Não esqueça

Anúncios

As 10 histórias mais polêmicas da Bíblia

10. TROCA DE ESPOSAS

LIVRO – Gênesis, capítulo 21, versículos 1-14
QUESTÃO – Ciúme e vingança

O patriarca Abraão, sua mulher, Sara, e a escrava Agar viveram um triângulo amoroso complicado. Sara era estéril e, ao passar dos 70 anos, sugeriu ao marido que tomasse uma nova esposa. Agar foi a escolhida e deu à luz Ismael, mas Sara se arrependeu. Engravidou 14 anos depois, teve Isaac e, enciumada, exigiu a expulsão da rival e do filho dela. Supostamente, a briga rende até hoje: Ismael teria dado origem ao povo árabe, e Isaac, ao povo judeu.

9. PERDEU A CABEÇA

LIVRO – Mateus, capítulo 14, versículos 1-11
QUESTÃO – Adultério, vingança e assassinato

A história de João Batista, primo de Jesus, vale como alerta: cuidado onde você mete seu bedelho. João reprovava o caso entre Herodes Antipas, rei da Galileia, e a cunhada dele, Herodias. No aniversário do monarca, sua enteada Salomé o presenteou com uma dança sensual. Em troca, Herodes prometeu a ela o que quisesse. Ela não hesitou: exigiu a cabeça de João numa bandeja.

8. FAÇAM SUAS APOSTAS

LIVRO – Jó, capítulo 1, 2 e 42
QUESTÃO – Sofrimento desnecessário

Às vezes, para ensinar uma lição, Deus pode propor testes de fé bem árduos. Foi o que rolou com Jó, um homem justo e íntegro. Satanás apostou com Deus que, se Jó perdesse suas riquezas, voltaria-se contra o Criador. Deus topou. Autorizou que seu adversário lançasse várias pragas contra Jó: ele perdeu os filhos, teve os bens roubados e ficou coberto de úlceras. Mas nunca blasfemou contra os céus. Sensibilizado, Deus restituiu, em dobro, tudo o que possuía.

7. GUERRA SANTA

LIVRO – Segundo Livro das Crônicas, capítulo 14, versículos 8-14
QUESTÃO – Genocídio

Guerras com motivações religiosas sempre causaram polêmica. Mas não na Bíblia. A mais sangrenta, do bisneto do rei Salomão, Asa, contra o monarca etíope Zara, matou mais de 1 milhão de pessoas! E com a bênção divina: “É em teu nome que marchamos contra essa multidão!”, clamou Asa antes de atacar com apenas metade de seu exército.

6. BANCO DE RESERVAS

LIVRO – Gênesis, capítulo 38, versículos 8-10
QUESTÃO – Sexo e assassinato

Nos tempos bíblicos, era comum a prática do levirato: quando um homem morria sem herdeiros, seu irmão casava-se com a viúva e seus filhos eram considerados descendentes do morto. Mas nem todos aprovavam a ideia. Onã se rebelou e, em vez de engravidar a cunhada Tamar, praticava o coito interrompido, ou seja, “derramava seu sêmen por terra”. Deus não gostou e tirou sua vida. Foi daí que surgiu o termo “onanismo”, sinônimo de masturbação.

5. OLHA ESSA MÃO BOBA!

LIVRO – Gênesis, capítulo 24, versículos 1-9
QUESTÃO – Sexo

Abraão pediu a um servo para achar uma mulher para seu filho Isaac, como era costume. O curioso é que o acordo foi selado conforme a tradição: o servo colocou “a mão sob a coxa” de Abraão – ou, dizem os estudiosos, segurou seus testículos. Isso porque a circuncisão (remoção da pele sobre o pênis) era sinal da aliança divina (“testículo” vem do latim testis, que também originou “testemunha”).

