empresta uma caneta que compartilha que está voltando para casa de uma viagem de trabalho, como uma jovem explicando como é o aeroporto Charles DeGaulle.

Ou você pode viajar pelo Brasil e se aventurar em lugares nunca antes pensados por você.

Alguns estranhos se tornam companheiros nos segundos entre o momento em que você pede para eles tirarem sua foto e o momento em que eles se afastam.

Alguns estranhos tornam-se companheiros nas histórias que compartilham com você, alguns despudorados e desequilibrados, outros centrados e sábios.

Em uma viagem de ônibus, você ouve a história de uma mulher que deixou o país com apenas 16 anos e se mudou para Nova York. Outra, conta sua dor e determinação para mudar de vida, e elas se tornam suas, nos segundos em que ela conta sobre como foi viver com um alcoólatra por décadas, sobre sua morte, sobre os dias brutalmente difíceis que ela suportou para conseguir recuperar a alegria de viver.

E um dia, enquanto você está sentado em um café gostoso, você percebe que a semente da sua tristeza, que por muitos anos cresceu na boca do estômago, não parece mais tão pesada. Não porque se dissipou, mas porque uma infinidade de outras sementes cresceram ao lado dela – sementes de felicidade, gratidão, surpresa, beleza e amor.

Essas sementes não floresceram porque você escolheu ficar sentado no sofá vendo o Tiktok ou no Instagram esperando validação externa, mas porque você escolheu estar presente e buscar viver novas aventuras, e se permitiu desfrutar de momentos simples, mas que renovaram completamente a sua energia. Esses são os momentos mais importantes.

Não, eles não estão livres de angustiante solidão ou tristeza, mas são eles que o mantêm em movimento.

São esses momentos de liberdade que mostram que você quer esta viva em meio à sua incerteza, e eles te fazem perceber que não há nenhum problema em se sentir como você se sente, mas que é preciso fazer mais por você doq ue você vem fazendo.

Continue lançando sonhos em poços dos desejos. Alguns se tornarão realidade e outros irão surpreendê-lo de uma maneira mais saudável. Eu afirmo a você que vale a pena viajar sozinho diante do cansaço, você vai se sentir livre e vai conhecer não só lugares, mas pessoas, muito interessantes.

VOCÊ MERECE!

………………………………………………………………
*Fonte: seuamigoguru

Companhia aérea oferece voos para destino surpresa

A Qantas Airways está oferecendo voos regionais partindo das cidades australianas de Sydney, Brisbane e Melbourne para destinos surpresa. Do “mistério” o passageiro sabe apenas que os voos podem durar aproximadamente duas horas e que da viagem farão parte visita a uma região vinícola ou um almoço com música nas margens de uma ilha tropical. As informações são do portal australiano Traveller.com.au.
Segundo o portal, os voos incluirão sobrevoos panorâmicos de pontos turísticos importantes durante a rota e os clientes vão receber dicas para colocar um tênis ou snorkel na bagagem de mão, para usufruírem melhor do destino surpresa.

À reportagem a diretora de clientes do grupo Qantas, Stephanie Tully, disse que os voos oferecem aos australianos experiências memoráveis e promovem o turismo doméstico. “O lançamento da vacina está trazendo muito mais certeza e as restrições nas fronteiras domésticas em breve devem ser uma coisa do passado. Enquanto isso, esses voos transformam esse mistério em algo positivo, criando uma experiência única para muitas pessoas que desejam começar a viajar novamente”, disse acrescentando que a ação ajuda a trazer mais pessoas de volta ao trabalho, apoiando operadoras de turismo regionais que foram duramente atingidas pelas restrições de viagem.

O texto cita que o governo australiano proibiu as viagens internacionais até junho de 2021.

………………………………………………………………………..
*Fonte: mochileiros

Quem nunca pensou em arrumar as malas e sair pelo mundo?

