Cadeiras que estacionam automaticamente

Essas são as cadeiras que estacionam quando não estão sendo usadas, automaticamente, uma tecnologia desenvolvida pela Nissan.

A empresa usa a mesma técnica empregada na baliza automática de seus carros para criar estes modelos de cadeiras, que “se guardam” automaticamente depois que são utilizadas.

Ao que podemos ver, elas fazem isso quando alguém bate palmas.

Só não sabemos o que acontece quando o som de palmas aparece em algum vídeo, ou de alguém, enquanto as pessoas estão de fato sentados e usando essas cadeiras.

Abaixo você confere um vídeo que mostra como elas funcionam.

*Por:Flávio Croffi

…………………………………………………………………..
*Fonte: geekness

A fórmula de Quentin Tarantino para o cinema

Quentin Tarantino é certamente um dos diretores mais queridos da atualidade. Cada um de seus oito filmes tiveram um impacto profundo na história do cinema.

Diálogos afiados, humor ácido, narrativa não linear, violência deliberada e fotografia emblemática. Tudo isso vêm à cabeça quando pensamos no diretor, que construiu um estilo de fazer cinema tão singular.

Mas a mágica de Tarantino não acontece sozinha. Existe uma fórmula com uma história autodidata, sagacidade e inspiração.

Isso porque o diretor se utiliza de muitas referências de outros filmes e gêneros clássicos ao longo da história da sétima arte.

Em 1997, com seu filme de estreia “Reservoir Dogs”, um crítico acusou o diretor de plagiar o longa de ação chinês “City of Fire”, de 1987. Porque os 20 minutos finais do filme são praticamente idênticos ao de Tarantino.

E não para por aí. A lista de referências é longa. “Jackie Brown” é claramente inspirado em “Foxy Brown”, de 1974. Enquanto “Bastardos Inglórios”, um dos filmes mais aclamados do diretor, é, de muitas maneiras, semelhante ao filme de guerra de 1967 “The Dirty Dozen”.

Cada obra prima de Tarantino também se constrói de referências visuais de pelo menos uma dúzia de filmes. Muitos defendem ser uma maneira de homenagear os filmes que ama. Mas o diretor nega.

Em uma entrevista para a revista Empire, em 1994, ele disse: “Eu roubo de todos os filmes que já foram feitos. Adoro fazer isso. Se existe algo na minha obra, é porque eu roubei isto deste filme ou aquilo daquele outro e misturei tudo junto. Se as pessoas não gostam, azar o delas, não assistam, certo? Eu roubo de todo o mundo. Grandes artistas roubam, não fazem homenagens.”

A última frase inclusive lembra a máxima do pintor Pablo Picasso: “Bons artistas copiam. Grandes artistas roubam”.

No entanto, antes de desconsiderar a capacidade de Tarantino de fazer filmes, é preciso entender um pouco de sua história.

A carreira de Tarantino não começou em uma escola de cinema. Mas sim em uma locadora de vídeo, onde ele trabalhava como balconista e adquiriu um conhecimento enciclopédico do cinema. Ou seja, ele aprendeu a fazer filmes assistindo filmes.

O orgulho declarado em dizer que está “roubando” pode ser justamente porque ele é capaz de fazer algo que nenhum outro cineasta consegue: criar algo completamente novo, a partir de suas inspirações.

Isso também justifica porque o diretor é saudado como um dos cineastas mais notáveis do pós-modernismo do cinema, cujo princípio central é justamente isso: nada é novo na arte, tudo é reciclado e reutilizado repetidamente.

Tarantino se utiliza de uma técnica pós-moderna conhecida como pastiche, que consiste em se apropriar de várias fontes para criar algo novo. Algo que a gente está acostumado a ver na música, como no Hip Hop, por exemplo.

E o porquê de o pastiche de Tarantino funcionar tão bem é graças à sua sagacidade em compreender o assunto que está se inspirando e conseguir construir algo que não cai em uma homenagem superficial de simplesmente imitar algo icônico.

Mesmo que a gente perceba alguma semelhança com outros filmes, as referências que Tarantino usa passam quase imperceptíveis, porque se mesclam de uma maneira harmoniosa com o gênero que ele cria.

“Reservoir Dogs” é um pastiche dos filmes de crime de Hong Kong, e “Pulp Fiction” é baseado no movimento francês New Wave.

“Jackie Brown” se baseia em filmes do movimento norte-americano blaxpoitation dos anos 70, enquanto “Kill Bill” ressurge o clássico samurai japonês e filmes chineses de kung fu.

“Death Proof” explora com louvor os filmes de baixo orçamento, enquanto “Bastardos Inglórios” homenageia o cinema da Segunda Guerra Mundial como nunca se viu antes.