4. HAJA FÔLEGO

LIVRO – Primeiro Livro dos Reis, capítulo 11, versículos 1-3
QUESTÃO – Poligamia

Salomão entrou para a história como um homem inteligente e justo. Mas ele tinha outros atributos. Segundo a Bíblia, o filho de Davi teria tido 700 esposas. E, por fora, ainda pegava mais 300 concubinas. Segundo historiadores, o harém devia-se, em parte, aos casamentos com estrangeiras por motivos diplomáticos. Entre as esposas, havia gente de todos os lugares: hititas, moabitas, edomitas…

3. IRMÃO METRALHA

LIVRO – Juízes, capítulo 9, versículo 1-6
QUESTÃO – Fratricídio

Irmãos nunca se deram muito bem na Bíblia – vide casos como Caim e Abel, Isaac e Ismael e Esaú e Jacó. Mas o maior fratricida das escrituras é Abimelec. Para assumir o trono, o filho de Gedeão matou ou mandou matar 69 de seus 70 irmãos. Só o caçula, Joatão, escapou – e isso porque fugiu. Mas o reinado de Abimelec não durou. Três anos depois, morreu ao levar uma pedrada na cabeça.

2. PELO BEM DA HUMANIDADE

LIVRO – Gênesis, capítulo 19, versículos 30-38
QUESTÃO – Incesto

Revoltado com as bizarrices sexuais que rolavam em Sodoma e Gomorra, Deus destruiu ambas as cidades. Ló, sobrinho de Abraão que morava em Sodoma, conseguiu escapar com suas duas filhas e se escondeu em uma caverna. Certas de que eram as últimas mulheres da Terra, as jovens tomaram uma atitude chocante: encheram a cara do pai de vinho e mantiveram relações sexuais com ele por duas noites seguidas. Do incesto, nasceram Moab e Ben-Ami.

1. TAÍ, SOGRÃO!

LIVRO – Primeiro Livro de Samuel, capítulo 18, versículos 17-27
QUESTÃO – Crueldade

Você acha que seu sogro é barra pesada? É porque não conheceu o patriarca Saul. Sua filha caçula, Mical, estava apaixonada por Davi. Só que Saul considerava o futuro genro um rival na luta pelo poder central entre Judá e as tribos do norte. Para impedir o matrimônio, o velho teve uma ideia: pedir um dote de casamento que Davi não conseguiria pagar. Exigiu então 100 prepúcios (aquela pele que cobre a extremidade do pênis) de soldados filisteus. O rapaz deve ter estranhado, mas, em vez de 100, trouxe logo 200. Sem alternativa, Saul teve de entregar a mão da filha.

FONTES Livros The Illustrated Encyclopedia of the Bible, de John Drane, The Complete Who’s Who in the Bible, de Marshall Pickering, The Illustrated Guide to the Bible, de J.R. Porter, e A Bíblia Sagrada – Edição Pastoral

…………………………………………………………
*Fonte: mundoestranho

A humanidade atingiu o seu pico, e é tudo ladeira abaixo a partir de agora

Se a nova pesquisa da Universidade Paris Descartes (França) estiver correta, a humanidade já atingiu seu pico em termos de aptidão física, e não haverá mais melhorias para a espécie.

Isso é parcialmente nossa culpa. O nosso efeito sobre o meio ambiente, incluindo a poluição e as alterações climáticas, parece ter um impacto negativo nos nossos limites biológicos.

A barreira

Uma equipe multidisciplinar liderada pelo médico Jean-François Toussaint realizou uma revisão de mais de 160 estudos feitos nos últimos 120 anos.

Os pesquisadores analisaram longevidade, desempenho atlético, tendências de altura ao longo do tempo e o meio ambiente.

O que a avaliação concluiu é que a expectativa de vida, o desempenho físico e a altura – fatores que cresceram constantemente ao longo do século 20 – se estabilizaram nas últimas três décadas, desde 1980.

“Esses traços já não aumentam, apesar do contínuo progresso nutricional, médico e científico”, afirmou Toussaint. “Isso sugere que as sociedades modernas permitiram que nossa espécie alcançasse seus limites”.

Tendência

Registros médicos e esportivos confiáveis e a capacidade de medir com precisão coisas como o desempenho físico tornaram-se mais disponíveis durante o último século.

Agora, com mais de cem anos desses registros, podemos analisá-los em conjunto para observar tendências – e elas se mostram decrescentes. Ou seja, menos pessoas estão excedendo as maiores expectativas de vida, menos pessoas estão quebrando recordes esportivos etc.

Por exemplo, até agora, ninguém viveu mais do que Jeanne Calment, que morreu em 1997 com 122 anos e 164 dias. E ninguém bateu os recordes de velocidade nos 100 metros e 200 metros de atletismo estabelecidos por Usain Bolt em 2008.