Existem algumas fantasias que são comuns a grande parte das pessoas. É claro que essas fantasias variam de acordo com a época, cultura e localização em que a pessoa vive. Entretanto, pelo menos para a população ocidental com a qual eu me identifico, penso que será rara a pessoa que, pelo menos em sonho, nunca pensou em arrumar as malas e sair pelo mundo. Esse desejo de conhecer novos ares e lugares é algo comum na juventude, quando as descobertas e a possibilidade de sair do núcleo familiar torna-se mais palpável.

Quantos jovens buscam isso quando, literalmente, realizam viagens como mochileiros em rotas que contemplam descobertas que vão muito além da geografia, pois também possibilitam a resiliência física, financeira e emocional. Caminhando pelo mundo eles aprendem outros idiomas, percebem modos de vida diversos. Em um dia eles podem acordar com o nascer do sol mais lindo que já verão em suas vidas, em outro, perderão um ônibus e andarão durante hora a fio. Alguns terão dinheiro para dormir em um albergue de Londres ou mesmo experimentarão a sensação de jogar em um casino em plena Monte Carlo. Por que não?

O desejo e a curiosidade, entretanto, não terminam com a juventude. Há algo dentro do homem, em sua natureza, que clama por descobertas e aventuras e, talvez por causa disso, um dos autores mais traduzidos da história seja Júlio Verne, com obras publicadas em cerca de 148 idiomas. O autor, que viveu de 1828 a 1905, escreveu livros incríveis como “Cinco Semanas em Um Balão”, “Vinte Mil léguas Submarinas” e “A Volta ao Mundo em Oitenta Dias”.

Assim, na mensagem escrita há um século e meio, ainda existe algo que ressoa em nós e alimenta nossos sonhos e paixões. É isso que o torna um clássico.

Pensando nisso, o site de online casino Betway disponibilizou um infográfico (adoro infográficos) chamado “A volta ao Mundo em 80 horas) em que apresenta cálculos atuais sobre quanto tempo levaríamos nos para dar uma volta ao mundo utilizando meios de transporte como trens, carro, barco e avião.

Sabemos que os tempos mudaram e hoje, 150 anos depois, viajar se tornou algo mais fácil, acessível e rápido. Assim, as informações apresentadas no infográfico de forma breve, didática e colorida podem ser relevantes para instigar pessoas a saciar suas curiosidades temporais e quilométricas.

Em momentos de crise como os que vivemos atualmente devido a pandemia, uma das coisas que nos motiva a continuar é a possibilidade de um amanhã mais positivo, quando voltaremos a nos sentirmos seguros para ir e vir. Quando esse dia chegar e sair de casa para romper fronteiras voltar a ser uma opção, talvez seja a hora de realizar a tão sonhada “viagem dos sonhos”.

*Por Josie Conti

………………………………………………………………….
*Fonte: contioutra

Fone permite conversar em 40 idiomas em tempo real

O fone de ouvido Bluetooth ‘Timekettle WT2 Edge’ já está à venda depois de bater a meta do financiamento coletivo anunciado no site Indiegogo. De acordo com o site, os primeiros fones comprados via plataforma (e com valor promocional) começarão a ser entregues em abril de 2021.

A promessa é que o fone sem fio traduza até 40 idiomas com o mínimo de atraso nas conversas. Segundo o fabricante a precisão é de 95%. O fone que lembra os AirPods da Apple, custa a partir de US$ 109.

Como funciona

Segundo o fabricante, os microfones têm mecanismo para reconhecer sua voz, diferenciando-a de outras vozes próximas, além de filtros redutores de ruídos. Ele utiliza os principais mecanismos de tradução do mundo (Google, Microsoft, iFlytek, AmiVoice, Hoya, DeepL e o do próprio fabricante, Timekettle).
O usuário deve baixar um aplicativo (disponível para Android e iOS) e determinar os idiomas de entrada e saída e passar um dos fones para o seu interlocutor (algo que muita gente pode estranhar, pelo quesito higiene, sobretudo em tempos de Covid-19), como mostra o vídeo abaixo:

Ainda de acordo com o fabricante, a bateria do fone pode durar até 12 horas; 3 horas se em uso de tradução contínua e pode ser carregada completamente em 90 minutos.