Sem contar como seus filmes mais recentes “Django Livre” e “Os Oito Odiados” são versões modernas e geniais do gênero Spaghetti western, ou Bang-bang à italiana.
A fórmula de Quentin Tarantino para o cinemaVídeo do INSIDER mostra referências de clássicos nos filme de Quentin Tarantino

E se você quiser dissecar um pouco mais o queridinho “Pulp Fiction”, vai reparar como ele é repleto de referências de clássicos.

A dança icônica do filme foi inspirada em uma cena semelhante do longa “Band of Outsiders”, de 1964. Já a coreografia é parecida com a do filme “8 1/2″, de 1963.

Os passos de John Travolta foram inspirados em uma adaptação de “Batman”, de 1966. Enquanto os de Uma Thurman lembram a dança de um dos gatos da animação “Aristogatas”, de 1970.

A mala misteriosa que carrega o enredo de “Pulp Fiction” é uma réplica do filme americano “Kiss Me Deadly”, de 1955. E, claro, também inspirada na do filme “Psicose”, de Alfred Hitchcock.

Não é nenhum exagero como os filmes de Tarantino são exaltados e conquistam um espaço importante da história do cinema.

São todos essencialmente inspirados em clássicos que surgiram ao longo da história. Mas todos se passam em um mundo de Tarantino tão original, que é praticamente impossível fazer igual.

Aprenda mais sobre o cinema de Tarantino com o vídeo do INSIDER.

*Por Raquel Rapini

…………………………………………………………………
*Fonte: geekness

 

Um incrível timelapse de tempestades por Mike Olbinski

Timelapse de tempestades é com o artista e cineasta Mike Olbinski – que persegue esses fenômenos naturais e lançou seu novo filme inspirado neles, chamado de Vorticity 2.

O filme consiste em aproximadamente 122.000 quadros de lapso de tempo capturados em 54 dias e quase 64.000 Km percorridos durante os meses de primavera de 2018 e 2019.

Este artista tem diversos outros trabalhos publicados. Você pode ver mais sobre no site dele, assim como em sua página do Vimeo, ou nas redes sociais (Facebook, Instagram, Twitter).

*Por Flávio Croffi

………………………………………………………………………
*Fonte: geekness

Sony busca fundos para um ar condicionado de camiseta

A Sony do Japão está fazendo um financiamento coletivo para um ar condicionado de camiseta chamado Reon Pocket, o que seria uma excelente alternativa para os dias de calor escaldante.

Criado pelo Sony Startup Acceleration Program (SSAP), este dispositivo consiste em uma pequena máquina que é acoplada na parte de trás superior da camiseta.

O hardware, que é menor e mais leve que um smartphone típico, bombeia ar frio através de uma série de furos.

A temperatura pode ser ajustada com base na sua preferência usando um aplicativo para dispositivos móveis, ou você pode optar por permitir que o dispositivo decida a temperatura ideal para você.

Para ligar e desligar você acessa o aplicativo.

Vale ressaltar que este dispositivo não só diminui a temperatura em dias de calor, mas serve também como aquecedor portátil para quando estiver frio. Genial!

Funciona mais ou menos como o ar condicionado de um carro ou refrigeradores de vinho.

Ele vem com uma bateria recarregável que pode ser carregada em duas horas, e tem autonomia de 90 minutos em uso.

Por enquanto o dispositivo angaria fundos, e tem a missão de acumular US$ 610 mil para ser de fato produzido. Em três dias, no entanto, já conseguiram US$ 241 mil para produzir o dispositivo.

Ele não é barato também. Custa mais ou menos US$ 130 cada unidade. E, por enquanto, é exclusivo para os japoneses.

*Por:Flávio Croffi

………………………………………………………………..
*Fonte: geekness

Japoneses fazem primeiro teste com carro voador

Ele parece mais um drone gigante e fez o primeiro voo em teste nesta segunda-feira, 5. É o carro voador japonês.

O modelo da Nec Corp tem 4 hélices para sair do chão. Ele ficou voando por cerca de um minuto e levantou a 3 metros de altura.
De acordo com a Associated Press, o governo japonês está incentivando o desenvolvimento de carros voadores para que virem realidade até 2030.
Por enquanto, a intenção é que o veículo seja utilizado em entregas no futuro e sem a necessidade de um piloto.

Testes

Entre as bases que o governo japonês está criando para incentivar os carros voadores está uma área de testes em Fukushima.
A ideia é utilizar a região devastada por desastre nuclear como local de voo para estes veículos.

Outras empresas

Além da Nec, empresas como Boeing, Pal-V e Uber estão trabalhando em seus conceitos voadores.
Em outra frente, companhias também desenvolvem motos voadoras, inclusive, até a polícia de Dubai está utilizando um protótipo do tipo.

……………………………………………………….
*Fonte: sonoticiaboa