As estatísticas médias de saúde e altura continuam aumentando, mas em alguns lugares da África, em contraste, as alturas médias já começaram a diminuir, indicando nutrição insuficiente.

Fator: mudança climática

Os cientistas acreditam que fatores ambientais podem contribuir para evitar que os humanos atinjam limites superiores de aptidão física e vida útil.

A poluição ambiental tem sido associada ao baixo peso ao nascer, a baixa saúde e a menor expectativa de vida. As mudanças climáticas também já foram associadas a menor expectativa de vida e a propagação de doenças como a malária.

“Observar tendências decrescentes pode fornecer um sinal precoce de que algo mudou, mas não para melhor”, disse Toussaint. “O atual declínio nas capacidades humanas que podemos ver hoje é um sinal de que as mudanças ambientais, incluindo o clima, já estão contribuindo para restrições crescentes que agora temos que considerar”.

O lado bom é que ter alguma ideia sobre nossos limites pode ajudar os governos de todo o mundo a trabalhar para atingir os valores mais altos possíveis para suas populações, apesar das restrições ambientais. E, assim, devemos observar um aumento incremental nos valores médios de altura, vida útil e biomarcadores humanos.

…………………………………………………………
*Fonte: hypescience

Grêmio passa para a final do Mundial de Clubes

Em jogo que disputava uma vaga para a final do Mundial de Clubes 2017 nos Emirados Árabes Unidos, o Grêmio venceu ao Patchuca (México) por 1×0 na prorrogação.

Agora o Grêmio precisa aguardar o jogo desta quarta-feira entre Real Madrid x Al-
Jazira, que definirá o seu adversário do jogo da decisão, que acontecerá neste sábado às 15h.

Vamu-vamu-Grêmio!

 

 

 

 

 

 

 

……………………………………

 

Segundo pesquisa, paramos de conhecer novas músicas pop aos 33 anos

Se você já tem mais de 33 anos é provável que tenha desistido de ouvir o que a “garotada” tem escutado ultimamente, certo? Ou pelo menos essa foi a conclusão de uma pesquisa feita por um ex-consultor de gestão que trabalha para o Spotify.

O autor do estudo utilizou dados da plataforma de streaming de música e de um site chamado The Echo Nest, que cataloga rankings de popularidade de artistas, para determinar qual a idade média em que “paramos no tempo” e deixamos de conhecer o que para muitos é destaque, mas que para nós parece mais um monte de barulho.

Quando somos mais jovens, estamos ainda formando nossas identidades, o que faz com que escutemos um pouco de tudo. Conforme crescemos, nossos gostos vão se tornando mais refinados, e estilos muito populares passam a não nos interessar tanto. Então quando entramos na casa dos trinta e poucos, voltamos a ouvir nossa boa e velha “bagagem musical”, ou buscamos artistas e músicas que realmente pareçam originais.

“Abaixa esse som, criatura!”

Obviamente, o autor da tal pesquisa não é nenhuma sumidade no assunto, afinal os dados utilizados foram coletados de um serviço que existe há poucos anos, e ficou restrito à audiência de somente um país. No entanto, caso você esteja perto da casa dos 30 anos, faça um pequeno exercício e tente enumerar mentalmente quantas novas bandas, artistas ou músicas diferentes você conheceu nos últimos dois anos, em comparação com a sua adolescência.

Definitivamente haverá quem não se encaixe no resultado do estudo. Esse número é apenas uma média, ou seja, há quem fique muito além ou muito aquém dessa idade. Ainda assim, parando para pensar sobre o assunto, parece ser uma aproximação bastante razoável. Quantas vezes você não ouviu seus pais reclamarem que o que estava ouvindo quando novo era apenas barulho, mas hoje não suporta as coisas que são “modinha”?

Outro fato interessante apontado pela pesquisa diz respeito justamente às pessoas que possuem filhos. Essas costumam parar de ouvir músicas novas um pouco mais cedo do que quem não tem descendentes. O motivo seria a quantidade de atenção que as crianças demandam, o que reduz o tempo disponível dos pais para irem atrás de novidades musicais.

Fora que os pais geralmente precisam decorar letras de diversas canções infantis educativas, para estimular o desenvolvimento mental e físico de seus rebentos. Ou talvez sejam apenas pessoas que realmente adoram escutar músicas grudentas que repetem a mesma coisa uma infinidade de vezes.