Mais detalhes sobre o fone podem ser conferidos no https://www.indiegogo.com/projects/timekettle-wt2-edge-1st-2-way-translation-earbuds#/

……………………………………………………………………….
*Fonte: mochileiros

Rolezeira macanuda hoje

Enfim chegou o dia de tirar a moto da garagem, se reunir com alguns amigos e pegar a estrada. Depois de vários dias seguidos de uma semana num clima de chove-não-molha de verão por aqui, finalmente o sol deu pinta de que iria se firmar de vez. Saímos depois do meio dia, meio que sem rumo, para falar bem a verdade, já que a intenção era mesmo bem simples – pegar a estrada e curtir o momento, não importando muito para onde iríamos. Só tinha uma condição, tinha de ter trajeto asfaltado. Sei, estamos em plena pandemia (apesar de algumas pessoas não acreditarem), mas cada um aqui na sua moto, não esqueça de que estamos o tempo todo ao ar livre e nas eventuais paradas, mantemos um distanciamento correto.

Tomamos a direção no sentido de Santa Cruz do Sul, depois Vera Cruz, onde costumamos fazer uma volta maior, passando no sentido do autódromo (entrada dos fundos), para irmos até Rio Pardo. A ideia era irmos até Pantano Grande, para depois  então resolvermos por onde voltaríamos. Mas acontece que fizemos algumas paradas para pegar uma sombra, outra para abastecer e comprar uma água (sim, muito calor) e já que a conversa estava boa, o tempo acabou passou depressa demais. Lá peças tantas, já na beira do rio Jacuí, em Rio Pardo, tivemos de mudar de rumo e já começar a pensarmos em voltar. Sinônimo de que foi uma bela tarde de moto com os amigos!

Só para não perder o costume, algumas coisa engraçadas aconteceram hoje, tipo:

– Quando ultrapassamos um tio numa moto Honda CG, carregando um cachorro dentro de uma sacola (o cãozinho estava com a cabeça para fora – curtindo o a paisagem..rsrssr).


– Também teve o momento “king of the road”. Que é quando você vem viajando e chega perto (atrás) de um carro, geralmente um SUV ou caminhonete, que está de boas andando numa constante, tipo a uns 80km/h, e instantaneamente, assim que a gente o ultrapassa o motorista fica compelido numa espécia de missão divina a não deixar isso acontecer. Ele “TEM” de nos ultrapassar novamente para então seguir em frente, numa velocidade muito maior e sumir na estrada. É muito engraçado isso, acontece toda vez, sempre tem esse personagem. Acredito que a psicologia deve conseguir explicar isso. O “songamonga” estava tranquilo na media dos 80km, mas não pode ser ultrapassado de modo algum, senão sua virilidade fica avariada…kkkkkk. E quase sempre isso tende a dar merda, por que em seguida ele vem na correria e tenta ultrapassar a gente de volta de qualquer maneira, quase passando por cima, seja em faixa dupla, curva acentuada, não interessa, ele tem de recuperar o seu “cabaço-asfáltico-de-dianteira”. É engraçado mas também muito perigoso. Com o tempo a gente já aprendeu a lidar com esse tipo de motorista. Tem também, na mesma vibe ainda o CGzeiro invocado, que também é bem parecido, vai fazer de tudo para te ultrapassar nem que tenha de se deitar bem esticado, como o super-homem, na sua moto, dando todo motor possível, quase explodindo a sua moto, mas vai tentar e querer provar de que ambos – sua CG e ele, são os melhores piloto & moto do mundo! Vai por mim, isso tem toda vez. *Tá, o da CG não teve hoje, mas tem toda hora…

*Abaixo alguns retratos da empreitada de hoje.