………………………………………………………….
*Fonte: megacurioso

5 sinais de que você é mais bem-sucedido do que imagina

Um dito popular aqui no Brasil diz que sempre acreditamos “que a grama do vizinho está mais verde que a nossa”. Que, apesar de as pessoas terem conquistas na vida, elas sempre se frustrarão por não terem ido tão longe quanto outras em alguns aspectos.

Dar valor demais ao êxito alheio pode até incentivar a busca por mais conquistas. Mas, pelo menos no curto prazo, tal hábito leva à infelicidade.

Vale lembrar que, neste exato momento, pode haver alguém que esteja “olhando para a sua grama”. Sim. Há pessoas que estão em uma situação pior que a sua e te consideram alguém bem-sucedido por alguma razão.

Uma reportagem originalmente publicada na “Inc.” elenca alguns dos fatores associados a pessoas bem-sucedidas. É bem possível se identificar com alguns deles. Conheça-os e valorize o que você tem:

1. Você não passou por nenhuma tragédia
Quem perdeu algum familiar ou amigo querido, sofreu algum acidente ou teve alguma doença complicada, seja ela física ou mental, tem motivos suficientes para se sentir frustrado. Todas elas são experiências traumáticas. Se você não enfrentou nenhuma delas nos próximos anos, considere-se um vencedor.

2. Sua situação financeira não é tão apertada assim
Poucos têm independência financeira. Isto é fato. No entanto, pode ser que o lucro de sua empresa, ou seu salário, não seja tão ruim assim. Deve haver um número razoável de pessoas com a sua formação acadêmica e classe social em uma situação muito mais crítica. Pense nisso.

3. Há um plano
Ser bem-sucedido é realizar sonhos. E é preciso ter metas para que eles se transformem em realidade mais facilmente. É claro que é impossível conquistar os objetivos sem uma boa execução. Mas quem planeja o que fazer para atingir a meta tem uma vantagem.

4. Você é ambicioso
Outro ingrediente importante na busca pelo sucesso é a ambição, uma grande vontade de conquistar seus objetivos. Quem deseja muito algo tende a se esforçar mais. E está um passo à frente no longo caminho que leva à realização de um sonho.

5. As pessoas te respeitam
Ter respeito, seja dos amigos, família ou colegas de trabalho, interfere positivamente na autoconfiança de alguém. Ao ter relações harmoniosas das pessoas que te cercam, você está melhor que muitas pessoas que não se dão bem em casa e no trabalho e, de quebra, não têm muitas amizades.

 

…………………………………………………………………………….
*Fonte: pequenasempresasgrandesnegocios

Novo álbum de Jimi Hendrix com 10 gravações não lançadas anteriormente – “Both Sides of the Sky”

Dez gravações inéditas de Jimi Hendrix destacam “Both Sides of the Sky”, um próximo LP póstumo do lendário guitarrista. O álbum estará disponível no dia 9 de março de 2018 via Sony Legacy Recordings em vários formatos, incluindo CD, digital e um numerado de 180 gramas de vinil duplo audiófilo.

O álbum com 13 músicas compila material gravado entre janeiro de 1968 e fevereiro de 1970. É a terceira e última entrega de uma trilogia de gravações de arquivos não enviadas, seguindo os “Valleys of Neptune” de 2010 e “Peoples, Hell and Angels” de 2013. O engenheiro Eddie Kramer – que trabalhou em todos os projetos de Hendrix antes da morte da legenda da guitarra – co-produziu o álbum com John McDermott e a irmã de Hendrix, Janie Hendrix.

Muitas das 13 faixas – incluindo uma cover de “Mannish Boy” de Muddy Waters – mostram a linha de trio que se tornou conhecida como Band of Gypsys: Hendrix na guitarra e vocais, Billy Cox no baixo e Buddy Miles na bateria. “Hear My Train A Comin” apresenta a formação original da Jimi Hendrix Experience: Hendrix, o baixista Noel Redding e o baterista Mitch Mitchell.

Vários colaboradores convidados notáveis ​​destacam o conjunto, incluindo Stephen Stills, Johnny Winter e o vocalista / saxofonista Lonnie Youngblood (companheiro de banda pré-fama de Hendrix em Curtis Knight & the Squires). Stills aparece em duas faixas registradas em setembro de 1969: uma versão cover de “Woodstock” de Joni Mitchell (meses antes da reformulação de Crosby, Stills, Nash & Young) e a canção original “$ 20 Fine”. O inverno aparece em uma interpretação previamente extraída das “Things I Used to Do” de Guitar Slim, que aparecem aqui em uma versão completa e remixada.

 

“A verdadeira casa de Jimi foi o estúdio – é aí que a música e a magia aconteceram”, disse Kramer em um comunicado sobre o projeto. “Ele amava tudo sobre gravações, e foi um prazer e honra fazer parte desse processo tanto antes quanto agora”.

Jimi Hendrix – Both Sides of the Sky Track List:

1. “Mannish Boy” (previously unreleased)
2. “Lover Man” (previously unreleased)
3. “Hear My Train A Comin'” (previously unreleased)
4. “Stepping Stone” (previously unreleased)
5. “$20 Fine” (previously unreleased, featuring Stephen Stills)
6. “Power Of Soul” (previously unavailable extended version)
7. “Jungle” (previously unreleased)
8. “Things I Used to Do” (featuring Johnny Winter)
9. “Georgia Blues” (featuring Lonnie Youngblood)
10. “Sweet Angel” (previously unreleased)
11. “Woodstock” (previously unreleased, featuring Stephen Stills)
12. “Send My Love To Linda” (previously unreleased)
13. “Cherokee Mist” (previously unreleased)

 

…………………………………………………………..
*Fonte: rollingstone

“A vida Secreta de Walter Mitty” – filme (uma das coisas mais legais dos últimos tempos)

Sei que já mencionei por aqui várias vezes o filme “A Vida Secreta de Walter Mitty”, que é tipo assim, um de meus filmes favoritos dos últimos tempos. Digo isso porque amo vários outros filmes clássicos, conhecidos por grande parte das pessoas e outros até menores, menos conhecidos ou então adorados. mas de grande força e recado. Esse aqui pode até parecer se ruma comédia, mas meu chapa, não é nada disso.

O interessante é que hoje de manhã ligo a TV e lá está Walter Mitty e a sua saga. Claro que assisti mais uma vez (isso que eu tenho o DVD, comprado de uma locadora de uma amigo que fechou).

Pode parecer estranho um filme com um comediante Ben Stiller no papel principal ter essa carga emocional, uma certa chinelada na cara da amenidade da vida. O filme sim começa numa certa dose em tons de comédia, mas aos pouco vai tomando outras cores e aspectos, muda cada vez mais até o seu final para uma mensagem de não conformismo, de mexa-se, aventure-se que a vida é boa sim, seja lá como for. Isso mesmo. Em meio a brincadeiras, cenas “aparentemente” bobas e ingênuas – (não se engane) há sim um recado denso.

Creio que esse filme seja mais um daqueles que precisa ser assistido uma primeira vez bem de boas, tranquilo, só por olhar mesmo e depois de visto, se faz necessário uma segunda (talvez terceira e quarta vez) só para se aperceber melhor detalhes, das inúmeras sutilizas, enquadramentos, as belas cores de cenas e paisagens, ah… e sem falar na trilhos sonora fantástica também.

*Spoilers:
1- Curto muito a cena do Walter dando dicas de skate para o filho da mulher por quem ele está apaixonado. Ela ao telefone num primeiro plano e ele mais atrás (até é uma img embaçada), faz algumas manobras incríveis ensinando o garoto e qdo ela olha prá trás, é justo qdo ele simpelsmente está parado em cima do skate. Assim não percebe/ou então perde de ver o cara “ruleando” no skate.

2. As inúmeras tretas com o novo chefe

3. A atenção do amigo do site de relacionamentos.

3. O piloto de helicóptero bebaço lhe oferecendo uma carona antes da tempestade que se aproxima em alto mar. Sem falar na trilha com David Bowie.

3. As várias novas e inusitadas amizades.

4. O downhill na estrada solitária / depois a fuga do vulcão.

5. O momento da foto não clicada na neve.

6. A busca, toda a jornada e seu propósito. Aqui uma lição de vida e sobretudo de respeito, admiração e profissionalismo entre Walter e o famoso fotógrafo aventureiro do filme.

6. A foto 25.

…..

Thanks mais uma vez Walter & Stiller, por esse belo filme. Talvez alguns não entendam ou não se toquem dos aspectos sutis mas bastante profundos desse filme, uma pena… Se você não concorda, não assistiu ou então nem quer fazê-lo, tudo bem. Seja feliz.

 

 

Homens desconcertados diante do novo papel da mulher

O papel da mulher mudou radicalmente nas sociedades mais desenvolvidas durante as últimas quatro décadas. Mas ainda há muito a fazer. E o apoio dos homens é fundamental para conseguir a tão esperada igualdade

A PALAVRA “empoderar” se aplica perfeitamente à mulher do século XXI. Ela, que se adapta a qualquer situação, se sente forte, capaz e independente — tanto no plano econômico como no emocional. Seu papel na sociedade mudou nos últimos 40 anos, em parte devido à sua progressiva incorporação ao mercado de trabalho. Desde então, a incessante luta pela igualdade salarial e para ocupar posições de poder empresarial e institucional, bem como a conciliação trabalhista e as medidas de ação afirmativa, configurou um papel feminino mais ativo. Mesmo assim, as estatísticas mostram que isso não é suficiente. Nenhum país alcançou a igualdade de gênero. E mesmo os mais igualitários oferecem menos oportunidades para as mulheres.

Um dado significativo: 44% dos europeus continua pensando que o papel mais importante da mulher é cuidar da casa e da família. Essa é a opinião de 44% das mulheres e de 43% dos homens. A mesma porcentagem afirma que a função mais importante do homem é ganhar dinheiro. Elas continuam ganhando muito menos. Portanto, esses dados revelam que ambos os gêneros têm um longo caminho pela frente até alcançar a verdadeira igualdade.

Para isso, é necessário não apenas definir os papéis de cada gênero. Nós, mulheres, precisamos de tanto tempo para lutar por nossos direitos que nos esquecemos que essas mudanças repercutem na figura tradicional do homem. Agora, é hora de que eles também se façam perguntas. É preciso que entendam nossa causa. Não queremos depender uns dos outros, mas compartilhar e caminhar juntos para transmitir um modelo de autêntica igualdade. Somente se trabalharmos esses valores desde a infância, entre irmãos e irmãs, companheiros e companheiras, mães e pais, e também entre casais de todos os gêneros, conseguiremos adequar as tarefas e romper com os esquemas até encontrar um equilíbrio.

Quando falo com muitos homens na terapia de casal, a sensação que tenho é que se sentem desconcertados. “Ela me pede que participe mais em casa. E, quando participo, tudo o que faço está errado porque tem que ser do jeito dela.” “Se lhe digo que saia para correr tranquila, que fico sozinho com as crianças, ela me diz que está cansada. Realmente não sei o que quer.” “Quando tenho a iniciativa de preparar o jantar, no final brigamos porque não consegui adivinhar o prato que ela teria servido.” “Mudamos de casa porque seu trabalho era melhor, ela ganhava mais que eu. Enquanto procuro emprego eu me dedico à casa, mas realmente me sinto como um completo inútil. Tenho a sensação de não contribuir com o que deveria, sinto vergonha por não poder colaborar com os gastos como minha mulher.” Essas frases refletem até que ponto a cultura machista está arraigada em nossa sociedade. E o desconcerto que os homens sentem com a mudança do papel da mulher. Muitos deles mudaram de mentalidade e se adaptaram ao seu novo papel: curtem ao máximo a licença-paternidade, tentam sair antes do trabalho para estar mais com os filhos e participam das tarefas domésticas. Outros, que continuam sendo maioria, não têm iniciativa nem ideia de como exercer sua função familiar e social. Mas tudo é questão de tempo, conscientização e luta. E se os dois gêneros se unirem nesse desafio, ambos sairão ganhando.

arte: Sol Undurraga

…………………………………………………………
*Fonte: elpais

Dicas e tabus sobre a bateria do celular

A bateria do celular pode viciar se ela ficar conectada muito tempo? Fazer uma carga completa aumenta o rendimento dela? O TechTudo fez uma lista com as principais dicas e tabus sobre a bateria dos celulares e smartphone. Saiba como preservar a bateria do seu telefone e o que não se deve fazer com ela neste especial. Confira!

Cargas completas aumentam a durabilidade da bateria

Esta é uma dica com fundamento, sem nenhum tabu. Se você puder usar o celular até a bateria descarregar e der uma carga completa em seguida, o componente pode durar mais. Sabemos que nem sempre é possível fazer isso, mas no caso dos smartphones com tela touch, que consomem muita bateria, é recomendado dar uma carga completa pelo menos uma vez por mês.

A bateria dura mais porque ela pode ser feita de materiais como Lítio-Polímero, Íon-Lítio, Níquel-Híbrido e Níquel-Cádmio. Pequenas cargas enfraquecem a capacidade do componente. Já as grandes cargas mantêm o nível de funcionamento.

Desligue o telefone se não tiver sinal

Este também não é um tabu, mas sim uma dica preciosa. No Brasil é comum as operadoras não funcionarem direito em determinados pontos da cidade. Quando o smartphone perde o sinal, ele gasta mais bateria tentando procurar a rede

Na prática, o que o telefone faz é aumentar o ganho de sinal internamente, tentando à todo custo obter o mínimo de potência necessária para reestabelecer essa conexão. Com o aumento do ganho, aumenta o consumo da bateria e a temperatura interna do aparelho.

Uma maneira sábia de evitar esse gasto de energia desnecessária é simplesmente desligar o celular. O mesmo procedimento vale se você quer apenas acessar a internet e o 3G não está funcionando, ou não há sinal Wi-Fi disponível. Se o celular estiver procurando uma conexão sem fio e não puder conectar, ele vai gastar mais bateria procurando sinais mais distantes.

No caso do 3G ele poderá até permanecer conectado, mas se o sinal estiver ruim a qualidade da conexão estará comprometida. Não vale a pena o gasto e o desgaste que isso pode causar à bateria. Deixar a conexão Bluetooth ligada também é outro erro. Se não estiver usando, desligue-a.

Cuidado com a temperatura da bateria

Colocar a bateria em locais quentes é um tabu e não é discutido corretamente. Normalmente as pessoas acreditam que o material pode explodir se colocado em uma temperatura mais alta.

Isso não é totalmente mentira, mas muitas baterias de Lítio-Polímero foram construídas para não estourarem de maneira nenhuma. Mas mesmo com esse material peculiar, acidentes podem acontecer.

Outra dica válida no caso de aquecimento de celulares é que nem sempre a bateria aquece quando apenas exposta ao sol. Um local que desgasta o componente é o bolso de sua roupa. Como ele está em contato com seu corpo, a tendência é que o local tenha uma temperatura razoavelmente elevada, suficiente para causar danos ao componente.

Evite utilizar as funções de câmera e vídeo do celular

Esta é outra dica, e não um tabu sem fundamento. Você pode desconfiar dessa verdade olhando as especificações de energia de cada um dos aparelhos. Um meio rápido de aquecer o aparelho e a bateria, desgastando-os, é ativar constantemente a câmera de fotografia ou ver muitos vídeos do YouTube. As imagens em movimento reduzem o rendimento da bateria para cerca de um terço.

Um desgaste de energia nesse nível compromete a vida-útil da sua bateria. Portanto, só veja vídeos se for realmente necessário. Se você ficar, por exemplo, tentando acessar o YouTube com uma conexão ruim, só vai gastar energia.
saiba mais

A culpa disso, obviamente, é o excesso de consumo de energia interno: a tela precisará ter potência para trocar todos os píxels rapidamente; o processador para entregar os dados; o modem para receber o sinal; e o canal de áudio para entregar tudo com qualidade. Ou seja: você estará utilizando quase todos os recursos do telefone ao mesmo tempo.

Vale a pena substituir a bateria?

Este é um tabu que não é tanto discutido. Muitos generalizariam a resposta dizendo que “vale a pena” ou que “não vale de forma alguma”. A real dica nesses casos é verificar o quanto será gasto para fazer a manutenção do smartphone. Aparelhos Android são mais fáceis de serem desmontados e seus componentes podem ser comprados separadamente. Aparelhos da Apple são mais difíceis de serem desmontados e é sempre bom consultar uma revendedora para se informar melhor.

Se o aquecimento da bateria comprometeu outros componentes, como a placa-mãe do aparelho, talvez seja o caso de você trocar de celular. Nesses casos, não se trata apenas de um problema de energia, mas sim da inutilização do gadget. Por outro lado, um baixo desempenho de bateria pode ser facilmente resolvido com a troca dela, sem precisar gastar mais comprando um telefone novo.

………………………………………………………………….
*Fonte: techtudo / Pedro Zambarda